sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Como a nutrição pode ajudar no transtorno bipolar



A maioria dos pacientes são tratados com medicamentos que na maioria das vezes provocam efeitos colaterais, como o lítio que pode causar perda de memória, tremores e ganho de peso. Estudos mostram que pacientes com alterações neurológicas costumam ter algumas deficiências nutricionais como ômega-3, vitaminas do complexo B, minerais e aminoácidos precursores de neurotransmissores. O baixo consumo de peixes está diretamente relacionado à maior incidência de desordens mentais. Para esses pacientes a dose ideal de ômega-3 é bem mais alta, em torno de 9,6g/dia.
Os pacientes com essa desordem produzem mais vanádio o que contribui para os episódios de mania, depressão e melancolia. A vitamina C age como protetora dos malefícios causados pelo vanádio em excesso. Estudos demonstram que em torno de 80% dos pacientes há uma deficiência de alguma vitamina do complexo B associada à uma anemia, facilmente sanada com alimentos ricos nessas vitaminas como frutas, verduras, legumes e carnes magras. Já o ômega-3 é necessário, pois o cérebro precisa dele na transmissão de sinais adequados para o pensamento, humor e emoções.


Fonte:LAKHAN, S.E.; VIEIRA, K.F. Nutritional therapies for mental disorders. Nutrition Journal, v.7, n.2, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário