terça-feira, 5 de agosto de 2014

Amamentando o prematuro


Amamentar pode não ser a tarefa mais fácil do mundo, ainda mais tratando-se de um prematurinho. Mas SIM, é possível amamentar seu bebê que nasceu antes da hora! Aliás, os prematuros são os que mais se beneficiam do leite materno, pois ajuda a protegê-los contra infecções.
Quanto mais prematuro o bebê, maior é a chance de você não conseguir produzir leite logo de cara para suprir todas as necessidades dele. Isso já é esperado, portanto a culpa não é sua, e sim dos hormônios. Para a maioria desses pequenos, mamar no seio é um aprendizado lento e gradual: tudo vai depender da idade gestacional com que ele nasceu, do tamanho do bebê e de seu estado de saúde.
Mas todo esforço será recompensado; conheça as principais vantagens da amamentação:
Para a mãe:
O sangramento pós-parto diminui.
Reduzem as chances de desenvolver anemia, câncer de mama e de ovário, diabetes e infarto cardíaco.
A mulher que amamenta perde mais rápido o peso que ganhou na gravidez.
Favorece a relação afetiva com o bebê
Para o bebê:
Na amamentação, o bebê recebe os anticorpos da mãe para proteção contra diarreia e diversos tipos de infecções, principalmente as respiratórias.
O leite materno diminui as chances de o bebê desenvolver alergias, colesterol alto, diabetes e obesidade.
O aleitamento materno também ajuda a criança a desenvolver-se bem, fisicamente e emocionalmente.
É um excelente exercício para o desenvolvimento da face e da fala.
É importante para que a criança tenha dentes fortes e bonitos.
Contribui também para que o bebê tenha uma boa respiração.

Dicas para amamentar o prematuro
Pega correta: para evitar dores e fissuras nos seios, o bebê deve fazer a pega corretamente. Ele deve abocanhar boa parte da auréola, e não somente o bico do seio. A boquinha deve estar bem aberta, com o lábio inferior voltado para fora e o queixo encostado na sua pele. Monitore então a efetividade da sucção: covinhas e barulhos não são bons sinais. Quando a pega está correta, o leite sai em quantidade suficiente, o bebê engole tranqüilamente e a mãe não sente dor alguma. Peça ajuda à equipe da UTI.
Descanso: para que a produção de leite materno seja satisfatória, a mãe precisa estar descansada, isso é comprovado cientificamente! Peça à equipe da UTI para avisá-la nos horários da alimentação do bebê e aproveite os intervalos para descansar.
Evite o empedramento: quando há produção excessiva de leite, pode ocorrer enrijecimento da mama (ingurgitamento mamário) que provoca dor e atrapalha a sucção do bebê. Para evitar, massageie as mamas com movimentos circulares e se necessário faça a ordenha manual para facilitar a pega do bebê.
Apoio da família: cerque-se de pessoas solícitas que não façam cobranças ou comparações e entendam que nesse momento você deve ficar disponível aos horários e exigências da alimentação do seu filho que está na UTI.
Cuidados com os seios: para evitar fissuras, passe um pouco do leite materno nos bicos após o aleitamento ou coleta de leite. Troque o sutiã quando estiver molhado e só lave a região dos mamilos com água, sem usar hidratantes, cremes ou outros produtos.
Sem muitos conselhos: prepare-se para ouvir dicas de todo mundo. “Seu leite é fraco”, “Ele está com fome”, “Passe logo para a mamadeira”. Diante desse bombardeio, a dica é não dar ouvidos. Palpites errados são uns dos principais responsáveis pelo desmame precoce.

E mesmo que os obstáculos sejam muitos, e àrduos, toda iniciativa e esforços para que a amamentação do prematuro seja bem sucedida são extremamente válidos. Toda mãe e todo bebê têm o direito de ter a chance de vivenciar juntos esse milagre da natureza que é a amamentação. Sem pressa, sem pressão, sem medo, e sem culpa caso não dê certo.

Patricia Streb da SilvaNutricionista CRN² 4845  -  Especialista em Nutrição Materno Infantil



Nenhum comentário:

Postar um comentário