terça-feira, 4 de agosto de 2015

Saiba quanto tempo deve durar a alimentação de uma criança


Há crianças que comem toda a comida do prato em cinco minutos, enquanto outras demoram uma eternidade. Entretanto, os especialistas recomendam cerca de 20 minutos para se realizar uma refeição completa.

“Não existem pesquisas que estabeleçam o tempo exato. Porém, estudiosos afirmam que, entre o início da refeição, com o estímulo da mastigação, e o envio de sinais de saciedade ao sistema nervoso central são necessários de 20 a 40 minutos. Portanto, considera-se que o tempo mínimo de uma refeição seja de 20 minutos, para garantir esse estímulo à saciedade”, explica Alice Mami Hayashi, nutricionista do Fleury Medicina e Saúde. Como em algumas fases da vida da criança é comum que sofra alterações de apetite, é fundamental estabelecer horários regulares para as refeições. Caso ela demore muito para comer, não a force. Apenas informe que retirará o prato e que esta não é uma punição, pois poderá, depois, consumir a mesma refeição, se desejar.

“Não substitua as refeições por lanches ou guloseimas, porque a criança pode entender que, caso não queira o alimento que lhe é oferecido, receberá numa próxima ocasião aquele que gosta mais”, orienta a nutricionista.

Delimite os horários 

Muitas vezes a criança demora a comer simplesmente por não ter fome. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, as refeições e os lanches devem ser servidos em horários fixos, diariamente, com intervalos de duas a três horas, suficientes para que ela sinta fome. “Não se devem oferecer alimentos fora de hora ou deixar a criança alimentar-se sempre que desejar, pois não terá apetite”, alerta Alice.

Mastigar bem é importante 

A mastigação tem um papel essencial no processo da alimentação. A digestão inicia na boca e os alimentos são misturados a enzimas presentes na saliva, o que facilita a digestão e a absorção dos nutrientes. Além disso, a mastigação e os estímulos ao longo de todo o trato digestório participam da regulação do apetite e da saciedade.
“Se a criança mastiga pouco e come muito rápido, o cérebro não tem tempo suficiente para perceber a saciedade. Quem come devagar e mastiga bem os alimentos aprende a saborear a refeição e a controlar a quantidade de comida que a satisfaz, levando esses hábitos para a vida adulta”, conclui a especialista.

Fonte: Qualitá

Nenhum comentário:

Postar um comentário