quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Introdução dos Alimentos x Amamentação


1- Como sei que esta na hora de desmamar meu filho?

A recomendação do Ministério da Saúde, assim como da Organização Mundial da Saúde, da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Academia Americana de Pediatria, é de que a amamentação seja exclusiva até os 6 meses de vida e que se estenda até aos 2 anos de idade. Na realidade, o desmame vai depender do filho, da mãe e de seu estilo de vida.
Percebe-se claramente que a criança já não necessita mais mamar no seio, quando ao invés de sugar o leite, comporta-se como se estivesse com a chupeta na boca. Outro comportamento típico é solicitar o peito materno a cada momento em que se depara com a imagem da mãe, mas, assim que oferecido, mama por poucos minutos, se tanto, e logo se envolve em outra atividade.

             2-  Quero parar de amamentar. Como faço isso sem meu filho sofrer?

O segredo é fazer tudo de maneira gradativa e a mãe se sentir bem e segura com a decisão. O desmame vai ocorrer substituindo uma mamada por algum alimento, ou mamadeira, ou copo, dependendo da idade do bebê. Escolha uma mamada para oferecer mamadeira ou copinho em vez do peito e veja qual a reação. Quando ele se habituar, vá trocando outros horários também.

3- O primeiro passo para o desmame: tente o método “não ofereça”
Isso funciona como um “teste” de quão fácil pode ser o desmame . Continue amamentando quando seu bebê pedir, mas não ofereça o peito o  tempo todo, como algumas mães acostumam fazer. Comece aos poucos a oferecer no horário das mamadas outros alimentos de acordo com a idade da criança.

4- Posso passar substâncias de gosto ruim no peito?
Não, espalhar alimentos amargos ou azedos no peito para o seu filho rejeitar a mamada é um péssimo hábito. Pode virar um trauma para bebê, que está acostumado ao momento prazeroso que é a amamentação. Isto poderá trazer problemas na introdução da alimentação.

                5- Evite seus “cantinhos de mamar”
A maioria das mães tem um ou dois lugares favoritos para mamar, uma poltrona por exemplo. Se você quiser encorajar o desmame, evite esses lugares que podem despertar no seu bebê o desejo de mamar.

6- E se os seios continuarem cheios de leite e doloridos, o que devo fazer?
Se os seios ainda estão cheios, pode ser que o desmame tenha ocorrido de maneira muito rápida. Com o bebê diminuindo as mamadas, o organismo entende que não precisa produzir tanto e reduz a quantidade de leite. Se o desmame é abrupto, não dá tempo de esse entendimento ocorrer e a produção continua igual, mesmo sem a demanda. Ordenhe suas mamas até se sentir mais confortável, mas lembre-se de não retirar todo o leite, pois o objetivo não é estimular a produção. Depois faça compressas frias nas mamas por dez minutos. Após alguns dias, se o problema não estiver resolvido, peça ajuda para um especialista.

7-   Tenho medo de não ter mais uma ligação especial com meu bebê!
Enquanto algumas mulheres têm uma incrível sensação de liberdade quando acontece o desmame, outras sentem muita falta desse ato tão prazeroso para mãe e filho. O desmame do bebê é algo natural e o amor entre ambos não vai acabar, apenas ocorrer de maneiras diferentes. É hora de valorizar outros jeitos de ligação com o filho, até para não interferir em seu desenvolvimento. O vínculo pode ser fortalecido com os cuidados diários, em um banho gostoso antes de ele adormecer, na cantiga que a mãe canta, em um colo aconchegante.

8- Será que meu filho vai ficar desnutrido?
Se a criança é saudável, forte, tem uma alimentação rica e variada, com todos os nutrientes necessários para seu desenvolvimento pleno, ela está pronta para ser desmamada. O leite poderá ser ingerido de outras formas, introduzindo o uso do copinho.

9- Mamadeira ou copinho?
A mamadeira já foi a preferida, mas o ideal é usar um copinho ou uma colher (cuidar para não engasgar, o bebe deve ficar sempre sentado). Pode parecer estranho, mas dá certo. Até mesmo bebês prematuros são alimentados dessa forma. Se o seu filho não se adaptar logo de início, você pode usar um canudo. A mamadeira tem várias desvantagens: a criança se acostuma demais com ela e irá sofrer para desapegar. O bico pode se tornar  anti-higiênico por ser difícil de limpar. Sem contar que a mamadeira pode prejudicar a formação de toda a estrutura da boca.
Dependendo da idade o leite pode ser oferecido em copos com alças.

10- Como saber qual é o  melhor tipo de leite para meu filho?
Quando a criança deixa de vez o leite materno, o leite que precisa ser introduzido é sempre o de fórmulas infantis, nunca o leite de vaca. As fórmulas lácteas são enriquecidas com nutrientes importantes para o bebê e que costumam ser escassos no leite de vaca, como é o caso do ferro. O pediatra poderá indicar qual fórmula é melhor de acordo com a idade do seu filho.

11- Caso a criança não se adapte com outro tipo de leite (sem ser o materno):
O leite é fundamental para a formação de ossos e dentes, o cálcio, muito presente no leite e seus derivados, também é importante para a saúde dos músculos, pois age nas fibras. Esse nutriente é um dos poucos em que a quantidade diária a ser ingerida varia bastante na infância. Cada faixa etária é uma recomendação.

Receita infalível: (para crianças maiores de 2 anos)
Leite integral gelado batido no liquidificador é uma opção deliciosa e que tem cara de milk shake! Para cada copo de leite, junte uma colher de sopa rasa de cacau em pó e outra de mel (mas só a partir de 1 ano de idade), ou pode ser uma fruta.

Se o seu filho não gostar de leite: ( a partir de 1 ano)
Prepare sanduíches com pão integral e queijo, misturar iogurte natural com frutas batida, ofereça torradinhas com requeijão, brócolis, espinafre, sardinha, atum, aveia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário