terça-feira, 11 de agosto de 2015

Projeto que dá fim ao selo de transgênicos em alimentos será tema de duas audiências


O fim da exigência do selo que atualmente identifica nos rótulos dos alimentos a presença de produtos com organismos geneticamente modificados (OGMs), os chamados transgênicos, será tema de duas audiências públicas hoje (11) e na quarta-feira (12).

O objetivo é avaliar o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 34/2015, que pretende acabar com a obrigatoriedade do rótulo. Atualmente, produtos com qualquer percentual de substância transgênica devem conter no rótulo um triângulo amarelo preenchido por um “T” maiúsculo.

O texto restringe a necessidade de alerta para produtos em que a substância transgênica supere 1% da composição. Nesse caso, o símbolo atual deve ser substituído apenas pelos dizeres: “contém transgênico”.

Ração transgênica

O texto também propõe a não rotulagem de alimentos de origem animal derivados de criações alimentadas com ração transgênica, com exclusão do símbolo que hoje facilita a identificação desses produtos. A proposta ainda coloca como não obrigatória a informação quanto à espécie doadora do gene.

O requerimento para o debate foi proposto pelos senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Cristovam Buarque (PDT-DF) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), esse o relator da matéria na CCT.

Participará da audiência pública o Instituto Brasileiro de Defesa o Consumidor (Idec), ao lado de representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério Público Federal (MPF), além de especialistas em transgenia.

Direito básico do consumidor

O requerimento registra as objeções do Idec ao projeto, como a alegação de que o texto contraria o direito básico de adequada informação sobre produtos lançados no mercado, nos termos do Código de Defesa do Consumidor. Para o Idec, o projeto seria também inconstitucional por ofender o princípio da precaução e da defesa do consumidor.

Também é mencionado retrocesso em relação ao direito garantido pelo Decreto de Rotulagem de Transgênicos, o Decreto Presidencial 4.680/2003, que instituiu a rastreabilidade da cadeia de produção para assegurar a informação e a qualidade do produto. Além disso, aponta-se desrespeito à vontade do cidadão de saber se um alimento contém ou não produto transgênico.

Para os autores do requerimento, as alegações justificam ampla discussão sobre a proposta. De iniciativa do deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), o projeto foi aprovado pela Câmara em abril passado.

No Senado, a matéria foi distribuída para exame também na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), além da CCT e CMA. A decisão final será em Plenário.

Convidados

As audiências resultam de iniciativa conjunta das Comissões de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) e da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA).

Na primeira, na terça-feira, a partir de 9h, haverá a participação do Ministério da Agricultura e Pecuária, da Comissão Técnica Nacional de Biosegurança (CTNBio) e de Associação Brasileira da Indústria da Alimentação (ABIA), entre outras entidades.

Na quarta, no mesmo horário, serão recebidos representantes do Instituto Brasileiro de Defesa o Consumidor (Idec), do Ministério do Desenvolvimento Agrário, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Ministério Público Federal (MPF).

Fonte: Idec com informações Senado. Disponível em: http://www.cfn.org.br/index.php/projeto-que-da-fim-ao-selo-de-transgenicos-em-alimentos-sera-tema-de-duas-audiencias/

Nenhum comentário:

Postar um comentário