domingo, 30 de novembro de 2014

Antibióticos x 1° Infância



O médico escocês Alexander Fleming (1881-1955) revolucionou a medicina quando encontrou, em 1928, uma maneira de combater as infecções bacterianas, verdadeiras epidemias que, até então, não tinham adversários à altura. Seu grande achado foi a penicilina, o primeiro antibiótico do mundo, que culminou no desenvolvimento de vários outros ao longo dos anos. Passadas mais de oito décadas, os frutos de sua descoberta inicial foram associados, agora de maneira negativa, a mais um surto: o da obesidade infantil.

O alerta vem da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos, onde um trabalho avaliou mais de 11 mil meninas e meninos nascidos entre 1991 e 1992. Segundo os especialistas, a prescrição de antibióticos antes dos 6 meses de idade patrocinou o surgimento de gordurinhas poucos anos depois. "As crianças que tomaram esses medicamentos apresentaram um risco 22% maior de ficar acima do peso", revela o pediatra Leonardo Trasande, autor da investigação.

Outro experimento da mesma instituição reforça a tese. Nele, ratos jovens receberam doses de antibiótico junto com a refeição. Após algumas semanas, as cobaias tiveram um aumento de 15% na gordura corporal. "Ao que tudo indica, os remédios alteraram a flora intestinal, elevando o aproveitamento das calorias dos alimentos", explica o gastroenterologista Ilseung Cho, líder do estudo.

Os antimicrobianos também favoreceram a reprodução de bactérias que incentivam o organismo a diminuir o gasto energético. "Esse processo é mais intenso nos primeiros anos de vida, fase em que o sistema digestivo engatinha", acrescenta a endocrinologista Maria Edna de Melo, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica.

Esses artigos ganharam destaque dentro da comunidade científica por serem os primeiros a relacionar antibióticos com sobrepeso, principalmente em uma etapa da vida em que o corpo está em plena formação. Alguns levantamentos já tinham até comprovado que as mudanças na flora intestinal levam à obesidade. "Mas as pesquisas americanas foram pioneiras por advertirem que esses medicamentos são desencadeadores do processo", acrescenta o endocrinologista Walmir Coutinho, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Os estudos da Universidade de Nova York engrossam um coro cada vez mais forte de entidades que lutam por uma prescrição consciente. "Existem vários fatores que levam ao exagero na indicação dos remédios que matam as bactérias", atesta o pediatra Fábio de Araujo Motta, do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. O principal deles é a pressão dos pais. "As pessoas pensam que, se o médico não lançar mão de um fármaco, ele não está fazendo seu trabalho direito", lamenta.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Surto Alimentar em Resort em Maragogi, em AL



O Tribunal de Justiça de Alagoas determinou a interdição da área de preparo e manipulação de alimentos do Resort Miramar Brasil Ltda, em Maragogi, Litoral Norte de Alagoas, após uma denúncia da ocorrência de um surto alimentar no estabelecimento causando a hospitalização de 48 hóspedes. Uma turista teria morrido no local. A informação foi divulgada pela assessoria do órgão nesta quarta-feira (26) após publicação no Diário de Justiça. 

Segundo o TJ, o desembargador presidente José Carlos Malta Marques suspendeu liminar do primeiro grau, depois de uma decisão da Vara de Maragogi de 11 de outubro, que permitia o retorno do funcionamento, procedimento que já havia sido impedido pela vigilância sanitária. 
De acordo com o TJ, a vigilância afirma que o local não reúne as mínimas condições de higiene e que os surtos no hotel têm sido constantes desde 2012. Em março daquele ano, ocorreu uma infecção alimentar que causou a morte da turista argentina.
O presidente José Carlos Malta explica que uma suspensão de liminar só é admitida em caso de risco de grave lesão à ordem, saúde, segurança e a economia públicas, o que foi demonstrado pela Vigilância Sanitária no processo, que apresentou fotografias do local.

“Está demonstrada a possibilidade de grave lesão à saúde pública, tendo em vista que, não bastasse as condições precárias de higiene, há notícia de vários casos de intoxicação alimentar de pessoas que estavam hospedados no estabelecimento interditado, inclusive ocasionando o óbito de uma delas” disse o desembargador.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Conar investiga Diletto e Sucos do Bem



As histórias contadas pelas empresas Diletto e Do Bem em peças publicitárias e embalagens viraram alvo de uma investigação do Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária). O órgão decidiu abrir processos contra as marcas após receber denúncia de uma consumidora alegando que as informações divulgadas sobre o histórico das fabricantes de sorvetes e de sucos são exageradas e não correspondem à verdade.
O processo ético aberto no Conar irá julgar se as marcas infrigiram o código que regulamenta a publicidade no Brasil, o qual determina que todo anúncio deve ser honesto e conter uma apresentação verdadeira do produto oferecido.

Nonno Vittorio é personagem fictício



A Diletto anuncia, por exemplo, que os "picolés goumet" da marca nasceram com Vittorio Scabin, avô do fundador da marca, que produzia sorvetes feitos de neve no extremo norte da Itália, desde 1922, até que se viu obrigado a abandonar o negócio em razão da Segunda Guerra, quando a família migrou para São Paulo.

O nonno Vittorio, entretanto, é um personagem fictício. Em entrevista à revista "Exame", Scabi, reconheceu que pode "ter ido longe demais na história”.
Em nota à imprensa, a Diletto afirma que "o personagem Vittorio, fundador da Diletto, é o alterego do senho Antonio, avô de nosso sócio" e que entrega "exatamente" o que promete, "um gelato premium, com base importada da Itália, feito com ingredientes nobres e de procedências garantidas".
Laranjas da da fazenda do senhor Francisco

A empresa de sucos Do Bem usa também uma história com personagens para atrair os consumidores e tentar se diferenciar da concorrência. A fabricante informa em suas embalagens e peças publicitárias que as laranjas do seu suco, por exemplo, vêm da fazenda do senhor Francisco do interior de São Paulo", um "esconderijo secreto que nem Capitão Nascimento poderia descobrir".

A empresa sustenta, entretanto, que "todas as suas histórias são verdadeiras". Segundo a Do Bem, o senhor Francisco é um personagem real. "Reginaldo, José, Laercio, Francisco, todos são reais, e são nossos fornecedores de frutas. "Com o crescimento da empresa, que começou pequena e hoje tem cerca de 15 mil pontos de venda, hoje contamos com mais de um fornecedor de fruta para suprir a necessidade do mercado. Mas as pessoas que são especiais em nossa história são destacadas em nossa comunicação", afirma a marca.
Reportagem da revista Exame afirma que gigantes como Brasil Citrus também fornecem laranjas para a Do Bem.
A empresa contesta a informação e diz que a Brasil Citrus não fornece a laranja, apenas processa a fruta. "A Do Bem escolhe nas fazendas, que são suas fornecedoras, as frutas, com as especificações da safra (mais cítrica, mais doce, etc..), colhe as frutas e manda para a processadora  'espremer'. Os sucos de laranja do bem são integrais, ou seja, não tem agua, açúcar e nenhum conservante", esclarece a fabricante.


terça-feira, 25 de novembro de 2014

Obesidade afeta de forma diferente a função pulmonar de meninos e meninas


Artigo mostra o efeito da função pulmonar ao exercício em adolescentes obesos. Publicado na Revista Einstein na edição de junho de 2014, estudo realizado na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas investigou efeito do teste do exercício na função pulmonar de adolescentes obesos. Isto foi feito, sendo levados em consideração os diferentes gêneros, masculino e feminino. O trabalho concluiu que, além de diferenças no desenvolvimento pulmonar, a distribuição da gordura pode alterar a função pulmonar de diferentes modos em meninas e meninos. De acordo com o texto, feito com 92 adolescentes,entre obesos e eutróficos, o estudo mediu frequência cardíaca, pressão arterial, frequência respiratória e força dos músculos respiratórios. As medidas foram feitas antes, durante e após o teste de esforço. Para o estudo, dividiram-se os adolescentes em quatro grupos – meninos obesos, meninos eutróficos, meninas obesas e meninas eutróficas. Os resultados mostram que a pressão arterial e a frequência cardíaca foram maiores nos obesos do que nos eutróficos. Meninos obesos apresentaram maiores valores de pressão inspiratória e expiratória máxima, quando comparados com as meninas obesas e eutróficas. Os valores encontrados para a ventilação voluntária máxima, a capacidade vital forçada e o volume expiratório forçado foram menores em meninos obesos, quando comparados com meninos não obesos. Quanto aos valores de capacidade inspiratória, meninas obesas obtiveram os maiores, se comparadas às eutróficas. Segundo esse estudo, os obesos possuem menor volume de reserva respiratória. Finalmente, o artigo nos diz que a função pulmonar de adolescentes obesos não se altera com o exercício. Também, os valores das variáveis cardiorrespiratórias foram diferentes nos quatro grupos de estudo.


Fonte http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572014000300242&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico). Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2534

domingo, 23 de novembro de 2014

Risco das dietas Hiperproteícas para os Rins

Estas dietas rígidas e restritivas apresentam diversos riscos para a saúde, inclusive dos rins. Primeiro, porque predispõem à formação de cálculos renais (pedras nos rins) e segundo, porque são prejudiciais e podem danificar os rins de pessoas com doenças pré-existentes neles, como as causadas por diabetes, hipertensão ou nefrite (e muitas vezes a pessoa nem sabe ainda, porque são doenças silenciosas).
O consumo de proteínas causa doenças nos rins de pessoas saudáveis ? Não. O fato de que a redução da ingestão de proteína diminuí o declínio da função renal em pessoas que já tem uma doença nos rins, não significa que o aumento de proteínas causa danos aos rins.
Porém, o elevado consumo de carnes/proteínas animais aumenta o risco de doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial. Até porque, geralmente esta ingesta proteica elevada esta diretamente relacionada ao alto consumo de sal, colesterol e gordura saturada.
Nestas dietas há também o baixo consumo de carboidratos, fibras, vitaminas e minerais, que são provenientes de verduras, legumes e frutas, o que pode também ser uma explicação para o aparecimento de outras doenças. A falta de fibras em uma dieta pode levar ao incômodo quadro de constipação.
Geralmente a pessoa não aguenta seguir esta dieta por muito tempo, pois o excesso de proteínas e a falta de carboidratos causa diversos sintomas em nosso corpo, como dores de cabeça, halitose (hálito ruim), diarreia e fraqueza geral.
A adesão, ou seja, a determinação de fazer uma dieta com baixa quantidade de carboidratos diminui progressivamente com o passar do tempo, e quando a pessoa volta ao hábito alimentar normal, geralmente volta ao ganho de peso, resultando no efeito sanfona.
Invista em carnes saudáveis e frescas, como a do frango (peito), do porco (lombo ou file mignon), dos peixes e do gado (músculo, filé mignon).
 Não utilize embutidos (salsicha, presunto, salame) como fonte de proteínas, pois eles são ricos em sal e conservantes, mesmo os denominados light.
 Beba bastante líquido, para manter seu corpo hidratado e prevenir a formação de cálculos renais. O ideal é que a urina saia clara.
Sempre que falamos em dieta e emagrecimento, o segredo é a reeducação quanto aos hábitos e costumes alimentares. A orientação medica e nutricionista é muito importante nestes processos de emagrecimento para manter o corpo saudável.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Hora do Conto sobre Educação Nutricional




 A busca pela qualidade de vida e bem – estar é uma preocupação cada vez mais presente na sociedade. 

Nutrição e qualidade de vida caminham juntas.  A boa saúde é fundamental para o bem-estar e o desenvolvimento econômico e social sustentável. Não é possível deixar de considerar a alimentação como fator fundamental da saúde das pessoas. “Que a comida seja o teu alimento e o alimento o teu remédio” pregava Hipócrates – o Pai da Medicina –  400 anos antes de Cristo.

É importante ter orientações que nos ajudem a lidar com o problema da obesidade. É preciso que todos sejam alertados dos riscos decorrentes da ingestão de alimentos e bebidas ricas em calorias, gorduras, sódio e açúcares. Gestos simples que envolve, por exemplo,  reduzir o consumo de sal, comer mais frutas, verduras e grãos integrais, aliado com atividade física regular,representam efetivamente, conforme apontam estudos, uma grande e decisiva diferença quando buscamos o bem-estar.

Por estas razões, hoje o trabalho foi realizado com as crianças da Escola de Educação Infantil Jardim dos Lagos em Guaiba-RS, sobre a importância da Alimentação Saudável, através de uma história contada pela nutricionista.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Obesidade Infantil



"A obesidade, doença crônica caracterizada pelo excesso de peso, atinge tanto adultos quanto crianças. De acordo com o Ministério da Saúde, uma em cada três crianças brasileiras sofre com a doença. Segundo a nutróloga e pediatra da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Claudia Hallal Alves Gazal a obesidade infantil deve ser tratada como um problema de saúde pública."

A quantidade de crianças obesas mais do que dobrou nos últimos 30 anos e não mostra sinais de parar. Em parte, em razão da dieta sem restrições de fast food e açúcar, mas há os que são afetados por genes e os hábitos alimentares negligentes passados por seus pais. Pesquisadores da Universidade de Cambridge desvendaram respostas a perguntas complicadas sobre o quão forte é o peso da genética na epidemia de obesidade infantil. 

A saúde de crianças e adolescentes obesos é conhecidamente mais frágil. Eles não só são mais propensos a se tornarem obesos na idade adulta, mas também têm maior risco mais elevado de desenvolver de problemas de saúde na vida adulta, como doenças cardíacas, diabetes tipo 2, derrame, vários tipos de câncer e osteoartrite, de acordo com os Centros para Controle de Doenças e Prevention (CDC). Se uma criança de 2 anos de idade já é obesa, ela tem em um alto risco de ser obeso para o resto de sua vida. 

Por que a obesidade é um diagnóstico tão perigoso, com risco de vida, especialmente para as crianças? Mais de um terço das crianças e adolescentes estava com sobrepeso ou obesidade em 2012, o que significa que é provável que eles venham a desenvolver diabetes, problemas nas articulações, apnéia do sono, problemas sociais e psicológicos, como estigmatização e baixa auto-estima, pressão arterial alta, colesterol elevado e maior risco para acidente vascular cerebral. Quando os pesquisadores estudaram os genes de 3.031 crianças na Inglaterra, França e Espanha, a partir do nascimento até 5 anos de idade, eles descobriram que o risco começou cedo. 

Existem 16 tipos diferentes de alelos para risco de obesidade, que são os genes que tornam uma pessoa mais propensa a se tornar obesos. Os pesquisadores não encontraram alelos para risco de obesidade quando os participantes eram crianças, mas com o tempo, 2 ou 3 anos de idade, a gordura pós-natal aumentou o suficiente para levantar a bandeira vermelha. 

"Nossas descobertas sugerem que a susceptibilidade genética para a obesidade promove ganhos iniciais em peso e comprimento / altura que são aparentes antes da influência positiva sobre o IMC," os autores do estudo escreveu. "Essa premissa é fortemente apoiada pela nossa nova descoberta de associações positivas entre o pontuação alelo de risco a obesidade e massa e massa magra gordura, mas não a gordura corporal relativa, na infância e primeira infância. "

Os pediatras estão muito preocupados com o número de crianças que crescem com sobrepeso e obesidade, de acordo com a Academia Americana de Pediatria. Se a obesidade não é interceptada aos dois anos de idade, mesmo que ela siga com um crescimento saudável para a idade de quatro anos, as chances da criança se tornar obesa chega a 20%. Adolescentes com excesso de peso têm 80% de chance de se tornarem adultos obesos, o que é ainda mais assustador, porque não precisa nem ser obeso para ter as chances aumentadas. Essas crianças vão ficar sobrecarregados com uma vida inteira de problemas sérios de saúde. Mudança de hábitos, com a adoção de uma dieta equilibrada, ambientes e rotinas de exercício, vão ajudar a mudar a balança para uma faixa segurança, mas isso só irá ocorrer quando pais e médicos intervirem para ajudar a criança. 

Fonte:Abeso

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Avanços na área da biotecnologia permitirão produzirmos aveia de maior qualidade nutricional

 

Cereal é conhecido por ter diversos efeitos benéficos à saúde. A aveia é um grão de cereal usado como alimento para humanos e animais que apresenta alto valor nutricional. Segundo estudo publicado no British Journal of Nutrition, mesmo sendo desvalorizado em comparação com o trigo, arroz e cevada, a aveia tem uma composição única que inclui muitos dos nutrientes necessários para a saúde e para a redução do risco de doença degenerativa. “Além disso, a aveia é um grão inteiro e alguns dos seus produtos associados também contém ß-glucanas, um polissacárido complexo que tem um efeito conhecido na saúde em reduzir os níveis de colesterol no sangue e o risco de incidência de doença cardíaca coronária, se consumido no mínimo 3 gramas por dia”, diz o artigo. Segundo o estudo, intitulado “Oat agriculture, cultivation and breeding targets: implications for human nutrition and health”, a aveia apresenta crescimento ótimo em regiões de temperatura moderada e com muita luz. Além disso, plantações de aveia podem tolerar dias chuvosos e solos ácidos de forma mais eficaz do que outros cereais, como o trigo. A pesquisa explica que a grande diversidade de nutrientes e componentes benéficos para a saúde encontrados na aveia podem ser ampliados com diversas práticas agronômicas. E também que os avanços na área da biotecnologia permitirão produzirmos aveias nutricionalmente melhores, contendo uma maior proporção de componentes benéficos para a saúde, além de mais adaptadas a variações climáticas. “Os avanços desenvolvidos na genética de plantas, observados em cereais como trigo, arroz e cevada, nos permite dizer que o desenvolvimento e a exploração da aveia devem passar uma aceleração na próxima década. Esses avanços incluem abordagens, tais como a sequenciação do genoma, genotipagem por sequenciamento, abordagens analíticas do seqüenciamento do RNA, transcriptoma e metabolômica”, afirmam os autores no artigo.

Fonte: http://journals.cambridge.org/action/displayAbstract?fromPage=online&aid=9362092&fulltextType=RA&fileId=S0007114514002736. Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico). Disponível em: http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2533
 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Dia Mundial da Prematuridade


Uma gestação normal tem de 37 a 42 semanas de duração. Sendo assim, um parto é considerado prematuro quando ele acontece antes de 36 semanas e 6 dias.
Não se conhece ainda todas as causas que levam ao parto prematuro, mas há muita pesquisa na área. 

Quais as principais causas de parto prematuro? 

-bolsa rota/ruptura prematura de membrana (RUPREME ou ROPREMA) 
-hipertensão crônica
-pré-eclâmpsia
-síndrome de Hellp
-insuficiência istmo-cervical 
-descolamento prematuro da placenta placenta prévia 
-malformações uterinas 
-infecções uterinas 
-gestação múltipla 
-fertilização in vitro 
-malformações fetais 

Alimentação

O leite materno é o melhor alimento para o bebé: protege-o de múltiplas doenças, nomeadamente das infecções e alergias, e é o alimento nutricionalmente mais adequado às suas necessidades.

 Favorece o estabelecimento da ligação afetiva entre a mãe e o bebê, a qual é de extrema importância para o desenvolvimento físico e emocional do recém-nascido.O bebê prematuro pode apresentar-se mais sonolento, havendo necessidade de o acordar e estimular para mamar. Tem também maior dificuldade na coordenação da sucção-deglutição, pelo que necessita de mais ajuda e tempo nas mamadas.É fundamental o correcto posicionamento da mãe e do bebé durante a amamentação. O bebê deve ser colocado com a barriga virada para a barriga da mãe de forma a que não tenha de virar o pescoço. Ao ser colocado à mama, a mãe deve estimular o seu reflexo de procura tocando-lhe na face com o mamilo. Uma pega correta é imprescindível para que o bebê consiga retirar adequadamente o leite e prevenir o aparecimento de fissuras nos mamilos. Para tal, o bebê deve apanhar parte da aréola da mama e não chupar apenas no mamilo. A boca do bebê deve estar bem aberta, o lábio inferior voltado para baixo e o nariz encostado à mama.As mamadas podem ser prolongadas pelo que a mãe deve estar numa posição confortável, sendo por vezes necessário recorrer a várias almofadas, num ambiente tranquilo. Deve ter água perto de si, pois o dar de mamar provoca sede e beber água ajuda o estabelecimento da lactação.Ao prestar apoio, o pai tem um papel extremamente importante para o estabelecimento da amamentação, sendo esta uma preciosa oportunidade de participar nos cuidados à mamã e ao bebê.Por vezes, os bebés prematuros têm dificuldade em mamar e não conseguem retirar da mama leite suficiente. Pode ser necessário que a mamãe retire leite com uma bomba e dá-lo ao bebê. É preferível o uso de um copinho , para  mais tarde não ter dificuldade na readaptação ao mamilo.
O tempo das mamadas é variável de bebê para bebê, salientando-se que o bebê prematuro é habitualmente mais lento a mamar que os outros bebês. Se o bebê adormece frequentemente na mama, deve ser estimulado para que continue a mamar, esfregando as costas ou apertando os pezinhos. Deve esperar-se que o bebê solte a mama, sinal de que está saciado.A frequência das mamadas é livre. Geralmente os bebês mamam entre 8 a 12 vezes por dia. Nos primeiros tempos, se os bebês dormem por períodos superiores a 4 horas devem ser acordados para mamar.Existem vários sinais de que o bebê está a mamar adequadamente: o ruído do bebé a engolir o leite, urinar várias vezes ao dia uma urina de cor clara e aumentar bem de peso.Depois da mamada, o bebê deve permanecer alguns minutos com a cabeça mais elevada que o corpo de forma a soltar algum ar que possa ter engolido (“arrotar”). Nem todos os bebês arrotam, mas é importante que se seja colocado nesta posição para evitar que bolce.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Dia Mundial do Diabetes



Alimentos funcionais na prevenção do Diabetes

O crescimento da preocupação para aumentar a expectativa de vida  tem conduzido a vários estudos sobre nutrição, especialmente no que diz respeito aos alimentos e seus efeitos sobre o corpo humano para melhorar, a qualidade de vida, proteção de órgãos e tecidos, manutenção das reações básicas, entre outros.
A alimentação é o principal fator na prevenção de doenças e melhorar a saúde. Previne e controla vários tipos de  Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), como Diabetes, Hipertensão, Câncer e Doenças Cardíacas.
De acordo com a ANVISA -Agência Nacional de Vigilância Sanitária - propriedade funcional é aquela relativa ao papel metabólico ou fisiológico que o nutriente ou não nutriente tem no crescimento, desenvolvimento, manutenção e outras funções normais do organismo humano.Um bom exemplo são os chamados Probióticos e Prebióticos, que ajudam o intestino a funcionar melhor.

Prebióticos e Probióticos : como agem e onde encontrá-los.

Prebióticos: pela Legislação Brasileira são definidos como todo ingrediente alimentar não digerível, alguns tipos de fibras alimentares - carboidratos- que afetam de maneira benéfica o organismo por estimular seletivamente o crescimento ou atividade de um número limitado de bactérias Probióticas no intestino, beneficiando a saúde.
Benefícios dos Prebióticos:
• Ajudam na manutenção da flora intestinal
• Estimulam o crescimento das bifidobactérias (responsáveis por suprimir a atividade de bactérias putrefativas, ou seja, que podem formar substâncias tóxicas)
• Facilitam o trânsito intestinal
• Contribuem com a consistência normal das fezes (prevenindo a diarreia e a constipação por alterarem a microflora colônica por uma microflora saudável)
Colaboram para que somente sejam absorvidas pelo intestino as substâncias necessárias eliminando assim o excesso de glicose (açúcar) e colesterol, favorecendo, então a diminuição do colesterol e triglicérides totais no sangue; e aumentam a absorção de minerais como cálcio, ferro, zinco e magnésio.

Fontes de Prebióticos:
1. Os Frutooligosacarídeos ( FOS ), estão concentrados em alimentos de origem vegetal tais como: cebola, alho, tomate, banana, cevada, aveia, trigo, mel.
2. A Inulina , um polímetro da glicose está presente principalmente na raiz da chicória, e está também presente no alho, na cebola, no aspargo e na alcachofra. A inulina extraída da chicória é produzida comercialmente e pode ser consumida por diabéticos como substituto do açúcar e contém de 1 a 2 kcal/g.
3. A pectina, encontrada em frutas cítricas, maças, cenoura, farelo de aveia, soja, lentilha e ervilha.

Probióticos: são microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde.
Esses microorganismos são adicionados aos alimentos ou ingeridos sob formulações farmacêuticas, contêm bactérias que têm como objetivo atuar no trato gastrointestinal, ajudando a manter a flora intestinal saudável. Isto ocorre porque o intestino concentra cerca de 70% das nossas células de defesa, e ele tanto pode receber nutrientes saudáveis quanto nocivos à saúde. 
Benefícios dos Probióticos:
• Mantem o equilíbrio da microbiota intestinal em casos de diarréia, constipação intestinal, síndrome do intestino irritável, reto colite ulcerativa
• Fortalecem o sistema imunológico, através de uma maior produção de células protetoras
• Inibem o desenvolvimento de microrganismos patogênicos e putrefativos
• Previnem infecções urogenitais e vaginais
• Auxiliam na redução do colesterol
• Auxiliam na redução da pressão arterial
• Reduzem a intolerância à lactose devido ao aumento de uma enzima que facilita a digestão da lactose
• Impedem a reabsorção de compostos aminados indesejáveis
• Ajudam na recuperação mais rápida nas crises da Doença de Crohn: devido a melhora da permeabilidade intestinal
• Favorecem a absorção de cálcio , ferro e vitaminas (B12, ácido fólico, tiamina, etc.)
• Apresentam atividade antimutagênica

Fontes de Probióticos:
Os  Probióticos mais conhecidos que exercem essa função são as bactéricas Bifidobacterium e Lactobacillus, em especial Lactobacillus acidophillus. A  indústria leiteira é realmente o foco da atenção pela disponibilidade dos seus produtos, especialmente  os iogurtes , leites fermentados e bebidas lácteas tem sido as principais fontes desses microorganismos, mas já existem alguns  suplementos nutricionais com eles enriquecidos.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Rótulos de Alimentos


Orientações ao consumidor:

Os rótulos são elementos essenciais de comunicação entre produtos e consumidores. Daí a importância das informações serem claras e poderem ser utilizadas para orientar a escolha adequada de alimentos.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, é o órgão responsável pela regulação da rotulagem de alimentos que estabelece as informações que um rótulo deve conter, visando à garantia de qualidade do produto e à saúde do consumidor.

Informação nutricional obrigatória:

Porção: é a quantidade média do alimento que deve ser usualmente consumida por pessoas sadias a cada vez que o alimento é consumido, promovendo a alimentação saudável.

Medida caseira: indica a medida normalmente utilizada pelo consumidor para medir alimentos. Por exemplo: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa. A apresentação da medida caseira é obrigatória. Esta informação vai ajudar o consumidor a entender melhor as informações nutricionais.

%VD: percentual de valores diários é um número em percentual que indica o quanto o produto apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2000 calorias.

Cada nutriente apresenta um valor diferente para se calcular o VD (valor diário). Veja os valores diários de referência:

- Valor energético: 2000 kcal/8.400 kJ
- Carboidratos: 300 gramas
- Proteínas: 75 gramas
- Gorduras totais: 55 gramas
- Gorduras saturadas: 22 gramas
- Fibra alimentar: 25 gramas
- Sódio: 2400 miligramas
- Gorduras trans: não há valor diário de referência.

O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos Rótulos de Alimentos:

- Valor energético: é a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem nutricional o valor energético é expresso na forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).

- Carboidratos: são os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer energia para as células do corpo, principalmente do cérebro. São encontradas em maior quantidade em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, tubérculos e doces em geral.

 - Proteínas: são componentes dos alimentos necessários para a construção e manutenção dos nossos órgãos, tecidos e células. Encontramos nas carnes, ovos, leites e derivados, e nas leguminosas (feijões, soja e ervilha).

- Fibra alimentar: está presente em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino. Procure ingerir alimentos com altos %VD de fibras alimentares.

- Gorduras totais: as gorduras são principais fontes de energia do corpo e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto vegetal.

- Gorduras saturadas: tipo de gordura presente em alimentos de origem animal, como carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga, requeijão, iogurte. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado, pois em grandes quantidades pode aumentar o risco de doenças do coração.

- Gorduras trans: tipo de gordura encontrada em grandes quantidades em alimentos industrializados, como as margarinas, cremes vegetais, biscoitos, sorvetes, salgadinhos prontos, produtos de panificação, alimentos fritos e lanches salgados que utilizam as gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação. O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, considerando que nosso organismo não necessita desse tipo de gordura e ainda porque quando consumido em grandes quantidades pode aumentar o risco de doenças do coração. Não se deve consumir mais que 2 gramas de gordura trans por dia.

- Sódio: está presente no sal de cozinha e alimentos industrializados (salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos, produtos enlatados com salmoura), devendo ser consumido com moderação, uma vez que seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial.

O consumo freqüente e em grande quantidade de sal, açúcar, doces, refrigerantes, salgadinhos, frituras e outros alimentos industrializados aumenta o risco de doenças como câncer, obesidade, hipertensão arterial, diabetes e doenças do coração. Escolha alimentos mais saudáveis, lendo as informações e a composição nutricional nos rótulos dos alimentos.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

XXVII Prêmio Jovem Cientista tem segurança alimentar e nutricional como tema



A XXVII edição do Prêmio Jovem Cientista terá como tema a segurança alimentar e nutricional. O prêmio é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). As inscrições estão abertas até 19 de dezembro.

Serão distribuídos prêmios em quatro categorias: Mestre e Doutor, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio e Mérito Institucional. Os objetivos do prêmio são revelar talentos, impulsionar a pesquisa no país e investir em estudantes e jovens pesquisadores que procuram inovar na solução dos desafios da sociedade.

A segurança alimentar e nutricional consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer outras necessidades essenciais, tendo por base as práticas alimentares promotoras de saúde, que respeitem a diversidade cultural e sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis.

São 16 linhas de pesquisas a serem escolhidas pelos candidatos, entre elas a produção sustentável de alimentos; a agricultura familiar para a segurança alimentar e nutricional regional e territorial; o desenvolvimento rural e sustentabilidade ambiental, os limites da segurança alimentar no campo e o acesso a alimentos saudáveis para todos.


Pesquisadores com assento no Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) avaliam como positivo o fato de o prêmio ter escolhido esse tema, o que pode ampliar a percepção sobre segurança alimentar e nutricional tanto no ambiente acadêmico como na sociedade. Os conselheiros também fazem ressalvas.

Serviço: 
XXVII Prêmio Jovem Cientista
Tema: Segurança Alimentar e Nutricional
Realização: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Inscrições: até 19 de dezembro
Informações: www.jovemcientista.cnpq.brFonte: Ascom/Consea 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Celulite x Alimentação Saudável



O que é a inflamação?

A gordura acumulada nas células faz com que elas aumentem de tamanho e também impede seu funcionamento adequado - assim, essa teia de gordura fica presa no tecido subcutâneo, causando uma inflamação. Para reverter o quadro, além de garantir o recebimento de todos os nutrientes necessários, é preciso limpar o organismo de toxinas e substâncias inflamatórias para que as células retomem seu funcionamento ideal.

Nutrientes importantes?

Os principais alimentos anti-inflamatórios são aqueles ricos em flavonoides (as frutas vermelhas e as cítricas, como a uva, a maçã, o aipo e a salsa), em licopeno (tomate, goiaba e melancia), no gingerol do gengibre, em gorduras monoinsaturadas (azeite de oliva extravirgem e do abacate), em ômegas-3 e 6 (salmão, sardinha, sementes de linhaça e chia) e em selênio (castanha-do-pará). 
Também devem entrar no cardápio cereais integrais (aveia, quinua e amaranto) e tubérculos (mandioquinha, inhame e aipim), que, por serem alimentos de baixo índice glicêmico, contêm açúcares, que entram de forma mais lenta na célula, reduzindo o risco de ocorrer acúmulo de gordura e, portanto, a celulite. "O ideal é consumir uma porção desses alimentos a cada três horas". 
 Outro item que não pode faltar é a água. Beber 2 litros por dia elimina toxinas e auxilia a circulação. Alimentos ricos nesse líquido (como melancia, melão, abacaxi, alface, alcachofra, pepino e beterraba) ajudam bastante, mas não substituem o consumo da água. 

Exercícios Físicos:

Não há exercício melhor para tonificar pernas e bumbum – com a musculatura firme por baixo da pele, as ondulações na superfície ficam menos evidentes. Se está iniciando, execute o exercício sem pesos. Caso contrário, vale usar uma barra com halteres na academia ou pesinhos em casa com orientação de um profissional.
 
Outra opção são os exercícios funcionais do pilates. Nesse método, o corpo todo fica contraído. Isso ajuda a fortalecer a musculatura e aumenta o ganho de massa magra, diminuindo a aparência da celulite. 

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Origem pouco conhecida


Pesquisa com seis grandes redes de supermercado mostra que ainda há pouca informação sobre a rastreabilidade de alimentos. Conheça as iniciativas e entenda porque é importante saber o caminho percorrido pelos produtos do campo à sua mesa

Você acorda, coa um café fresquinho. Acrescenta ao desjejum frutas com aveia e mel. É um café da manhã simples e frugal, mas, ainda assim, se quisesse saber a origem de cada item que fez parte dele, conseguiria? Hoje, a tarefa é difícil. O Idec fez uma pesquisa para saber quais informações sobre a chamada rastreabilidade de alimentos estão disponíveis nas seis maiores redes de supermercado da cidade de São Paulo (Carrefour, Dia, Extra, Pão de Açúcar, Sonda e Walmart). Os resultados mostram que o conceito ainda engatinha por aqui: quanto menos embalados, mais difícil é obter informações sobre o caminho percorrido pelos alimentos até a gôndola.

O levantamento levou em conta uma cesta de dez alimentos in natura, entre frutas, verduras, legumes e ovos. Em 42,6% dos produtos embalados havia algum tipo de informação sobre sua origem. Já entre os itens a granel, o dado praticamente inexiste: apenas um produto tinha código para rastreamento (0,06%).

Os alimentos orgânicos levaram vantagem: 56,5% dos disponíveis nos supermercados têm rastreabilidade, frente a 28,7% dos convencionais. "O próprio sistema de certificação dos produtos orgânicos já reúne várias informações que permitem a rastreabilidade. Dessa forma, depende da rede de varejo divulgá-las ao consumidor", explica Renata Amaral, pesquisadora do Idec que conduziu o levantamento.

Informar a origem e o caminho percorrido pelos alimentos até o supermercado não é obrigatório no Brasil. Assim, as iniciativas que começam a ser implementadas pelas grandes redes de varejo para levar esses dados ao consumidor são voluntárias. Entre os supermercados avaliados, o Dia foi o único em que não havia nenhum produto com rastreabilidade. Nas demais redes, a quantidade de produtos rastreados varia, assim como o nível de informações. De forma geral, o Carrefour é o que fornece mais dados sobre a origem do alimento, ainda assim, não para todos os itens avaliados. Já o Sonda, embora tenha alguns "gatos pingados" com etiqueta de rastreabilidade, não tem um programa institucional para dar consistência à iniciativa.


Fonte: IDEC. Disponível em: http://www.idec.org.br/em-acao/revista/de-onde-vem-a-sua-comida/materia/origem-pouco-conhecida

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Chia - Um super alimento


A chia (Salvia hispanica L.) é uma planta herbácea da família das lamiáceas, da qual também fazem parte o linho e a sálvia, tanto que é conhecida com "salvia hispânica". Originária do México, suas sementes já eram utilizadas como alimento pelos povos das civilizações da América Central há muitos séculos. A importância do consumo desta semente tem sido reforçada por especialistas em nutrição humana, uma vez que nela são encontrados ácidos graxos poli-insaturados essenciais, fibras, proteínas e outros nutrientes.

A chia pode ser facilmente consumida junto a saladas ou na mistura de sucos e vitaminas, além de outras receitas, na quantidade de duas colheres de sopa, que equivale a 25 gramas( por dia). Ela contém alto teor de ácidos graxos poli-insaturados essenciais, tipos de gorduras consideradas benéficas ao organismo, sendo rica em ácido graxo alfa-linolênico, também conhecido como ômega 3.
Ela também contém carboidratos considerados de baixo índice glicêmico, pois aproximadamente 34,4% da porção de 100 g da semente é composta por fibras alimentares. Por fim, a semente ainda contém compostos fenólicos sendo considerada uma fonte natural de antioxidantes. 
Sua semente é considerada como uma boa fonte proteica por possuir um alto teor de proteínas, sendo em sua maior parte aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não são produzidos pelo nosso organismo (isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e histidina). Para se ter uma ideia, precisamos consumir cerca de 50 gramas de proteínas todos os dias de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), considerando uma dieta de 2 mil calorias diárias. Isso significa que 25 gramas de chia contém 8% da proteína que precisamos em um único dia. 
Mas a chia transborda mesmo em quantidade de fibras, duas colheres de chia contêm 8,6 g delas. Como temos que consumir 25 gramas dessas substâncias ao dia, isso quer dizer que uma porção tem 34% das fibras de que precisamos diariamente!
Uma porção de 25 gramas contém 122 calorias.
Receita de suco:
Suco de limão e abacaxi com chia
Ingredientes
  • 1/2 cenoura
  • 1 maçã
  • 1/2 pepino
  • 1 colher de sopa de Chia
  • 200 ml de água de coco
  • 1 folha de couve
  • Hortelã a gosto
 Modo de preparo dos Sucos: Bata tudo no liquidificador e consuma em seguida, sem açúcar.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Hipertrofia e Nutrição




Proteínas de origem animal estão entre os alimentos indicados por possuir baixa quantidade de gordura. 

Para alcançar a hipertrofia muscular, ou seja, aumentar o volume muscular, é necessário ter uma boa alimentação, além de um treinamento específico de força e resistência. O treinamento adequado seguido por um descanso, que garanta a recuperação muscular, fatores hormonais e uma alimentação correta, são requisitos importantes e que devem ser considerados na melhoria do processo de hipertrofia muscular. 

Uma quantidade suficiente de proteínas na dieta é necessária para evitar um balanço nitrogenado negativo. Dentre os alimentos protéicos mais comuns e com alto valor biológico estão os de origem animal: leite e derivados, ovo e carnes magras em geral (frango, peixe e carne vermelha). 

Frango sem pele, carnes magras e peito de peru são alimentos que possuem proteína de qualidade e baixa quantidade de gordura. No entanto, é importante controlar o consumo de alimentos embutidos, devido às grandes concentrações de sódio e conservantes. A combinação do arroz com feijão também fornece grande quantidade de proteína. O feijão quando consumido com arroz possui uma qualidade da proteína maior, pois os aminoácidos presentes nos dois alimentos se complementam.

O consumo de soja, quinoa e amaranto, que são considerados fontes protéicas e de alto valor biológico, para aqueles que optam por uma dieta vegetariana. Os produtos a base de soja submetidos a processamentos térmicos, como no caso do tofu, apresentam maior facilidade de digestão que os grãos de soja. Já a quinoa não possui uma fonte protéica muito significativa. No entanto, sua importância é baseada na qualidade destas proteínas, principalmente a albumina e globulina, pois estas apresentam uma composição balanceada de aminoácidos essenciais semelhantes à composição de caseína, proteína do leite. A quinoa também é fonte de vitamina E e minerais, como cálcio, magnésio, ferro, cobre e zinco, além de ter em sua composição 60% de carboidrato. O carboidrato também é fundamental na dieta para hipertrofia muscular, pois ele é um dos responsáveis pela manutenção das reservas de glicogênio no fígado e no músculo, preservando a massa muscular e garantindo o bom funcionamento do Sistema Nervoso Central.

As vitaminas presentes nas frutas e os minerais presentes nos vegetais e legumes também devem fazer parte de uma boa alimentação. Segundo Tatiane, algumas vitaminas podem auxiliar os atletas ao reduzir os danos oxidantes. E os minerais são elementos importantes para os processos metabólicos, como composição de tecidos, enzimas e hormônios, além de serem reguladores do controle neural. 

A água é um dos maiores condutores de transportes de nutrientes para o interior da célula, por isto é fundamental na dieta dos atletas e das pessoas de uma maneira geral.

Tudo o que precisamos para uma boa alimentação está no nosso cardápio diário,  carne, frutas, ovos. A suplementação é como adicionar alguns octanos a gasolina e  nem sempre é necessária, no entanto está é mais concentrada e mais absortiva que os alimentos no geral. É recomendada para atletas e não para pessoas fisicamente ativas. Entre os suplementos mais recomendados estão o Whey Protein, glutamina, creatinina e o BCAA´s. 

Mas lembre-se de consultar sempre um nutricionista para auxiliar na dieta, tanto de manutenção, emagrecimento e hipertrofia.

domingo, 2 de novembro de 2014

Atletas x Pessoas fisicamente ativas


É interessante diferenciarmos atletas de pessoas fisicamente ativas. Os primeiros são esportistas profissionais que se submetem em seus treinos diários a uma carga de exercícios bastante intensa e por conta disso tem seu metabolismo e necessidades nutricionais completamente alterados e aumentados. Ao passo que pessoas fisicamente ativas são aquelas que buscam na prática de atividades físicas, a promoção da saúde, a qualidade de vida e o bem estar. 
Os cuidados nutricionais com atletas devem ser não só de melhora da performance durante os treinos e provas, mas também de reposição das perdas de vários nutrientes que ocorrem durante os exercícios. Pessoas fisicamente ativas não podem ter como referência a alimentação de atletas profissionais. 

A alimentação nos dois casos, atletas e fisicamente ativos, é uma grande aliada, mas com estratégias e objetivos diferentes.

A abordagem nutricional que segue, refere-se aos cuidados com a alimentação de pessoas fisicamente ativas, pois os atletas sim, precisam utilizar suplementos alimentares, em função do alto gasto calórico.

Carboidratos:a alimentação tanto das pessoas sedentárias como daquelas praticantes de atividades físicas deve conter, em grande parte, alimentos que fornecem carboidratos, fontes de glicose, o principal combustível do nosso corpo. 
A glicose é armazenada em nosso corpo sob a forma de glicogênio muscular e hepático. Os carboidratos são a matéria-prima para a produção do glicogênio que é a primeira e principal fonte de energia utilizada durante o exercício. Os estoques musculares e hepáticos de glicose são limitados e por isso é importante atentar para o consumo de carboidratos quando se pratica exercícios.
De 2 a 3 horas antes das atividades físicas é importante fazer uma refeição basicamente com alimentos ricos em carboidratos ou um pequeno lanche, 1 hora antes.

Após os exercícios os músculos têm "fome e sede" de carboidratos. Logo após as atividades físicas, o carboidrato é muito bem vindo, pois repõe os estoques de glicogênio, beneficiando assim a recuperação e a preparação dos músculos para atividades posteriores.

Proteínas:os alimentos fontes de proteínas (leite, iogurtes, queijos, carnes, ovos, feijões, nozes) não devem ser consumidos muito próximos do início e término das atividades físicas, uma vez que têm uma digestão mais lenta e, com isso, provocam o desconforto gástrico. 

Alimentos ricos em proteínas devem ser consumidos distantes dos horários de atividade física e de forma fracionada, ou seja, em várias refeições ao longo do dia, garantindo o melhor aproveitamento dos aminoácidos na manutenção e formação dos músculos.

Lipídios: quando a prática de atividades físicas visa o emagrecimento e a manutenção do peso corporal, os resultados são mais rápidos se houver maior controle e restrição no consumo de gorduras pela alimentação.

Assim como os alimentos fontes de proteínas, os alimentos que contém gorduras, por terem a digestão mais lenta, não devem ser consumidos próximos aos horários dos exercícios. 

Hidratação: a ingestão de água e/ou água de coco, antes, durante e após as atividades é necessária para o bom desempenho físico, manutenção dos líquidos corporais e temperatura corporal. 
Somente a água e/ou água de coco é suficiente para repor a perda hídrica e de minerais em atividades leves e moderadas (caminhada, musculação, ginástica, hidroginástica, dança). 
A ingestão de bebidas isotônicas para a reposição rápida de água e sais minerais é indicada para atletas profissionais que tem um treinamento intenso e freqüente. O uso de carboidratos em gel ou soluções com algum tipo de carboidrato simples diluído seguem o mesmo critério.