quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Conar investiga Diletto e Sucos do Bem



As histórias contadas pelas empresas Diletto e Do Bem em peças publicitárias e embalagens viraram alvo de uma investigação do Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária). O órgão decidiu abrir processos contra as marcas após receber denúncia de uma consumidora alegando que as informações divulgadas sobre o histórico das fabricantes de sorvetes e de sucos são exageradas e não correspondem à verdade.
O processo ético aberto no Conar irá julgar se as marcas infrigiram o código que regulamenta a publicidade no Brasil, o qual determina que todo anúncio deve ser honesto e conter uma apresentação verdadeira do produto oferecido.

Nonno Vittorio é personagem fictício



A Diletto anuncia, por exemplo, que os "picolés goumet" da marca nasceram com Vittorio Scabin, avô do fundador da marca, que produzia sorvetes feitos de neve no extremo norte da Itália, desde 1922, até que se viu obrigado a abandonar o negócio em razão da Segunda Guerra, quando a família migrou para São Paulo.

O nonno Vittorio, entretanto, é um personagem fictício. Em entrevista à revista "Exame", Scabi, reconheceu que pode "ter ido longe demais na história”.
Em nota à imprensa, a Diletto afirma que "o personagem Vittorio, fundador da Diletto, é o alterego do senho Antonio, avô de nosso sócio" e que entrega "exatamente" o que promete, "um gelato premium, com base importada da Itália, feito com ingredientes nobres e de procedências garantidas".
Laranjas da da fazenda do senhor Francisco

A empresa de sucos Do Bem usa também uma história com personagens para atrair os consumidores e tentar se diferenciar da concorrência. A fabricante informa em suas embalagens e peças publicitárias que as laranjas do seu suco, por exemplo, vêm da fazenda do senhor Francisco do interior de São Paulo", um "esconderijo secreto que nem Capitão Nascimento poderia descobrir".

A empresa sustenta, entretanto, que "todas as suas histórias são verdadeiras". Segundo a Do Bem, o senhor Francisco é um personagem real. "Reginaldo, José, Laercio, Francisco, todos são reais, e são nossos fornecedores de frutas. "Com o crescimento da empresa, que começou pequena e hoje tem cerca de 15 mil pontos de venda, hoje contamos com mais de um fornecedor de fruta para suprir a necessidade do mercado. Mas as pessoas que são especiais em nossa história são destacadas em nossa comunicação", afirma a marca.
Reportagem da revista Exame afirma que gigantes como Brasil Citrus também fornecem laranjas para a Do Bem.
A empresa contesta a informação e diz que a Brasil Citrus não fornece a laranja, apenas processa a fruta. "A Do Bem escolhe nas fazendas, que são suas fornecedoras, as frutas, com as especificações da safra (mais cítrica, mais doce, etc..), colhe as frutas e manda para a processadora  'espremer'. Os sucos de laranja do bem são integrais, ou seja, não tem agua, açúcar e nenhum conservante", esclarece a fabricante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário