domingo, 21 de julho de 2013

Alimentação de gestantes



Durante a gestação a ingestão alimentar deve ser equilibrada e suficiente para manter o estado nutricional materno, além do crescimento de desenvolvimento fetal. Porém este fato não ocorre em diversos casos, como pode ser observado em estudo recente, o qual foi desenvolvido com o objetivo de identificar a prevalência do Diagnóstico de Enfermagem (DE) nutrição desequilibrada: mais do que as necessidades corporais em gestantes e verificar a associação entre o DE e as variáveis sociodemográficas e obstétricas. De acordo com os resultados, o DE pesquisado apresentou prevalência marcante nas gestantes pesquisadas, estando associado a fatores evitáveis por ações educativas voltadas ao planejamento familiar, como idade materna e paridade. Outro estudo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o impacto da suplementação na dieta de gestantes e de lactantes com ácidos graxos ômega-3 docosahexaenoico, sob a forma de óleo de peixe, e sua influência na composição do leite humano. De acordo com os resultados, é adequado incrementar com ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa a alimentação de gestantes e de lactantes, o que pode ocorrer pela suplementação da dieta com óleo de peixe, fato que pode até alterar a composição do ácido graxo no leite humano. Os estudos em relação à qualidade da alimentação das gestantes e possíveis suplementações são de grande importância, uma vez que nesta fase deve haver o acompanhamento médico e nutricional desde o início da gestação, sendo possível orientar uma alimentação adequada.


Fontes: Escolástica Rejane Ferreira Moura; Mayenne Myrcea Quintino Pereira Valente; Marcos Venícios de Oliveira Lopes; et al. Prevalência do diagnóstico de enfermagem - nutrição desequilibrada mais do que as necessidades corporais em gestantes. Acta paul. enferm. vol.25 no.4 São Paulo 2012. Bortolozo, Eliana Aparecida Fagundes Queiroz; Sauer, Elenise; Santos, Marli da Silva; et al. Suplementação com ácido graxo ômega-3 docosahexaenoico: influência sobre a composição lipídica e perfil de ácidos graxos no leite humano. Rev. nutr; 26(1): 27-36, Jan.-Feb. 2013. Nutrição e Pediatria - 19/jul/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário