sábado, 30 de maio de 2015

Pais: vocês são responsáveis pela alimentação dos seus filhos


As crianças copiam o comportamento e os hábitos dos adultos, principalmente dos pais! A alimentação e a prática de atividade física estão inseridas nesse contexto. Portanto, se seu filho está enfrentando problemas com o peso, por exemplo, convidamos você a refletir sobre a alimentação e o nível de atividade física da sua família.
É inquestionável que a alimentação e a prática de atividade física regular são fatores determinantes no excesso de peso. A industrialização, a urbanização e a globalização trouxeram o aumento da ingestão de produtos processados, cheios de calorias e gorduras ruins e pobres em nutrientes importantes, como vitaminas, minerais e fibras. Aliado a isso está o baixo nível de atividade física, já que hoje em dia é muito raro ver crianças brincando nas ruas, andando de bicicleta, jogando bola, etc. A violência urbana e a falta de espaços próprios para as brincadeiras são as principais razões para os pequenos passarem horas no computador, na televisão ou no videogame.
Bem, não é difícil entender os números revelados pela Pesquisa de Orçamento Familiar (POF, 2009), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostrou que 47% dos meninos e 44% das meninas, na faixa etária entre 5 e 9 anos, estavam com excesso de peso. Sem contar no aumento do número de crianças com hipertensão e colesterol alto.
O desequilíbrio entre o aumento do consumo de calorias e a diminuição do gasto de energia diário resulta no acúmulo corporal de gordura que pode desencadear as chamadas Doenças Crônicas Não transmissíveis (DCNTs).

Como as crianças e adolescentes não conseguem perceber as consequências de levar uma vida sedentária e se alimentar mal, cabe aos pais gerenciar esses problemas. Vamos relembrar algumas dicas para ajudar na formação de crianças e adolescentes mais saudáveis?
1. Insista em oferecer alimentos saudáveis. Às vezes, crianças não comem frutas, verduras ou legumes por falta de persistência dos pais. Estudos mostram que é preciso provar dez vezes um alimento para habituar-se a ele.
2. Leve a criança para as compras, principalmente para feiras de rua, além disso elas também devem participar da preparação dos pratos.
3. Se morar possível, monte uma pequena horta (pode ser em uma jardineira com ervas) e dívida com seu filho os cuidados com essa plantação.
4. Coma e ofereça a seus filhos, pelo menos, cinco tipos de frutas e/ou legumes por dia.
5. Evite comprar ou deixar a criança tomar bebidas açucaradas, o ideal é comer a fruta e não tomar o suco. Se for suco de caixinha então, melhor passar longe.
6. Estipule, diariamente, uma hora de atividades físicas fora da televisão, computador e outras tecnologias.
7. Coma mais em casa e em família, reduzindo ao máximo as idas a “fast food”.
8. Ofereça alimentos integrais, ricos em fibras.
9. Substitua os doces na sobremesa por frutas, sempre que possível.
10. Não tenha receio de dizer “não” ao seu filho. Crianças não deixam de amar os pais por eles se preocuparem com a saúde delas.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Menos carne, mais vegetais: igual a mais saúde


Um estudo recém-publicado pelo Imperial College London, na Inglaterra, acompanhou mais de 450 mil pessoas de dez  países por uma década, os pesquisadores constataram que os adeptos de uma dieta semivegetariana – na qual só 30% dos alimentos eram de origem animal – encaravam um risco 20% menor de morrer por doenças cardiovasculares em comparação com quem seguia um cardápio mais carnívoro. Repare que não se fala aqui em adotar um menu baseado apenas em folhas e afins, mas em conceder menos espaço ao que vem do boi... e mais espaço ao que nasce na terra ou dá em árvore.

Carne vermelha todo dia, maior mortalidade


Outro levantamento, esse da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, endossa essa conclusão. Na análise de 121 mil americanos, a mortalidade por câncer, infarto e derrame aumentou 13% entre pessoas que consumiam carne vermelha todo santo dia e em 20% entre aquelas que abusavam de embutidos, como salsichas. Sim, a balança da ciência pende para os que dão valor à salada. O que não significa riscar a carne da lista de compras. "Os resultados desses trabalhos não sugerem proibição, mas moderação", frisa a oncologista Maria Del Pilar Estevez Diz, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

Recomendação semanal


Pelos cálculos atuais, a recomendação é não exceder meio quilo de carne de vaca, ovelha ou porco por semana. É pouco mesmo: algo como um bife segunda, quarta e sexta. Só que essa redução deve ser acompanhada pelo incremento nas porções de verduras e legumes. "Para obter os benefícios demonstrados nas pesquisas, o mais importante seria ampliar a ingestão dos vegetais", avalia a endocrinologista Mirela Jobim de Azevedo, chefe do Serviço de Nutrologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. E o motivo você já deve saber ou suspeitar: as hortaliças e as frutas reúnem um arsenal inesgotável de substâncias que financiam nossa longevidade.

Menor mortalidade entre os vegetarianos


Não dá pra negar que o padrão vegetariano leva vantagem em termos de prevenção. Até porque, em geral, indivíduos que privilegiam esse tipo de dieta tendem a ser mais magros, praticam exercícios, bebem menos e não fumam. Tudo isso ajuda a entender os resultados de um megaestudo assinado pela Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos. Após avaliar 73 mil pessoas por cinco anos, observou-se que as taxas de mortalidade, a despeito da causa, eram menores entre os vegetarianos. Em outro braço dessa pesquisa, divulgado há pouco, os cientistas perceberam que essa turma tem um risco 22% menor de sofrer um câncer colorretal. Mas o interessante aqui é que essa proteção dobra se o sujeito comer... peixe. No trabalho, os pescovegetarianos enfrentam uma probabilidade 43% menor de ter a doença. A hipótese para justificar o benefício recai sobre o ômega-3, a prestigiada gordura dos pescados. 

E os embutidos?


Certo, você já entendeu por que deve visitar mais a feira (e a peixaria). O que há de errado, então, com a carne vermelha? Segundo a nutróloga Andréa Pereira, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, o problema em extravasar no alimento se deve ao fato de ele ser uma baita fonte de gordura saturada, cujo excesso é um reconhecido fator de risco cardiovascular. Já os embutidos e as versões processadas carregam muito nos conservantes, como o nitrito e o nitrato. "Anos e anos de ingestão contribuem para o surgimento de tumores", alerta a médica.

Carnívoros x vegetarianos


Como a palavra de ordem é o bom senso, o correto é priorizar sempre a carne fresca e com menor percentual de gordura. "Com os cortes magros se obtêm os benefícios e o mínimo de danos", ressalta Aline Marcadenti, professora de nutrição da Universidade Federal de Ciências e Saúde de Porto Alegre. Ora, justiça seja feita, não dá pra esconder que a carne vermelha tem lá suas virtudes, como proteínas, ferro e vitamina B12. "Mesmo fazendo a substituição por fontes vegetais, fica mais complicado para o organismo aproveitar todos esses elementos", afirma Andréa. "Não à toa, alguns vegetarianos têm que repor esses nutrientes por meio de cápsula."

Essa é uma questão que move um debate acalorado entre carnívoros, vegetarianos e profissionais da saúde. De acordo com a endocrinologista Mirela Jobim de Azevedo, não há risco em retirar a carne do cardápio, desde que sejam mantidos ovos e laticínios – no caso dos veganos, que eliminam todo alimento de origem animal, a possibilidade de déficits nutricionais realmente se agrava, o que cobraria a orientação de um especialista.

Existem, porém, trocas pra lá de plausíveis. "Cerca de 100 gramas de carne poder ser substituídas por uma concha de feijão, o que resolve a necessidade de ferro", exemplifica o médico Eric Slywitch, diretor da Sociedade Vegetariana Brasileira. Mas e a vitamina B12, importante para o cérebro e exclusiva dos animais? Segundo Slywitch, mesmo comendo carne, muita gente não absorve o nutriente a contento. E o pior é que temos pouquíssimos produtos fortificados no mercado. "O ideal é que houvesse mais alimentos enriquecidos com a vitamina, da mesma forma que acontece com o iodo no sal e com o ácido fólico em farinhas", dis Slywitch.

Botar em prática uma alimentação saudável não é a tarefa mais fácil do mundo. Mas tudo pode engrenar se a sua conta for equilibrada: corta um bifinho aqui, entram um grão e uma verdura ali... Ou, visto de outro jeito, se você fizer economia no açougue e gastar mais na feira.


terça-feira, 26 de maio de 2015

MAIORIA DOS BRASILEIROS ACREDITA QUE EVITAR DOCES PREVINE DIABETES


O que é melhor para prevenir o diabetes: evitar comer muito açúcar, ter uma dieta balanceada ou fazer atividade física? Se a primeira opção for a mais correta para você, cuidado. Alguns velhos mitos ainda estão claramente associados à enfermidade, conforme evidencia uma pesquisa inédita realizada pelo Ibope a pedido da SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes).
O levantamento, feito com 1.106 pessoas entre homens e mulheres de 18 a 60 anos, em seis capitais do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre e Recife), mostrou que quase 90% dos entrevistados têm a falsa ideia de que basta evitar o consumo de açúcar (e somente este ingrediente) para se ver livre do diabetes. Na verdade, segundo o endocrinologista Luiz Turatti, vice presidente da SBD, atividade física regular, parar de fumar e dieta adequada é que são os fatores primordiais da prevenção.
“Especificamente, não existe nenhum alimento que programe o desenvolvimento do diabetes. Dieta inadequada, incluindo os açúcares e gorduras, mais sedentarismo, predispõe ao sobrepeso. Esses sim são os grandes vilões”.
“Mesmo entre os pacientes diabéticos, há o mito de que o carboidrato não pode ser ingerido, o que não é real. Eles são importantes em uma dieta, pois fornecem energia ao organismo. Mas o que existem são os carboidratos bons, como uma fatia de pão integral, arroz integral, legumes ou frutas, por exemplo, e os ruins, como o açúcar refinado, bolachas e pães brancos, que devem ser consumidos com parcimônia”, completa.
No Brasil, o diabetes tipo II já virou uma epidemia que somente no ano passado matou quase 14 milhões de indivíduos. Acomete em especial pessoas obesas com mais de 40 anos, sedentárias e se caracteriza quando a insulina produzida pelas células do pâncreas não é suficiente ou simplesmente não consegue agir de maneira adequada. Com isso, começa a haver acúmulo de glicose (açúcar) na corrente sanguínea.
Ainda de acordo com a pesquisa, somente 30% acreditam que é fundamental fazer atividades físicas diárias para se prevenir e 80% pensam que o peso ideal não tem correlação com a enfermidade.
“A mudança no estilo de vida é fundamental para a prevenção. Praticar exercícios físicos pelo menos três vezes por semana durante 30 minutos é uma arma poderosa, seja você diabético ou não”, destaca Turatti. Outra questão que preocupa os brasileiros é em relação ao tratamento. Mais da metade tem medo e o considera muito complicado, o que não é verdade. “A doença pode muito bem ser controlada com a dobradinha medicamentos mais mudança de hábitos. Não é preciso ter medo do diabetes, e sim aprender a conviver com o problema”.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

França proíbe grandes supermercados de jogar comida fora


O parlamento francês votou por unanimidade uma nova emenda proposta pelo Partido Socialista à lei de energia verde (a ser votada dia 26), segundo a qual lojas de supermercados de mais de 400 metros quadrados não poderão mais jogar comida fora. Alimentos desperdiçados por agricultores, processadores, restaurantes, varejo e consumidores se tornam um problema crescente, com implicações econômicas, sociais e ambientais.
A Comissão Europeia propôs que estados membros desenvolvam estratégias para evitar desperdício de alimentos, com o objetivo de reduzi-lo em pelo menos 30% até 2025.
No caso francês, os gerentes dos supermercados poderão ser sujeitos a dois anos de prisão e multas de 75 mil euros pelo descumprimento da lei. Mas a federação francesa de comércio e distribuição disse ser um erro visar apenas grandes lojas, uma vez que elas respondem por apenas 5% do total de comida que se joga fora no setor. Os franceses descartam 20 quilos de alimentos per capita por ano, com um custo estimado de até U$ 22,4 bilhões.
Segundo a organização de alimentos e agricultura da ONU (FAO), um terço dos alimentos produzidos mundialmente – cerca de 1,3 bilhão de toneladas, no valor de U$ 750 bilhões – vai parar no lixo a cada ano, causando um desperdício de água equivalente ao fluxo do rio Volga, na Rússia, no mesmo período.
Na Europa, a Alemanha lançou em 2012 a campanha, “boa demais para o lixo, e o país é pioneiro em “comida partilhada”, usando a Internet para distribuir produtos ainda em boas condições e recobrados do varejo.
É prática comum na França supermercados jogarem alvejante em suas latas de lixo para destruir os alimentos e impedir que sejam recolhidos pelos pobres, uma atitude “escandalosa”, disse ontem o socialista Guillaume Garot, que apresentou a emenda. O governo francês vai incluir a questão do desperdício no currículo escolar.
Fonte: Planeta Sustentável

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Oito alimentos que substituem os suplementos


Toma whey protein toda vez que bate uma fome para não perder a massa muscular? É melhor você saber que, de acordo com World Cancer Research Found, consumir dosagens altas de nutrientes apenas com suplementos pode prejudicar a saúde e até causar alguns tipos de câncer. E ainda não inventaram nada melhor do que alimentos saudáveis e ricos em proteína. Quer saber em quais apostar? 
Frango com batata doce
É uma febre faz tempo. Pois a dupla une proteínas de alto valor biológico, isso é, são bem absorvidas pelo organismo, e carboidratos bons que liberam energia aos poucos. E anote: o frango tem os aminoácidos que o fazem o perfeito substituto para o BCAA.
Castanhas
São ricas em ácido linoleico, que aceleram a perda da gordura. E ataca principalmente a gordura abdominal. Você usa L.A.? Ela tem a mesma substância do suplemento. E convenhamos, é bem mais barata.
Shake caseiro
É feito com as proteínas do leite que estão presentes nos proteicos em pó mais usados após o treino. Misture o leite desnatado com carboidratos de baixo índice glicêmico, como a aveia, a maçã e a ameixa.
Salmão com mandioquinha
O peixe é rico em ácido linoleico, bom para perder gordura, e a raiz tem carboidrato de baixo índice glicêmico, que dá energia para o treino todo. 
Banana com aveia e canela
Invista nesse trio: a banana é rica em potássio, evita dores e tem seu índice glicêmico reduzido quando misturada à aveia. Já a canela é termogênica.
Crepioca
A receita une o carboidrato sem glúten da farinha de tapioca e a proteína do ovo. A clara do ovo é o que dá origem ao suplemento albumina e pode facilmente substituí-lo. A crepioca se diferencia da tapioca por alguns motivos e pode ser preparada de duas maneiras: unindo a farinha de mandioca com ovo ou leite, fazendo com que a massa fique mais encorpada, com aspecto de crepe; ou com ovo, que aumenta ainda mais os níveis de proteína dessa receita devido à clara de ovo ser um fonte de proteína e também saciante. 
Chás verde e branco
São termogênicos e aceleram a perda de gordura e o emagrecimento.
Mingau de aveia
Com leite, tem os carboidratos bons da aveia e a proteína do leite, base dos suplementos proteicos em pó. Faça com leite desnatado, claro. E esqueça a lenda de que engorda.
Fonte : Universo A

terça-feira, 19 de maio de 2015

Procon-RJ interdita câmara frigorífica com insetos, mofo e sujeira em supermercado de Niterói


Atendendo a ofícios do Ministério Público, os fiscais do Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, vistoriaram, nesta sexta-feira (15/05) 11 estabelecimentos - entre supermercados, postos de gasolina, bancos, restaurantes, lanchonetes e distribuidoras de gás veicular - no Rio, Niterói São Gonçalo, Maricá e em Guapimirim. Oito lojas foram autuadas. Numa delas, uma filial do Multi Market em Niterói, a câmara frigorífica foi interditada. Ela apresentava insetos, ferrugem, mofo e sujeira.

Foram descartados 132kg de alimentos fora da validade ou sem especificação sobre o seu vencimento. No Prezunic do Recreio dos Bandeirantes, havia 57kg e 986g de carne previamente moída. O produto deve ser moído apenas no momento do pedido do cliente e na presença deste, conforme determina a Lei Estadual 6.538/1983.

O posto Renaza, em Guapimirim, estava sem o certificado do Corpo de Bombeiros, que deverá ser apresentado em 48 horas. Caso isto não ocorra o posto será interditado. O estabelecimento também terá que mostrar, dentro de 15 dias, as notas de compra de combustível do último mês.

Não foram encontradas irregularidades na Disrtibuidora de Gás Veicular Guapimirim, no Carrefour de Neves, São Gonçalo, e no Queijão da Rodovia Amaral Peixoto, em Inoã, Maricá.

Balanço das ações desta sexta-feira:

1 - Supermarket (Avenida Dedo de Deus, s/nº, Centro, Guapimirim): 2kg e 400g de mortadela vencida, encontrada na área de vendas; produtos vencidos encontrados na câmara frigorífica: 11kg e 235g de salsicha (o fabricante informa que o produto temvalidade de três dias após aberto e o mercado estava dando 30 dias); 3kg e 602g de miúdo de frango, 1kg e 800g de cereja, 2kg e 600g de cocada morena, 1kg e 900g de doce de leite, 4kg e 700g de doce de mamão, 4kg e 500g de doce de chocolate e 2kg e 300g de carne moída sem espeficicação na câmara frigorífica; salgados expostos e com manipulação direta do consumidor; piso da câmara congelada não era íntegro e lavável, foi dado um prazo de 30 dias para conserto, sob pena de interdição; ausência do certificado do Corpo de Bombeiros, foi dado prazo de 48 horas para a apresentação do mesmo; Livro de Reclamações não autenticado; ausência do alvará definitivo, foi dado prazo de 15 dias para regularização e apresentação do documento.

2 - Multi Market (Rodovia Amaral Peixoto, km 15, Inoã, Maricá): 1kg e 700g de champignon, 1kg e 700g de cebolinha, 4kg e 500g de doce de leite 3kg de tremoços e 5kg de misutra vencidos; 300g de salsicha, 1kg e 500g de presunto de frango e 600g de mortadela sem especificação da validade; Livro de Reclamações não autenticado.

3 - Posto Renaza (Rua João Wright, 245, loter 12, Centro, Guapimirim): Ausência de preços em óleos e bebidas expostas à venda; ausência do certificado do Corpo de Bombeiros (foi dado prazo de 48 horas para apresentar); ausência do Código de Defesa do Consumidor, do Livro de Reclamações, do cartas do 151 e do certificado de autorização do Ipem; foi dado prazo de 15 dias para a apresentação das notas de compra de combustível do último mês.

4 - Bradesco (Estrada Raul Veiga, 450, São Gonçalo): Horário informado na senha emitida pelo sistema não condizia com a hora certa.

5 - Multi Market (Rua Gavião Peixoto, 34, Icaraí, Niterói): 3kg e 500g de farofa doce e 700g de lombo canadense vencidos; 300g de lombo sem especificação da validade; câmara frigorífica interditada até que sejam solucionadas as irregularidades (insetos, ferrugem, mofo e sujeira). Dado prazo de sete dias para a melhoria das condições de higiena da área de estocagem.

6 - Prezunic (Avenida das Américas, 16.100, Recreio): 57kg e 986g de carne previamente moída armazenada em estantre na câmara de resfriamento.

7 - Steak House (Rua Gavião Peixoto, 176, Icaraí, Niterói): Foi dado prazo de 15 dias para apresentar o certificado do Corpo de Bombeiros e o certificado de potabilidade da água. Foi determinado um reforço na dedetização. Batatas ficavam de molho num balde sem tampa e foi determinada a inutilização do alimento e a mudança na forma de preparo. Havia um extintor vazio. Foi determinada a malhoria da limpeza da cozinha e do baer num prazo de 15 dias, sob pena de interdição. 4kg de molho a campanha, 2kg de frango empanado e 3kg de maionese sem especificação da validade; 7kg e 200g de muçarela (8 sacos de 900g cada) vencidos.

8 - Frutalha (Rua Doutor Paulo Alvez, 72, loja 101, Ingá, Niterói): Ausência do Livro de Reclamações.

Fonte: Procon-RJ. Disponível em: http://www.portaldoconsumidor.gov.br/noticia.asp?busca=sim&id=28187

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Cuidados para diminuir o consumo de sal


Porto Alegre é a capital do Brasil com o maior número de hipertensos no Brasil, conforme o Ministério da Saúde?
E não adianta culpar só o churrasquinho do final de semana, cheio de sal grosso. O sal ou o sódio, principais causadores do desequilíbrio no organismo que acabam gerando a hipertensão, estão em todo lugar.
O sódio, "camuflado" em diversos alimentos industrializados, até nos doces como bolachinhas recheadas.
O sal e o sódio são confundidos muitas vezes, mas são nutrientes diferentes: o sal de mesa tem dois elementos, o sódio e o cloreto. E o sódio é um mineral.
O Ministério da Saúde divulgou o resultado do Plano Nacional de Redução de Sódio em Alimentos Processados, e um número assustou todo mundo: graças ao acordo firmado pelo Ministério da Saúde e pela Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação em 2011, já foram retirados mais de 7 mil toneladas de sódio de alimentos como bisnaguinhas, macarrão instantâneo, biscoitos e salgadinhos de milho, entre outros. Até 2020, o setor deve retirar mais 28,5 mil toneladas de sódio dos produtos.
1. Não faça dieta: O melhor a fazer é procurar um nutricionista para fazer orientação de educação nutricional. Tem que mudar vários hábitos para diminuir o consumo do sal.
2. Sem saleiro: Tire o saleiro da mesa. Contente-se com o que já foi colocado na preparação da comida!
3. Alimentos processados e embutidos: Modere o consumo e evite ao máximo alimentos processados, como pizzas e lasanhas pré-prontas, e embutidos, como salsicha, patê e salame.
4. Bolachinha doce recheada: Não se engane pelo sabor doce. Como é um alimento processado, é riquíssimo em sódio para durar mais tempo nas prateleiras. 
5. Sopa: Prefira as feitas em casa, no lugar das de pacotinho. Algumas chegam a ter 30% das necessidades diárias de sal de uma pessoa.
6. Retenção líquida: O sal em excesso causa retenção de líquidos no corpo. Portanto, a pessoa que usa muito sal na comida pode ficar inchada.
7. Temperos: Que tal, no lugar do sal, usar temperos como alho, cebola, alecrim, tomilho, manjerição, salsa e cebolinha? Eles também dão um sabor incrível aos alimentos. Aproveite para fazer uma horta em casa!
8. Data de validade: Prefira alimentos com data de validade menor. Um pão que dura 15 dias, por exemplo, até mesmo os integrais, está cheio de conservantes para permanecer bom para consumo por tanto tempo.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Procon Estadual descarta 132 litros de chope fora da validade em restaurantes chiques de Niterói



A Operação Ratatouille Arariboia, realizada pelo Procon Estadual, vistoriou restaurantes chiques de Niterói na terça-feira. Três dos cinco estabelecimentos fiscalizados foram autuados. Nesses locais, o órgão de defesa do consumidor descartou 132 litros de chope fora do prazo de validade, além de 2kg e 350 gramas de alimentos vencidos ou sem especificação da validade.

Na Churrascaria Mocellin, a operação flagrou 25 litros de chope fora da validade e um cliente fumando na área externa coberta, o que desrespeita a Lei 9.294/1996. A casa também não tinha afixado o cartaz de proibido fumar. O estabelecimento já havia sido autuado pelo Procon por permitir que clientes fumassem nas suas dependências.

Não foram encontradas irregularidades nos restaurantes El Cabron e Salve Simpatia.

Veja o balanço da Operação Ratatouille Arariboia:

1 - Mocellin (Avenida Quintino Bocaiúva, 151, São Francisco): 25 litros de chope vencido num barril conectado à chopeira, lixeira sem pedal na área da cozinha, ausência de cartaz de proibido fumar. Os fiscais presenciaram um consumidor fumando na área externa coberta, ausência de sanitizante no salão, o que foi corrigido na hora, ausência de cartaz em braile.

2 - Areias de Itacoatiara (Estrada Francisco da Cruz Nunes, 1.262, loja 101): 2kg de linguiça paio vencida, 27 litros de chope fora da validade, 350g de palmito sem especificação da validade, ausência do Livro de Reclamações.

3 - Nossa Casa (Rua Nóbrega, 198, Icaraí): 80 litros de chope (30 litros num barril conectado à chopeira) fora da validade, ausência do Código de Defesa do Consumidor, do Livro de Reclamações e do certificado de potabilidade da água. Foi dado um prazo de 15 dias para a apresentação do certificado.

A Mocellin divulgou a seguinte nota de esclarecimento sobre o assunto:

"A Mocellin Churrascaria preza pelo sabor e qualidade dos seus produtos. Sua preferência junto ao público da cidade acaba de ser reforçada pelo resultado do prêmio Água na Boca, do jornal O Globo, pelo qual foi consagrada hours concours, após ter vencido na categoria Churrascaria por três anos consecutivos. Algumas exigências, como a falta de álcool gel para uso do público, foram solucionadas ainda durante a fiscalização do Procon. As demais já estão sendo providenciadas, com todo o rigor adotado pela nossa equipe, sempre priorizando o bem estar e conforto dos nossos clientes. A origem do equívoco está sendo apurada e serão tomadas todas as medidas necessárias para aprimorar ainda mais os procedimentos de utilização e manuseio do nosso estoque".

Fonte: Biosafe Segurança dos Alimentos

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Como acelerar seu metabolismo


Nem pense em pular as refeições ou viver de verduras somente... O sucesso do seu plano para dar um fim nas gordurinhas não depende só das calorias que você consome. O metabolismo, ou seja, o modo como o seu organismo transforma essas calorias em energia, tem papel fundamental. A velocidade com que as calorias são gastas é determinada geneticamente, mas é possível aumentá-la trocando a gordura por massa muscular. Quanto mais músculos, mais rápido e maior é o gasto calórico, portanto vamos nos exercitar.
 
Devemos escolher os melhores alimentos. Os carboidratos são essenciais para um metabolismo rápido. Fornecem combustível aos músculos, ao sistema nervoso e às células do sangue. Devemos buscar orientação nutricional, para sabermos quais os tipos de carboidratos necessários para cada horário.
 
As proteínas ajudam a formar músculos, que consomem calorias mais rapidamente. Além disso, diminuem a velocidade de digestão dos carboidratos. Opte sempre pelas proteínas magras: lagarto, patinho, rosbife, peixe, frango, ricota, cottage, ovo, soja e derivados. 
 
As gorduras são fundamentais para o metabolismo. Retardam a digestão do carboidrato e permitem que a energia seja gasta de forma mais homogênea. Precisa-se saber quais os tipos saudáveis e os não saudáveis para a saúde.
 

Em vez de café da manhã, almoço e jantar, fracione os alimentos em seis pequenas refeições. O organismo vai perceber que não ficará tanto tempo sem receber comida e, por isso, não precisará economizar e estocar calorias. Em duas semanas, você começa a se sentir mais satisfeita com porções menores de alimentos. A capacidade do seu estômago encolhe cerca de 30%, sua ingestão calórica diminui 10%, seu metabolismo ganha pique e você pode perder até 2 quilos por mês. 

 
É muito importante prestar atenção às quantidades dos alimentos, respeitando as porções indicadas pelos profissionais.
 

Pular corda, cuidar do jardim, subir escadas, lavar o carro, dançar, levar o cachorro para passear, caminhar. A atividade física é essencial na aceleração do metabolismo. Com o passar dos anos, os músculos tendem a encolher e a gordura passa a ocupar o lugar deles. Por isso a musculação é tão importante. A prática de exercícios é responsável por 50% do sucesso no plano de ativar o metabolismo. 

 

Nem pensar em ficar sem o café da manhã e o lanchinho matinal. 

 

Outras dicas para manter seu metabolismo em alta


· A água ajuda o sangue a transportar melhor o oxigênio para os músculos. Na falta dela, você fica lenta, menos ativa e queima menos calorias. 

. Dormir pelo menos 8 horas.
 
· Não pule refeições nem fique sem comer por mais de quatro horas. Do contrário, seu metabolismo pisa no freio. 
 
· Se não consegue ficar sem doce, deixe-o para a sobremesa. A comida segura o índice glicêmico do açúcar, evitando picos de insulina no organismo e a consequente sensação de fome. 
 
· Dispense cereais à base de flocos de milho e arroz refinados, tipo crispis e corn flakes, que têm índice glicêmico alto. Prefira os de grãos integrais e aveia, ricos em fibras. 
 
· A gordura da pipoca do cinema pode atolar seu metabolismo. Prefira a light de micro-ondas. 
 
· Comece sua refeição pelos legumes e verduras, que têm poucas calorias, muitos nutrientes e fibras. Eles reduzem a fome e você acaba comendo menos dos outros alimentos. 
 
· Se seu almoço for apenas uma salada de alface e outras verduras, seu metabolismo tem tudo para ficar lento. Esses alimentos de baixíssimas calorias não fornecem energia significativa: dentro de uma hora ou duas, você estará com fome. Junte à sua salada uma fonte de carboidrato, de preferência integral, uma proteína magra e uma gordura "amiga". 
 
· Frutas secas têm carboidratos do bem, que aceleram o metabolismo, e uma grande quantidade de vitaminas e sais minerais, além de potentes antioxidantes. Misture-as nas saladas, no iogurte ou na aveia.
 

Segredos do oriente


Nabo, rúcula, cebola, gengibre e chá verde. Essas são as principais opções da medicina chinesa para acelerar o metabolismo. Os alimentos citados pertencem à natureza yang. Isso significa que são capazes de aumentar o calor no interior do organismo e por isso estimulam o metabolismo. Para melhores resultados,  a associação de alimentos de sabor picante com amargo. 
 
Para o lanchinho da manhã e da tarde, um copo de suco com pedaços da própria fruta, de preferência ácidas, como laranja, limão, tangerina e abacaxi. O sabor ácido tem a propriedade diurética, que minimiza a retenção de líquidos. Outra boa ideia, é ter na bolsa ou na gaveta do escritório biscoitinhos e outros alimentos à base de fibras integrais e frutas desidratadas.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Estudo concluiu que papel toalha é o mais higiênico dos métodos para secagem das mãos


Não é novidade falar que a lavagem das mãos é um aspecto muito importante para o controle microbiológico em qualquer segmento, e que a sua eficiência se deve a lavagem correta.

Contudo, pouco se fala sobre o papel importante que a secagem desempenha na higienização das mãos pois existe uma maior probabilidade de transmissão de microrganismos a partir da pele molhada do que a pela seca. E isto muitas vezes não está especificado nos manuais e nos avisos com o procedimento para lavagem das mãos, que terminam na aplicação de produto antisséptico.


Na legislação brasileira há citações para instalações para lavagem das mãos nas áreas de produção, vestiários e banheiros, na qual esclarecem que os lavatórios devem preferencialmente usar toalhas de papel não reciclado com a acionamento não manual ou outro sistema higiênico e seguro de secagem das mãos.



Mas qual outro sistema seguro da lavagem das mãos seria ideal? Ressaltando que a nossa legislação elimina a hipótese de usar toalha de pano. 



De acordo com a pesquisa liderada pelo professor Mark Wilcox, da faculdade de medicina de Leeds, que comparou a redução de microbiana ocorrida após a secagem das mãos, bem como a higiene das superfícies dos secadores, o meio ambiente e os usuários, dos três métodos comumente utilizados de secagem das mãos (jato de ar, secadores de ar quente, e toalhas de papel descartáveis), e concluíram que o jato de ar e secadores de ar quente tem maior potencial de contaminação.



Os secadores de jato de ar são ótimos secadores das mãos, devido à alta velocidades de ar, infelizmente, isso significa que as gotas de água, com microrganismos, serão dispersas a distâncias mais longas e alguns permaneceram suspensa no ar por vários minutos (possivelmente horas), levando em conta que isso dependerá da contaminação inicial e de como as mãos foram lavadas.



Para o estudo, as mãos, com luvas, foram revestidas com cepas Lactobacillus, para simular a carga nas mãos que foram mal lavados, e secadas em seguida. Os pesquisadores mediram o ar em torno dos equipamentos e também a distância de 1 m e 2 m. Foram também realizados testes separados, na qual as mãos foram revestidas com tinta para visualizar a dispersão de gotículas em cada método.


A contagem bacteriana no ar, perto dos secadores de jato de ar (70,7 cfu) foram encontrados 4,5 vezes maior que em torno do secador de ar quente (15,7 cfu), e 27 vezes maior quando comparado ao uso de toalhas de papel (2,6 cfu).
E o teste visual das manchas com tintas, demonstraram que o secador de jato de ar causou maior dispersão de gotas de tinta. Verificou também que as bactérias permanecem além do tempo de secagem de 15 segundos, 26% a mais que os demais métodos.
Descobriu que secar as mãos com papel toalha reduz, por fricção, o número médio de bactérias nos dedos por até 76% e nas palmas por até 77%. Em comparação, com o uso dos secadores elétricos, a contagem das bactérias aumentou, em alguns casos, em até 254 por cento.
Diante esses resultados apresentados, o estudo conclui que a toalha de papel é a melhor solução, porém isso não elimina a existência de boas práticas como gestão do lixo com o papel e uma boa eficiência na limpeza do dispenser , paredes e até mesmo a escolha do melhor dispenser , para existir para melhor eficiência do método.

Fonte: Food Safety Brazil