quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Problema de consumo com Iogurte Frozen viraliza nas redes sociais


Produto não é recomendado para menores de 4 ano
Na última semana um post nas redes sociais esquentou as discussões sobre o consumo de alimentos industrializados pelas crianças, principalmente aquelas menores de cinco anos. Cristian Alex da Silva, morador de Montenegro, no Rio Grande do Sul, contou nas redes sociais que sua filha, de 2 anos e meio, passou mal por duas vezes depois de comer um iogurte com corante. O produto que leva o nome do personagem Frozen, vem com bolinhas azuis, que tingem a bebida com a cor do filme da Disney. O post rapidamente ganhou repercussão, viralizando nas redes sociais, já são mais de 190 mil compartilhamentos.

Diversos pais relaram no post de Cristian Alex situações parecidas, de indisposição de crianças depois de ingerirem algumas bebidas lácteas com corantes. Segundo o relato do pai da criança, após tomar o alimento, a menina vomitou muito. A pediatra responsável pelo atendimento da criança considerou que o corante azul pode ter provocado a reação, embora não tenha ficado comprovado se de fato a criança teve uma reação alérgica.

O fabricante Danone garante que não há nenhuma falha na linha de produção do iogurte e diz que o corante usado é autorizado pela Anvisa e propício ao consumo humano. Em sua nota de esclarecimento ao Estado de Minas, o fabricante informou também que o iogurte em questão deve ser consumido por crianças maiores de 4 anos. Antes dessa faixa etária, o consumo pode ocorrer sob orientação médica.

A informação com a faixa etária não está no rótulo do iogurte. “De acordo com a legislação brasileira, apenas produtos voltados para consumidores com idade inferior a 36 meses necessitam de advertências específicas na embalagem”, explica o fabricante.

Para Marcelo Barbosa, coordenador do Procon Assembleia, se o produto oferece algum risco, a informação deveria estar no rótulo, independente da faixa etária do consumidor. “Como ocorre com os brinquedos”, compara Barbosa. Segundo ele, nenhuma legislação ou portaria de órgãos reguladores pode se sobrepor ao Código de Defesa do Consumidor (CDC). Por outro lado, o especialista alerta que só testes feitos por estabelecimentos competentes podem afirmar, por meio de laudos técnicos, se um produto é de fato capaz ou não de provocar alergias.

Especializada em nutrição infantil, Alice Carvalhais, diz que crianças até 2 anos de idade não devem ingerir diversos produtos industrializados, entre eles as bebidas lácteas com corantes. Após essa faixa etária, os pais devem ter cautela. “Crianças são mais propícias a ter uma reação alérgica que os adulto”, observa. “No caso dos iogurtes, o melhor é que os pais optassem pelo natural, sem corantes e que pode ser consumido com frutas”, sugere a nutricionista.

Confira a nota do fabricante: “A Danone esclarece que todos os ingredientes que compõem a bebida láctea Danone com Bolinhas Azuis são seguros para o consumo e não representam risco à saúde. As bolinhas azuis possuem em sua composição o concentrado de espirulina (origem vegetal), autorizado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para conferir cor em alimentos. A Empresa informa ainda que reações alérgicas a quaisquer substâncias são próprias de cada organismo e carecem de um estudo mais aprofundado para se poder concluir qualquer interação direta entre os sintomas apresentados e do consumo do produto bebida láctea Danone com bolinhas azuis, o que até ao momento não existe. A Danone já estabeleceu contato com o consumidor por meio de seu Departamento de Atenção ao Consumidor – DAC, que se mantém à disposição para quaisquer esclarecimentos pelo telefone 0800 701 7561 ou e-mail dac@danone.com.


Fonte: Estado de Minas. Disponível em: http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2015/10/20/internas_economia,699753/problema-de-consumo-com-iogurte-frozen-viraliza-nas-redes-sociais.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário