quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Melhores Técnicas de Amamentação



Muitas mães dizem que sentem dificuldade para amamentar porque sentem dor. “A amamentação não dói. A mulher só vai sentir dor se a técnica não estiver correta. Se a criança estiver pegando só o mamilo e não abocanha toda a auréola do peito, então a mulher vai, sim, sentir dor. Então ela precisa nesse momento buscar uma UBS ou um banco de leite humano, para buscar orientação e fazer com que a amamentação seja prazerosa para ela e para o bebê”.

Assim, a melhor técnica de amamentação é:

Para começar

Escolha um lugar confortável para se sentar, que tenha um bom apoio para as costas e que não a deixe muito reclinada.  Apoie os pés em um banquinho se precisar, a fim de que a parte superior das pernas fique reta e você não tenha que forçar os músculos para manter o bebê na altura correta.
Utilize uma almofada de amamentação ou mesmo almofadas comuns e travesseiros para não sobrecarregar seus braços com o peso do bebê. Observe se você não está tensa. Relaxe os ombros, afastando-os o máximo possível das orelhas.

Posição do bebê para uma boa pega:

Existem três posições mais comuns, mas nada impede mãe e bebê de acharem uma forma mais agradável de se acomodar na hora da mamada.
A posição tradicional é a sentada, onde o bebê fica de frente pra mãe, barriga com barriga, e quanto mais colados estiverem, mais fácil é a amamentação.
Na posição sentada invertida, a mãe deve segurar o bebê como se fosse uma bola de futebol americano, colocando o corpinho debaixo de sua axila, com a barriga apoiada nas suas costelas. A mãe apoia o corpo do bebê com o braço e a cabeça com a mão. Essa posição facilita o bebê a pegar uma boa parte da auréola.
Na posição sentada, tipo cavalinho, o bebê fica sentado de frente para a mãe, barriga com barriga e boca direcionada ao mamilo e auréola. Essa posição favorece a boa deglutição e é ideal para casos de refluxo, prematuros ou bebês portadores de algumas síndromes.
Atenção! Nunca amamentar deitado. 

Como garantir uma "pega" correta

Ao abocanhar uma boa parte da mama, o bebê consegue colocar seu seio mais profundamente na boca.
Assim, o mamilo ficará no fundo da boca dele, na área em que o céu da boca (palato) já é mais macio. Posicionada desta forma, a criança consegue fazer movimentos ritmados com a língua contra a superfície da mama, a fim de sugar o leite dos ductos. O maxilar vai se mover para cima e para baixo, seguindo-se à ação da língua, e o bebê engolirá o leite à medida que ele chegar ao fundo de sua boca.
Um dos sinais de que o bebê está abocanhando bem o peito é que a parte pigmentada da mama (a auréola, em torno do mamilo) fique aparecendo o menos possível.
Esse processo deve ser completamente indolor para você, já que o mamilo estará tão no fundo da boca do bebê que não será comprimido ou beliscado.
A gengiva inferior da criança nunca tocará o seu seio, porque a língua estará entre os dois, e a parte de cima da boca dele não deve se mexer (por isso é possível continuar a amamentar mesmo depois que seu filho já tenha dentinhos).
Para ter uma boa pega, a boca do bebê deve ser levada em direção ao mamilo, e não o contrário. A mãe deve posicionar o polegar acima da auréola e o indicador abaixo, formando um ‘C’. Ao mamar, a boca do bebê deve estar bem aberta, com os lábios para fora, abocanhando quase toda a auréola e não somente o bico do peito, assim as mamadas serão grandes e espaçadas.
Quando for tirar a criança do peito, é bom usar a técnica conhecida popularmente como "técnica do dedo mínimo", onde a mãe coloca o dedo mínimo na boca da criança para enganá-la. Ela aceita trocar o bico do peito pelo dedo e, assim, não puxa o mamilo da mãe com força. Quando o bebê largar a mama, os mamilos devem estar levemente alongados e redondos.
 O tipo de mamilo também pode interferir na hora de amamentar, por isso é importante orientação para que a pega esteja correta na hora da amamentação. Basicamente existem cinco tipos de mamilos:
• Protuso; mamilo saliente,bem delimitado
• Semi protuso: mamilo pouco saliente e sem delimitação entre o mamilo e auréola
• Invertido: mamilo em sentido oposto, não exterioriza
• Pseudo – invertido: mamilo invertido que após estímulos torna-se semelhante ao semi protuso
• Hiperprotruso: mamilo exagerado.
Independente do tipo do mamilos, todos conseguem amamentar.
 Uma pega eficaz é essencial para uma amamentação bem sucedida. A dor nos mamilos é um sinal de alerta de que a pega não está adequada, o que poderá causar desconforto à mãe e interferir na alimentação do bebê. Neste caso peça ajuda a um especialista para ajudá-la nesta fase inicial.


Fonte: Pediatria em Foco

Nenhum comentário:

Postar um comentário