segunda-feira, 17 de março de 2014

Densidade energética

 

A qualidade nutricional da alimentação está diretamente relacionada com a saúde e longevidade. Dietas ricas em calorias, que ultrapassam as necessidades diárias são fatores de risco para a obesidade e desenvolvimento de doenças crônicas. Estudo recente foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a relação entre o custo da alimentação e a densidade energética da dieta consumida nos domicílios brasileiros. Utilizaram-se dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF-2008/2009) para identificação dos alimentos com consumo mais relevante e seus preços. De acordo com os resultados, identificou-se associação inversa entre densidade energética e preço da dieta (p < 0,05), e, no menor custo possível, obteve-se o valor máximo de densidade energética. Verificou-se que restrições no custo da alimentação resultaram na seleção de dietas com maior densidade energética, indicando que o custo da alimentação pode conduzir à adoção de dietas inadequadas no Brasil. Outra pesquisa foi realizada com o objetivo de avaliar a densidade energética da dieta de 710 adultos do município de São Paulo e fatores associados. De acordo com os resultados, apresentaram-se valores elevados da densidade energética da dieta e a relação demonstrada com outros constituintes nutricionais denotam má qualidade da dieta nessa população, o que pode estar contribuindo para crescentes taxas de excesso de peso. Os dados dos estudos evidenciam a má qualidade da alimentação das populações estudadas, sendo necessárias intervenções nutricionais de forma eficaz para que haja melhora no consumo alimentar, prevenindo o surgimento de doenças e mais casos de obesidade. 

Fontes: Ricardo, Camila Zancheta; Claro, Rafael Moreira. Custo da alimentação e densidade energética da dieta no Brasil, 2008-2009.Cad Saude Publica; 28(12): 2349-2361, dez. 2012. Marchioni, Dirce Maria Lobo; Mendes, Aline; Gorgulho, Bartira; et al. Densidade energética da dieta e fatores associados: como está a população de São Paulo? Arq Bras Endocrinol Metabol; 56(9): 638-645, dez. 2012. Saúde Pública - 11/mar/2014
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário