sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Alergia alimentar infantil

A alergia alimentar pode ser considerada como uma reação adversa a determinado alimento, envolvendo um mecanismo imunológico com apresentação clínica muito variável, como sintomas que podem surgir na pele, no sistema gastrintestinal e respiratório, podendo ser leve ou grave ao ponto de comprometer vários órgãos. De acordo com estudo recente, a evidência epidemiológica demonstrou que a alergia alimentar infantil é mais prevalente nas regiões mais afastadas do Equador, sugerindo que a deficiência de vitamina D possa desempenhar um papel importante na alergia alimentar infantil. Deste modo, investigou-se o papel da vitamina D na alergia alimentar infantil. De acordo com os resultados, constataram-se evidências primárias de que o aporte adequado de vitamina D no organismo pode ser um fator importante de proteção para alergia alimentar no primeiro ano de vida. Outro estudo foi desenvolvido com o objetivo de correlacionar os valores de imunoglobulinas E (IgE) com os resultados de testes de alergia a amendoim. De acordo com os resultados, observou-se que o componente IgE não pode substituir a provocação oral nem a determinação dos limiares da gravidade dos sintomas provocada durante o teste de sensibilidade. Os estudos evidenciam a importância de pesquisas nesta área, para melhorar a qualidade dos diagnósticos e contribuir de forma positiva para o tratamento precoce da alergia alimentar, prevenindo os possíveis agravos à saúde decorrentes dos sintomas. 



Fontes: Allen KJ; Koplin JJ; Ponsonby AL; et al. Vitamin D insufficiency is associated with challenge-proven food allergy in infants. J Allergy Clin Immunol; 131(4): 1109-16, 1116.e1-6, 2013 Apr. Eller E; Bindslev-Jensen C. Clinical value of component-resolved diagnostics in peanut-allergic patients. Allergy; 68(2): 190-4, 2013 Feb. Nutrição e Pediatria - 3/set/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário