quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

O que acontece quando cortamos o Açúcar por 10 dias


Ao cortar o açúcar em crianças , você poderá ver melhorias dramáticas em apenas 10 dias.  Pensando bem, isso é bastante notável, pois, tipicamente, pensamos que dietas levam meses, ou até mais, para que ocorra uma mudança positiva.
Comprovando este não ser o caso, em 43 crianças, o Dr. Robert Lustig e sua equipe da Universidade da Califórnia, San Francisco, observaram uma redução dos níveis de triglicerídeos, em média, 33 pontos. O colesterol – ruim - LDL caiu 5 pontos, assim como a pressão arterial diastólica, ao número mais baixo. 
Com a normalização dos níveis de insulina e açúcar no sangue, todas as crianças tiveram reduzido drasticamente o risco de diabetes. Em apenas 10 dias!  
Mesmo que amemos o princípio simples de contagem de calorias, existem algumas que são piores que outras e, para a maioria das pessoas, o açúcar está no topo da lista. O açúcar de mesa é a sacarose, composta de partes iguais de glicose e frutose. Mas, Lustig explicou que é a frutose que é a presença maligna. 
Nossos corpos usam a glicose como fonte de energia preferida, desde que é facilmente metabolizada e usada em praticamente qualquer lugar, e o que sobra é armazenada em nossos músculos ou fígado como glicogênio. 
Infelizmente, esse não é o caso da frutose, a qual é metabolizada em apenas um local - no fígado. E, porque o fígado só pode lidar com ela aos poucos, o adicional é convertido em gordura. Seu fígado começa a acumular gordura, que é descontroladamente insalubre. Pior ainda, o excesso de gordura vai para sua corrente sanguínea, aumentando o risco de doenças cardíacas e derrames. 
Nos tempos antigos, antes do açúcar e xarope de milho com alta  presença de frutose (que são basicamente a mesma coisa) se tornarem tão baratos para serem produzidos e refinados, tínhamos somente a frutose em pequenas quantidades, ou seja, nas frutas. Até mesmo o mel era protegido pelas abelhas. 
Hoje em dia, consumimos 59kg por ano - ou cerca de 1/3 de 450gr por dia. Os nossos fígados, no entanto, não evoluíram para manter o ritmo desse aumento vertiginoso. Como resultado, uma bebida açucarada atinge seu fígado como uma onda tsunami, de acordo com Lustig. 
Há mais uma coisa peculiar sobre a frutose: Ao contrário de outras fontes de calorias, ela não suprime o hormônio da fome, conhecido como grelina. Assim, apesar do seu alto consumo, a sensação de satisfação não ocorre.   
Resultado: você continua comendo. Além disso, a frutose tem como alvo no cérebro, o núcleo accumbens, também conhecido como o centro de recompensa. Acontece que a frutose dá a este núcleo uma sensação de recompensa, ou até mesmo euforia, e – claro – querer comer ainda mais. 
Enquanto muitos estudos de dieta derivam a maior parte dos benefícios como resultado do comer menos, este não é o caso do estudo de Lustig. Os participantes reduziram o consumo de açúcar na dieta de 28% para 10%, substituindo-o por outros carboidratos complexos. O objetivo não era perder peso, mas isolar o impacto do açúcar no corpo. 
Então, ao cortar o açúcar, agora você sabe que o seu corpo vai agradecê-lo em tão pouco tempo como 10 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário