quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Dieta tipicamente brasileira pode proteger o coração


Trinta e quatro centros de referência no tratamento de doenças cardiovasculares, dente eles a UNIVALI, passaram a implementar, em todo o País, um estudo coordenado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital do Coração de São Paulo (HCor), com o apoio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi- SUS), a fim de prevenir e reduzir a reincidência de eventos cardíacos em pacientes com histórico de aterosclerose.

É o Programa Alimentar Brasileiro Cardioprotetor (DicaBR), que teve início, em 2011, como projeto piloto para avaliar, num primeiro momento, a eficácia de uma dieta tipicamente brasileira na redução de fatores de risco, entre eles hipertensão, índices elevados de colesterol total, LDL e triglicérides, bem como alterações de glicemia, peso e circunferência da cintura.

Atualmente, o programa está em sua segunda fase, que objetiva a efetividade da Dieta Cardioprotetora Brasileira na prevenção dos chamados “eventos cardíacos”: infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, doença arterial periférica, parada cardíaca, revascularização do miocárdio, angina instável.

A dieta é composta por nutrientes cardioprotetores distribuídos de forma equilibrada e de acordo com as necessidades de cada indivíduo, priorizando os alimentos mais comuns e acessíveis aos brasileiros. Entre eles, o consumo de frutas, verduras e legumes. As refeições privilegiam o alto teor de fibras, a baixa densidade de energia e o equilíbrio entre as gorduras poli, monoinsaturadas, saturadas e o colesterol. O estudo propõe uma adaptação da dieta europeia, substituindo alguns alimentos por opções encontradas em regiões de clima tropical, considerando ainda os hábitos culturais e os custos de sua continuidade pelos pacientes. A Dieta do Mediterrâneo é a única que, por meio de pesquisas na área de saúde e nutrição, mostrou, até o momento, efetividade na redução dos eventos cardíacos. Agora em todo o Brasil, o projeto Dica-BR almeja alcançar esse patamar com a implementação da terceira fase.

O retorno positivo trazido pela Dieta Cardioprotetora Brasileira na etapa do projeto piloto, desenvolvido com 120 pacientes do HCor, incentivou o Ministério da Saúde a estender o programa aos principais centros de referência no tratamento de doenças cardiovasculares. Eles colaboram na aplicação do projeto a 2.250 pacientes cardiopatas, que recebem acompanhamento de nutricionistas responsáveis por analisar os hábitos regionalizados de consumo e adaptá-los a uma dieta de prevenção a eventos cardíacos, cultural e economicamente acessível.

Fonte: CFN

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Idosos que não consomem frutas podem ter mais chance de apresentar doenças crônicas

 

Pesquisa mostra percentual importante de insegurança alimentar entre idosos. Segundo o texto, participaram da investigação 427 idosos, residentes em Campinas, São Paulo. Houve 15,2% de insegurança leve e 6,6% de moderada/grave. A insegurança alimentar pode ser definida como uma dieta que não atenda às necessidades individuais, quantitativa e qualitativamente. Intitulado “Insegurança alimentar em idosos: estudo transversal com usuários de restaurante popular”, o estudo mostra maior chance de insegurança leve entre idosos que tinham renda familiar total menor ou igual a dois salários-mínimos, não trabalhavam fora e eram obesos. Além disso, dizem os autores, houve maior chance de insegurança moderada/grave entre aqueles que referiram ter tido câncer e ter sido internados recentemente, assim como naqueles que contaram que não consumiam diariamente frutas e carnes.

Fonte http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732013000600007&lng=pt&nrm=iso&tlng=en. Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2571
 

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Mulheres com bulimia compensam exagero na alimentação frequentando academias

 
Estudo alerta que elas estão usando a prática de exercício de forma imprópria. Estudo publicado na Revista Brasileira de Ciências do Esporte revela que muitas mulheres com bulimia fazem exercício físico após episódios de alimentação exagerada. Segundo o texto “Bulímicas: elas vão à academia de ginástica?”, estes resultados podem indicar que o exercício físico funciona como um método de compensar a falta de controle com a comida. Participaram do estudo 197 mulheres matriculadas em academias de ginástica. A prevalência de traços bulímicos foi de 11,2%. Dos indivíduos que apresentaram traços bulímicos, 59,1% afirmaram praticar exercício físico após episódios de alimentação exagerada. Para os autores, os resultados obtidos, somados à análise dos resultados das pesquisas anteriores, sugerem que o exercício físico para mulheres que sofrem de bulimia pode estar sendo praticado com a finalidade equivocada e por consequência dos efeitos dos transtornos. “Estes dados podem indicar que esse comportamento compensatório através da prática de exercício físico pode levar as mulheres a procurar as academias de ginástica. Nesta situação, as mulheres que sofrem de bulimia encontram nas academias de ginásticas uma variedade de práticas corporais para saciarem e reforçarem o comportamento bulímico”, alerta o estudo.


Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101
32892013000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2568

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Nestlé irá retirar corantes e sabores artificias de produtos nos EUA


A multinacional suíça Nestlé se comprometeu a retirar os corantes e sabores artificiais de seus produtos nos Estados Unidos, segundo anunciou uma das executivas da empresa nesta terça-feira (17/02).  "Sabemos que os consumidores estão cada vez mais interessados em produtos com menos ingredientes artificiais", disse a presidente da divisão de "snacks" da filial americano, Doreen Ida.
A empresa espera retirar até o final de ano os corantes e sabores artificiais "sem alterar o sabor e o preço", segundo detalhou em comunicado.
A filial americana da Nestlé se tornará a primeira grande fabricante de doces do país a retirar os ingredientes artificiais de seus produtos. O objetivo é que mais de 250 de seus produtos, incluindo os populares "Butterfinger" e "Crunch", substituam os corantes por ingredientes naturais.
Dessa forma, os corantes artificiais "Vermelho 40" ou "Amarelo 5" serão substituídos por extrato de urucum, um corante natural obtido da planta. A companhia afirmou que começará a marcar seus produtos com o rótulo "Sem corantes nem sabores artificiais" a partir de meados deste ano.
"Temos realizado testes com os consumidores para garantir que as novas receitas cumpram com nossos elevados padrões de sabor e aparência", declarou a Nestlé. 
Basta saber quando esta mudança vai ocorrer no Brasil???
Fonte: Revista Época

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Dá para conseguir um bronzeado perfeito com a ajuda dos alimentos


1) A alimentação ajuda na manutenção do bronzeado?
Investir em alimentos ricos em betacaroteno é super indicado, pois ele é precursor da vitamina A, que auxilia na produção de melanina, pigmento responsável pela cor da pele. São indicados também pois são antioxidantes, logo ajudam na proteção aos danos celulares que a radiação solar provoca e assim previnem o envelhecimento da pele pela exposição ao sol. 

Aposte em alimentos de cor laranja, como cenoura, abóbora, manga e mamão. Alem destes, existem outros nutrientes que agem como antioxidantes também para complementar a ação da vitamina A nessa atividade. São eles, a Vitamina C encontrada na laranja, tangerina, abacaxi, acerola, goiaba e caju; a vitamina E, encontrada na gema de ovo, sementes de gergelim, girassol, castanha, amêndoas e azeite; e os flavonoides, encontrados no chá verde, tomate, cenoura, soja, morango, uva, cereja. 

O betacaroteno é o mais importante e mais abundante carotenóide presente na natureza, é um pigmento cuja cor varia do amarelo ao vermelho. Está presente na abóbora, cenoura, laranja, acerola, manga, batata-doce, mamão, pêssego, milho, tomate e em menor quantidade em vegetais folhosos verdes escuros como couve, brócolis, espinafre, rúcula, agrião, entre outros. Além do betacaroteno, outros alimentos que também devem ser incluídos na alimentação são aqueles fontes de licopeno e ômega 3 , que também têm ação antioxidante e desenvolve um papel fundamental na defesa contra o estresse oxidativo no corpo humano.

2) Quais alimentos são protetores para pele?
Frutas cítricas, como laranja, limão, morango e acerola, são excelentes fontes de vitamina C. Elas estabilizam a estrutura do colágeno, pois têm função de estruturar a pele. Além disso, são fotoprotetores, ou seja, protegem a pele dos raios UVA e UVB. A vitamina C neutraliza os radicais livres, preservando dessa forma a firmeza, elasticidade e resistência da pele, o que ajuda também a prevenir o aparecimento de manchas e o envelhecimento precoce. Ideal de consumo: duas porções por dia.

Grãos e oleaginosas, como amêndoas, soja, feijão e noz, possuem cobre e manganês, que auxiliam na síntese do colágeno. Ideal de consumo: uma porção por dia. 

Alimentos amarelos e alaranjados, como cenoura, tomate, abóbora e mamão, protegem a pele dos raios UVA e UVB por serem fotoprotetores. Também possuem vitamina A que é um potente antioxidante. Ideal de consumo: uma porção por dia.

A vitamina A presente na goiaba conserva a saúde da pele e das mucosas, pois é um potente antioxidante, isto é, protege a pele dos danos dos radicais livres.

O betacaroteno, ou pró-vitamina A, presente no trigo Kamut, é um pigmento fundamental para a manutenção dos tecidos. Essa vitamina age como protetor da pele contra o sol e contra diversas infecções. Ideal de consumo: duas vezes por semana (utilize no lugar de trigo comum).

O enxofre presente no alho é muito importante para a saúde da pele, pois participa da cisteína, um aminoácido que inativa os radicais livres, assim como da taurina e da metionina. Ideal de consumo: preparar alimentos diariamente com alho semi-cru.

Óleos e sementes, como azeite extra-virgem, óleo de macadâmia, óleo de linhaça, possuem Vitamina E, que auxilia na maciez e hidratação da pele. Ideal de consumo: utilizar na forma de temperos de saladas (faça um mix com estes três óleos e tempere a salada). 

Maçã possui vitaminas do complexo B que ajudam prevenção de problemas de pele. Ideal de consumo: uma maçã por dia.
Vegetais de tons amarelo, laranja e vermelho: cenoura, beterraba, batatas-doces, pimentão, tomate e abóbora.
Frutas de tons amarelo, laranja e avermelhado: mamão papaia, melão, manga, melancia, carambola, nectarina e pêssego.

Vegetais de folhas verdes escuras: espinafre, brócolis, endívia, couve, chicória, escarola, agrião e mostarda.
As vitaminas C e E, o ômega 3 e o licopeno também podem ajudar a manter o bronzeado. A vitamina C e o licopeno possuem atividade antioxidante e atuam combatendo os radicais livres, o que contribui para a proteção da pele. Já o ômega 3 auxilia na absorção do betacaroteno.

Vitamina C: é encontrada em frutas cítricas como limão, laranja, kiwi, morango, acerola, laranja, caju e também nos alimentos de cor verde escuro. 

Vitamina E: pode ser facilmente encontrada nas sementes oleaginosas, óleos vegetais e no gérmen de trigo. O indicado é consumir cru ou levemente cozido para não reduzir o aproveitamento das vitaminas. 

Ômega 3: está presente em peixes oleosos de água fria (atum, salmão, sardinha, arenque e cavala), azeite e linhaça.

Licopeno: alimentos fontes de licopeno são tomate, melancia, mamão, morango, goiaba e pitanga.

Os benefícios dos itens ricos em carotenoides vão além da cor. Eles combatem a ação dos radicais livres acelerada pelos raios UV, mantendo a elasticidade, a integridade e o equilíbrio da pele.

3) Que alimentos são indicados para proteger a pele dos raios de sol?
Alimentos que contenham zinco (ostras, carne vermelha, leite e fígado); coenzima Q10 (aspargo, damasco, sardinha e sementes oleaginosas); selênio (castanhas, nozes e lentilhas); magnésio (leguminosas, sementes e nozes); cobre (fígado, moluscos e grãos integrais); biotina (fígado, cogumelo, amendoim e leite); e flavonoides (amoras, acerola, cereja, framboesa, uvas vermelhas e roxas, amoras azuis e pretas e casca de berinjela).


Fonte: Autor Dra. Isabel Andrade. Nutricionista da Venutri - Mestrado em Ciência da Nutrição e do Esporte e Metabolismo - (UNICAMP) Pós-Graduação em Saúde Pública & Alimentação Vegetariana – (SHP/ EUA) Especialização em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico - (EEFE - USP) Pós-Graduação em Transtornos Alimentares - (HC - FMUSP) Graduação em Nutrição - (Centro Universitário São Camilo) Graduação em Ciência de Alimentos - (San Jose State University - EUA). Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2570
 

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Alimentação ajuda a desintoxicar o organismo após o Carnaval



No Carnaval, é comum que a maioria dos foliões tenha curtido o feriado consumindo bebida alcoólica de forma excessiva. Apesar de alguns procurarem se alimentar bem neste período, muitos não dormem o suficiente durante os quadro dias de festa. Para amenizar os sintomas da ressaca, muitos foliões aumentam o consumo de água e investem no uso de analgésicos e outros medicamentos.

Já que ninguém faz muita questão de poupar o corpo durante o Carnaval, pelo menos nos dias que se seguem, é importante cuidar da alimentação para desintoxicar o organismo. De acordo com a nutricionista Sara Moreira, no período pós-Carnaval é importante pensar em trazer o corpo para o equilíbrio."Para isso, a alimentação é fundamental e devemos pensar numa dieta leve, utilizando produtos reduzidos de gordura (lights), como iogurtes, leite desnatado e queijos brancos", explica a nutricionista. Além disso, ela recomenda o consumo de vegetais crus ou cozidos no vapor. Frutas e sucos devem ser inseridos nos lanches ou como sobremesas.

Segundo Sara, os carboidratos são bem-vindos, mas sua fonte deve ser integral utilizando arroz, pão ou macarrão integrais. Já as carnes brancas (peixes e aves) devem ser as eleitas nesse período e o consumo de água deve ser mantido. "De fato, o que deve ser feito é voltar à alimentação com o uso de alimentos leves. Esse consumo deve ser mantido não só no fim de semana que segue o Carnaval, mas deve ser adotado como rotina alimentar a fim de garantir saúde", argumenta.

Comida 

E o alerta não vale apenas para quem consome bebida alcoólica. Aquelas pessoas que não bebem, mas descuidam da alimentação na temporada de Carnaval, também precisam aprender a selecionar os alimentos. Mesmo que seja só por quatro dias, "comer o que tem" ou optar pelo que é "mais prático" pode ser nocivo. "Qualquer prática alimentar com excesso de gordura, carboidratos simples e ausência de frutas e vegetais pode trazer agravos à saúde", alerta.

Fonte: Disponível em: http://www.hgf.ce.gov.br/index.php/noticias/43415-alimentacao-ajuda-desintoxicar-o-organismo-apos-o-carnaval

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Dicas saudáveis podem salvar seu Carnaval


1) Quais são as recomendações para uma alimentação saudável no carnaval?
O Carnaval está chegando. É tempo de alegria e brincadeira tanto para quem vai sambar na avenida quanto para aqueles que preferem se divertir nos salões. Apesar de ser um momento de descontração, um descuido principalmente com a alimentação pode acabar com a festa.

   Para não cair na armadilha da má alimentação e ter de parar a brincadeira por causa de uma infecção intestinal, uma desidratação e até uma ressaca, algumas recomendações simples podem ajudar. Nesta época os foliões perdem bastante líquido e gastam energia por causa da alta temperatura e da movimentação em bailes e na avenida sambando. Por conta disso, a regra básica é manter o corpo hidratado com sucos de frutas, água de côco ou água, pois além de estarmos ingerindo líquidos estarão suprindo a falta de minerais. Dê preferência aos sucos no lugar dos refrigerantes.

  Para aqueles que gostam de uma cervejinha, o ideal é intercalar um suco ou uma garrafinha de água entre uma latinha e outra.

2)O que comer no carnaval e onde?
Fazer uma refeição rápida é obrigação durante o baile ou para quem está assistindo aos desfiles. Pode ser um lanche ou uma fruta (se der preferência ao lanche natural observe as condições de higiene do local e se os produtos que o compõem estão sob refrigeração). Como se está gastando energia, o certo é comer carboidratos. As barras de cereais são uma boa pedida, pois, além de práticas, são gostosas e possuem em sua composição carboidratos e fibras. 

Quem for levar o próprio lanche atenção: O natural e os recheados de molhos, maioneses e frios não são recomendados, pois estragam muito rápido. Fique longe também dos lanches produzidos por locais de procedência duvidosa. Outra restrição levantada pela especialista é a ingestão de carnes e comidas gordurosas porque demoram mais para serem digeridos e podem causar sonolência e lentidão.

Para quem vai passar os quatro dias longe de casa, a orientação é fazer um bom café da manhã com leite, sucos de frutas e um lanche; almoço simples como uma macarronada e jantar leve. Sempre lembrar que não se pode ficar muito tempo sem comer. O ideal é ingerir algum alimento a cada 3 horas.

3) Que recomendações saudáveis devemos seguir para os dias de carnaval?
- Beber muito líquido durante a festa;

- Comer a cada três horas;

- Ingerir pequenas porções em várias refeições diárias;

- Evitar carnes e lanches gordurosos;

- Não ficar sem comer para emagrecer;

- Leve barras de cereais;

- Não coma em lugares sem higiene adequada;

- Se for beber álcool, intercale água ou suco de fruta entre um gole e outro;

- Mantenha o estômago com algum alimento, mas não exagere.

- Durma bastante e evite emendar um dia no outro;

- Vista roupas confortáveis e, de preferência, produzidas com tecidos naturais como algodão que permitem a transpiração da pele; 

- Vale lembrar também dos cuidados com as doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a aids e a hepatite, por isso o sexo seguro nunca é demais.
 

 
Fonte: Autor
 
Dra. Sílvia Toscano
 
Nutricionista, Chefe do Setor de Nutrição e Dietética do Hospital e Maternidade São Camilo
Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=483

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Workshop sobre Sucos Detox


A Slim Consultoria e Assessoria em Nutrição participou do evento Além da Beleza, realizado no Clown café, na cidade de Guaíba.
Nossa Nutricionista, Patrícia Streb da Silva, ministrou o Workshop sobre Sucos Detox.
Confira as fotos do evento na nossa página do Facebook!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Sucos Detox


SUCOS DETOX:

1- Suco de limão e couve:

Bata no liquidificador uma folha de couve, suco de ½ limão, um pedaço pequeno de pepino sem casca e sem semente, uma maçã vermelha sem casca e 150 ml (cerca um copo) de água de coco. Beba gelado.

2- Suco de laranja e couve:

Junte no liquidificador uma laranja sem a polpa branca, suco de ½ limão, uma maçã gala ou Fuji, um pedaço de gengibre (do tamanho de uma moeda), uma folha de couve, ½ copo de água e bata tudo. O ideal é que o suco seja consumido sem coar.

3- Suco de Kiwi e gengibre:


Misture 250 ml (pouco menos de dois copos) de água de coco, oito morangos, dois kiwis, 1 pedaço de gengibre e bata no liquidificador. Raspas de gengibre completam a receita do suco.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Educação Nutricional na Escolinha Jardim dos Lagos


As aulas de educação nutricional tem a intensão de proporcionar à criança um momento especial para auxiliar ainda mais a criança na alimentação.

Algumas crianças demonstram não gostar de alimentos saudáveis como frutas e verduras. Isso pode vir por situações de diferentes texturas e temperaturas, comportamento ou por costume da família. 

Hoje trabalhamos com as frutas( banana, mamão, manga, maçã e melão) e cereais como a aveia. Além disso, iniciamos nosso Livro de Receitas!

As crianças adoraram!!!






terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

O que é melhor para perder barriga: musculação ou exercício aeróbico?


Quer evitar o acúmulo de gordura na barriga que costuma aparecer com o passar dos anos? Prefira exercícios de peso, como a musculação, a atividades aeróbicas. Ou, para perder ainda mais medidas, combine as duas modalidades. A revelação é de uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, publicada na segunda-feira no periódicoObesity.
Os cientistas analisaram a rotina de atividade física, a circunferência abdominal e o peso corporal de 10.500 homens de 40 anos ou mais. Todos foram acompanhados durante doze anos.
Resultado — Os voluntários que faziam 20 minutos de treinamento com peso por dia tinham menos circunferência abdominal do que os que faziam 20 minutos de atividade aeróbica em intensidade moderada ou intensa. A combinação dos dois tipos de atividade levou a ainda melhores resultados.
Esse estudo ressalta a importância do treinamento com peso para reduzir a gordura abdominal principalmente para os mais velhos. Para manter um peso e circunferência abdominal saudáveis, o fundamental é aliar o treinamento de peso com exercícios aeróbicos.
Fonte Veja