segunda-feira, 6 de maio de 2013

Adolescentes: alimentação e imagem corporal




Durante a adolescência, o consumo alimentar adequado é de extrema importância para a manutenção das reservas necessárias e desempenho de atividades físicas e do dia a dia. Estudo recente foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a qualidade global da dieta e a adequação do consumo de cada componente da dieta de adolescentes segundo fatores demográficos, socioeconômicos e índice de massa corporal (IMC), através da utilização do Índice de Qualidade da Dieta (IQD). De acordo com os resultados, observou-se menor prevalência de dietas inadequadas no segmento de melhor escolaridade do chefe da família. Os estratos de menor nível socioeconômico, avaliados por renda e escolaridade, mostram um consumo inferior de verduras e legumes, frutas, leite e derivados e menor variedade da dieta e uma ingestão superior de cereais, seus derivados e leguminosas. Em relação ao estado nutricional, os adolescentes com sobrepeso/obesidade consomem mais carnes e ovos e menos frutas comparados aos que apresentam baixo peso/eutrofia. As meninas tiveram maior ingestão de gordura total e menor ingestão de sódio. Porém não são apenas os fatores demográficos, socioeconômicos e o estado nutricional que influenciam o consumo alimentar desta faixa etária. De acordo com este estudo, a percepção corporal e o comportamento alimentar são influenciados por fatores biosocioculturais, aspectos psicológicos e econômicos. Em adolescentes atletas, vulneráveis às influências e pressões, a percepção alterada da autoimagem poderá levá-los à adoção de práticas alimentares inadequadas. Deste modo, o estudo apresentou como objetivo verificar a presença de insatisfação e de alterações na percepção corporal e avaliar o consumo energético e a qualidade da dieta. Foram avaliadas 20 jogadoras de voleibol, adolescentes, quanto à antropometria (IMC para a idade, percentual de gordura), insatisfação e percepção da imagem (pela escala de Insatisfação Corporal de Adolescentes e Escalade Silhuetas) e ingestão alimentar (por meio do Recordatório-24h e Índice de Qualidade da Dieta (IQD). De acordo com os resultados, a maioria (65%) foi classificada como eutrófica, porém há insatisfação com a imagem corporal. O consumo energético é insuficiente para a maioria das atletas, havendo baixo consumo de hortaliças, leite e derivados e frutas. Os dados dos estudos evidenciam fatores que contribuem para a qualidade da alimentação dos grupos de adolescentes estudados, havendo consumo insuficiente de grupos alimentares importantes. A intervenção e orientação nutricional se faz necessária para melhorar a qualidade da alimentação e prevenir o surgimento de doenças crônicas na vida adulta.


Fontes: Daniela de Assumpção; Marilisa Berti de Azevedo Barros; Regina Mara Fisberg; et al. Qualidade da dieta de adolescentes: estudo de base populacional em Campinas, SP. Rev. bras. epidemiol. vol.15 n.3 São Paulo Sep. 2012. BISSOCHI, C. O.; JUZWIAK, C. R. Nutritional and body self-image perception assessment of female adolescent volleyball athletes. Nutrire: rev. Soc. Bras. Alim. Nutr. = J. Brazilian Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v. 37, n. 1, p. 34-53, abr. 2012. Nutrição e Pediatria - 2/maio/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário