sexta-feira, 6 de março de 2015

Estratégia NutriSUS é lançada oficialmente pelo Ministério da Saúde



Estratégia pode reduzir em até 38% os casos de anemia e em 20% a deficiência de ferro na infância. A estimativa do governo é de que mais de 330 mil crianças sejam atendidas em 2015

O Ministério da Saúde (MS), em parceria com os Ministérios da Educação (MEC) e do Desenvolvimento Social (MDS), lançou oficialmente a Estratégia de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes – NutriSUS, que já vem sendo implantada em diversos municípios brasileiros.

A apresentação nacional aconteceu nesta segunda-feira (2), no Rio de Janeiro, e contou com a presença do ministro de Estado da Saúde, Arthur Chioro, do diretor do Departamento de Atenção Básica do MS, Eduardo Alves Melo, e da coordenadora-geral substituta de Alimentação e Nutrição do MS, Gisele Ane Bortolini. 

A iniciativa consiste na adição direta de vitaminas e minerais em pó aos alimentos que a criança, com idade entre 6 e 48 meses, irá consumir em uma de suas refeições diárias oferecidas nas creches vinculadas ao Programa Saúde na Escola (PSE).

O sachê entregue para as creches é composto de 15 micronutrientes e é facilmente administrado, devendo ser adicionado uma vez ao dia em uma das refeições oferecidas à criança. O suplemento não altera o sabor do alimento, o que evita rejeição, é de fácil absorção pelo organismo e não causa irritação gástrica. O consumo do sachê deve ser feito durante 60 dias e ter uma pausa entre três e quatro meses. O ciclo deverá se repetir até a criança completar três anos e onze meses. 

Considerando as evidências e o impacto positivo da fortificação com múltiplos micronutrientes na redução da anemia e outras carências nutricionais específicas, a ação tem o objetivo de potencializar o pleno desenvolvimento infantil, a prevenção e o controle de tais deficiências na infância.

No Brasil, estima-se que uma em cada cinco crianças menores de cinco anos apresentem anemia, sendo mais frequente em menores de dois anos. A expectativa é que a suplementação alimentar reduza este índice. De acordo com o Estudo Nacional de Fortificação da Alimentação Complementar (ENFAC), realizado pelo Ministério em parceria com a USP, a suplementação reduz em 38% os casos de anemia e em 20% a deficiência de ferro após o uso do sachê em pó. A participação no programa é voluntária e depende do interesse do gestor municipal em aderir à iniciativa por meio do PSE. 

Adesão

A adesão deverá ser realizada no processo de adesão anual do PSE, pelo gestor municipal, por meio do Portal do Gestor, disponível no link:http://dabsistemas.saude.gov.br/sistemas/sgdab

Fonte: Autor: RedeNutri Published At: Ter 03 de Mar, 2015 09:38 BRT. Disponível em: http://ecos-redenutri.bvs.br/tiki-read_article.php?articleId=1706

Nenhum comentário:

Postar um comentário