segunda-feira, 16 de março de 2015

Começa hoje a Semana Mundial pela Conscientização do Sódio


O brasileiro consome duas vezes mais sódio que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, nas Américas, o país é o segundo que mais ingere sal, atrás apenas do Paraguai. Os dados, divulgados nesta segunda-feira (16), foram  levantados pela pesquisa “O sódio que você não vê”, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).
A publicação traz orientações sobre o consumo de sódio e alerta os consumidores para o aumento desse nutriente em alimentos ultraprocessados no Brasil. Em conjunto com outros hábitos alimentares não saudáveis, este é um dos principais fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis relacionadas à alimentação, como a hipertensão (pressão alta).
Com uma média de 4,1 gramas por dia, o brasileiro só fica atrás do Paraguai em quantidade de consumo de sódio. Na terceira posição, está a Colômbia, com 4,0 gramas por dia. “Vale lembrar que o limite máximo de consumo de sódio recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 2,0 gramas por dia. Portanto, o brasileiro consome o dobro do recomendado, o que pode trazer uma série de riscos para saúde”, explicou Ana Paula Bortoletto, nutricionista do Idec.
Muita gente não sabe, mas o sódio está presente naturalmente em alguns alimentos, como o sal de cozinha, mas é também muito utilizado na produção de comida ultraprocessada, que é elaborada a partir de ingredientes industriais e vendida pronta para comer ou aquecer. “Atualmente, as pesquisas indicam que o consumo de sódio adicionado em alimentos processados como pães, embutidos e comidas prontas congeladas está aumentando. Números que trazem um alerta para os consumidores já que o excesso de sódio é o principal fator de risco para a hipertensão, ou seja, pressão alta. Essa doença aumenta o risco de outras doenças graves como Acidente Vascular Cerebral (AVC), insuficiência cardíaca e infarto, e insuficiência renal”, complementa.
O especial do Idec também traz a página Cadernos do Idec, com a publicação “Redução de Sódio em Alimentos – uma análise dos acordos voluntários no Brasil”, que pode ser baixada gratuitamente, além de uma página com dicas para o consumidor fazer escolhas alimentares mais saudáveis e ficar atento ao sódio que ele não vê, metas de redução no consumo de sódio propostas pelo governo brasileiro e links para pesquisas e artigos sobre o assunto. O especial apoia a divulgação da Semana Mundial da Conscientização sobre o Sal, promovida pela ALASS (Acción Latino-Americana de Sal y Salud), no período de 16 a 22 de março de 2015.
Exemplos de alimentos que contém o sódio ‘que você não vê':
Exemplos do valor médio de sódio das categorias de alimentos pesquisadas pelo Idec e que fazem parte dos acordos voluntários para redução desse nutriente:
– Caldos e temperos prontos: 3,15 média de sódio (g/100g)
– Macarrão instantâneo: 1,75 média de sódio (g/100g)
– Mortadela: 1,40 média de sódio (g/100g)
– Salsicha: 1,28 média de sódio (g/100g)
– Maionese: 1,09 média de sódio (g/100g)
– Biscoito salgado: 0,80 média de sódio (g/100g)
Fonte: Idec

Nenhum comentário:

Postar um comentário