sábado, 6 de dezembro de 2014

Pais não têm percepção do excesso de peso de seus filhos


Estudo destaca papel da escola para maior conscientização das famílias. Estudo publicado no Journal of Obesity mostra que os pais expressam mais preocupação quando seus filhos estão abaixo do peso do que quando estão com excesso de peso. O estudo foi realizado no Hospital Infantil do México Federico Gómez, na cidade do México, com 29 crianças e 22 pais. Segundo os resultados, os pais procuram o hospital somente quando suas crianças apresentaram qualquer complicação relacionada à obesidade. Para eles [os pais], explica o estudo, o excesso de peso não é um problema de saúde. “Quase todos os pais não percebem o excesso de peso ou a obesidade em seus filhos. Eles foram para o hospital por causa de problemas como acantose nigricans, hipertensão, asma ou outros problemas de saúde, mas não por causa do peso de seus filhos”, explicam os autores do estudo intitulado “Barriers to Lose Weight from the Perspective of Children with Overweight/Obesity and Their Parents: A Sociocultural Approach”. Outro problema revelado pela pesquisa é a falta de tempo que os pais relataram para supervisionar a dieta e o exercício de seus filhos. “Os pais referiram falta de tempo para supervisionar uma dieta saudável e exercício físico. Ao mesmo tempo, os mesmos pais, parentes, amigos e os meios de comunicação incentivam o consumo de comidas não saudáveis”, diz o artigo. Além da falta de tempo, outras barreiras para alcançar um estilo de vida saudável, segundo o estudo, incluem o custo de uma alimentação regulada, a praticidade, as preferências da família e dificuldades na mudança de hábitos. O estudo ainda destaca a falta de informação sobre alimentos mais saudáveis e sobre as consequências do excesso de peso e da obesidade. “Pais e filhos não têm uma compreensão do que é uma dieta saudável e as consequências do excesso de peso, porque eles não receberam uma explicação completa sobre isso no passado”, alerta o texto. Segundo os pesquisadores, os pais entrevistados sugeriram ajuda da escola para educar suas crianças sobre um estilo de vida saudável, pois é lá que elas ficam grande parte do seu tempo. Também recomendaram maior tempo de exercício dentro das escolas, além da proibição na venda de fast e junk food e instalação de refeitórios que ofereçam comida saudável. Ainda, de acordo com o estudo, as crianças também estariam interessadas em aprender, na escola, sobre alimentação saudável e as consequências do excesso de peso.

Fonte http://www.hindawi.com/journals/jobe/2014/575184/. Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico). Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2549

Nenhum comentário:

Postar um comentário