sexta-feira, 31 de maio de 2013

Anvisa suspende produto de nutrição oral/enteral

Está interditado de forma cautelar o lote 210912 do produto Nutrição Oral/enteral, da marca Nutri Enteral. O produto foi interditado com base em um laudo de análise do laboratório de saúde pública de Santa Catarina e na notificação feita pela vigilância sanitária daquele estado.

Fonte: Imprensa Anvisa

terça-feira, 28 de maio de 2013

Anvisa mantém monitoramento do uso da sibutramina


 

A Diretoria Colegiada da Anvisa decidiu, nesta segunda-feira (27/5), manter a venda e o monitoramento de medicamentos a base de sibutramina no Brasil. A decisão, fundamentada em monitoramento do mercado do referido medicamento nacional ao longo de 2012, também sustentou as restrições já existentes para a venda do produto. Dessa forma, as regras para o uso da sibutramina permanecem as mesmas adotadas em outubro de 2011.

Naquele ano, a Agência publicou regulamento que aumentou o controle sobre a sibutramina. A
Resolução RDC 52/2011 da Anvisa estabeleceu a obrigatoriedade dos profissionais de saúde, empresas detentoras de registro e farmácias e drogarias de notificarem, obrigatoriamente, o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária sobre casos de efeitos adversos relacionados ao uso de medicamentos que contém sibutramina.

Além disso, indicou a descontinuidade do uso da sibutramina em pacientes que não obtiverem resultados após quatro semanas de uso do produto.
 

Fonte: Imprensa/Anvisa

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Anvisa promove seminário para orientar setor de alimentos


 

Estão abertas as inscrições para o VII Seminário de Orientação ao Setor Regulado na Área de Alimentos. O encontro será realizado no dia 7 de junho, das 14h às 18h, na sede da Anvisa, em Brasília.

Os interessados devem solicitar sua inscrição por meio do e-mail
cerimonial@anvisa.gov.br até o dia 31 de maio, informando os seguintes dados: razão social/nome fantasia do serviço de alimentação, endereço completo do serviço, nome completo do participante e contato (telefone e e-mail).

Estão sendo oferecidas 150 vagas, que serão preenchidas segundo a ordem de chegada das inscrições. Aqueles que encaminharem a inscrição devem aguardar mensagem confirmando a participação. O Seminário será transmitido
online
, sendo o link para acesso disponibilizado no dia do evento.

O tema abordado nesta edição será o Projeto-Piloto de Categorização dos Serviços de Alimentação.

Esse Projeto-Piloto será implantado nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 que aderirem à iniciativa. A proposta consiste em classificar os serviços de alimentação selecionados com base em um instrumento de avaliação elaborado a partir da Resolução RDC 216/2004 da Anvisa, que trata das Boas Práticas para os Serviços de Alimentação. Os resultados dessa classificação serão divulgados aos consumidores de forma clara e ostensiva.




Fonte: Imprensa/Anvisa

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Procon determina que Predilecta retire polpa e molho de tomate de todos os mercados do Rio


 
O Procon-RJ notificou, por determinação da Secretaria Estadual de Defesa do Consumidor, a fabricante Predilecta para que faça a retirada imediata dos produtos polpa de tomate natural e molho de tomate refogado das prateleiras de todos os estabelecimentos comerciais do Estado do Rio. A determinação foi tomada depois de, na semana passada, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro ter determinado a suspensão da venda dos produtos, em que foram encontrados pelos de animais.
 
Segundo o Procon-RJ, a Predilecta enviou um email na tarde desta quarta-feira informando que já acionou as equipes de distribuição para que seja feito o recolhimento do produto.
Os lotes que estão sendo retirados dos estabelecimentos comerciais são:
 
Polpa de tomate natural: lote 390M23SA
Molho de tomate refogado: lote L134S/RT
 
O Procon-RJ informou que fará vistoria nesta quinta-feira em diversos estabelecimentos para verificar se os lotes da polpa de tomate natural e do molho de tomate refogado foram, de fato, recolhidos das prateleiras.
 
A deputada estadual e secretária de Proteção e Defesa do Consumidor Cidinha Campos disse que a determinação para a retirada se baseou no Código de Defesa do Consumidor (CDC), que afirma serem impróprios para consumo os produtos deteriorados, alterados, adulterados, avariados, falsificados, corrompidos, fraudados, nocivos à vida ou à saúde.
 
- É preciso que os órgãos se unam em defesa do consumidor. A Secretaria Estadual de Saúde deu o laudo atestando a presença de pelo nesses alimentos e nós corremos atrás para obrigar a empresa a retirar do mercado imediatamente. Aqui, no Procon, a gente pega sempre problema cabeludo - disse Cidinha.
 
Procurada pelo EXTRA, a Predilecta ainda não se pronunciou sobre a decisão.
 


Fonte: Extra - online

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Anvisa discute autorização de empresas e sibutramina

 

A reunião pública da Diretoria Colegiada da Anvisa, marcada para segunda-feira (27/5), vai discutir uma proposta de consulta pública para revisar as regras referentes à autorização de funcionamento de empresas no país. Conhecido pela sigla AFE, o documento é necessário para qualquer empresa que atue na área dos produtos regulados pela Anvisa como medicamentos, cosméticos, alimentos, entre outros.

Também está na pauta dos diretores a continuação da análise do relatório de avaliação da implementação da RDC 52/2011, que impôs normas mais rígidas para a Sibutramina.

Os diretores ainda avaliarão 23 recursos administrativos de empresas das áreas de medicamentos, alimentos e cosméticos. A a reunião pública acontecerá na próxima segunda-feira (27/5), a partir das 13h30, na sede da Anvisa, em Brasília (DF).



Fonte: Imprensa/Anvisa

terça-feira, 21 de maio de 2013

Consumidora encontra ‘corpo estranho’ em molho refogado de tomate da Predilecta


Molho de tomate? Conteúdo do molho refogado Predilecta comprado pela decoradora Elizabeth / Rafaella Torres
Foto: Rafaella Torres


No último dia 4, a decoradora Elizabeth Avellar estava preparando um almoço para filha e os netos. Ao tentar colocar o molho refogado de tomate da marca Predilecta na panela, percebeu que havia algo duro dentro da embalagem. Insistiu, achando que o conteúdo estava rígido, talvez congelado, por estar na geladeira há dois dias. Quando o molho saiu da embalagem plástica, no entanto, era algo estranho e que não se parecia com nenhum dos ingredientes do produto.
— Fiquei apavorada. Saiu algo que eu não sei nem descrever o que é. A primeira coisa que fiz, foi olhar o prazo de validade e estava dentro do permitido. Minha filha sugeriu fotografar tudo e mandar para a empresa. E eu decidi não tirar tudo de dentro da embalagem para levar o conteúdo para ser submetido a um teste — conta Elizabeth.
A primeira reação de Rafaella Tores, filha de Elizabeth, foi fotografar o que saiu da embalagem, assim como os principais dados do produtos, como o lote (L 134 S/R T) e a validade (junho de 2014). No mesmo dia, um sábado, tentou contato telefônico com o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da Predilecta. Mas como o canal de comunicação só funciona de segunda a sexta-feira, decidiu mandar um e-mail.

— No site, há um campo para enviar anexo. Mas não consegui enviar as fotos tiradas de jeito nenhum. Por isso, optei por mandar apenas a mensagem contando o que ocorreu. Até agora, ninguém entrou em contato comigo, não responderam à mensagem — afirma Rafaella. — Fiquei muito decepcionada. Fiquei realmente assustada. Eu também usava esta marca. Agora, Predilecta nunca mais.

Decidida a não desistir de entender o que havia ocorrido, Elizabeth guardou a embalagem e o que havia saído dela até a semana passada. Mas, frente à falta de resposta da Predilecta e à falta de tempo, acabou desistindo e jogou tudo no lixo.
— O pior é que antes eu já havia usado o molho e cozinhado para mim. Ou seja, comi aquele molho contaminado. A gente come coisas lacradas o tempo inteiro. E isso acabou com o nosso almoço em família, ninguém mais quis comer. Acabamos comendo macarrão passado só na manteiga — diz a decoradora.

Procurada diversas vezes desde a semana passada sobre o corpo estranho encontrado pela decoradora Elizabeth dentro do molho refogado, a Predilecta não enviou qualquer resposta ao GLOBO.

Segundo a diretora de Atendimento do Procon-SP, Selma do Amaral, ao encontrar algo estranho em um alimento ou medicamento, a primeira coisa a fazer é não consumi-lo mais. Além disso, é preciso anotar todos os dados da embalagem, especialmente o número de lote, pois ele fornece informações importantes sobre o procedimento de produção, para passá-lo às autoridades sanitárias e aos órgãos de defesa do consumidor.

— Além de fotografar, se possível, é preciso entrar em contato com o fabricante, já que pode haver um problema em todo um lote e mais pessoas podem estar em risco. A empresa precisa ser notificada para verificar o que houve. Pode haver falhas, por exemplo, no processo de fabricação. Temos casos bem recebidos pelo fabricante, que reviu o processo de produção e mudou. E, dependendo do caso, podem ser necessários laudos e até mesmo perícia.

Polpa de tomate com pelo de animal
Ao ser perguntada sobre o pelo de animal encontrado em polpa de tomate da mesma marca, na semana passada, Elizabeth desabafa:

— Não encontro palavras para uma história dessas. Uma empresa assim deve ficar fechada. Isso é um crime. É um absurdo. Nunca mais vou comprar essa marca, não quero nada produzido por ela. E se o que encontrei fosse líquido e estivesse totalmente misturado ao molho? Comeríamos algo impróprio sem nem saber.
No último dia 16, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio determinou a suspensão de venda e uso do lote 390 M23 SA da polpa de tomate natural da marca Predilecta, com validade até 30 de setembro deste ano, depois de encontrar pelo de animal no alimento em teste de Pesquisa de Matérias Estranhas. Todos os estabelecimentos comerciais no estado foram orientados pelo órgão a retirar o produto das prateleiras. Além disso, as vigilâncias sanitárias das secretarias municipais de saúde devem inspecionar supermercados para verificar se a determinação está sendo cumprida. De acordo com a secretaria, o teste não especificou de qual animal era o pelo.
Sobre o teste que identificou pelo de animal na polpa de tomate, a fabricante disse que não foi notificada e, por isso, não se pronunciaria a respeito.

O que fazer ao identificar algo estranho num alimento
Segundo Selma, do Procon-SP, não responder ao consumidor diz muito contra a empresa, já que é preciso ter garantia de qualidade em toda a cadeia de produção alimentar e a informação é essencial.

Já o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) lembra que o Código de Defesa do Consumidor (CDC) dispõe no artigo 8 que “os produtos e serviços colocados no mercado de consumo não acarretarão riscos à saúde ou segurança dos consumidores”, entretanto, verifica-se que frequentemente os consumidores têm sofrido com o descaso apresentado por algumas empresas no que diz respeito à segurança do produto colocado no mercado.

— O CDC estabelece que o fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos decorrentes de fabricação, manipulação, apresentação ou acondicionamento de seus produtos — explica o advogado do Idec Daniel Mendes.

De acordo com o Idec, o consumidor que encontrar o produto fora das condições esperadas para o consumo, deve trocá-lo ou requerer o ressarcimento do valor pago ao estabelecimento onde o adquiriu, apresentando o comprovante de compra do produto (nota ou cupom fiscal). Caso o consumidor tenha o produto, mas não possua o comprovante de compra, deverá entrar em contato com a empresa fabricante e requisitar o ressarcimento do valor pago. Cabe ainda, mesmo que o consumidor tenha sido ressarcido do valor pago, informar o SAC da empresa responsável, para as medidas necessárias sobre o referido lote, para que mais pessoas não sejam prejudicadas.

O consumidor que tiver consumido o produto e sofrido danos em decorrência de sua adulteração poderá ingressar com ação judicial para requerer uma indenização. Neste caso, o consumidor deverá invocar o artigo 12 do CDC. A legislação garante que o consumidor lesado seja inteiramente ressarcido, portanto, caso ele tenha sido internado, ou tenha gasto dinheiro com remédios, ele também terá o direito ao ressarcimento desses valores.

Segundo a Superintendência de Vigilância Sanitária do Estado do Rio, em casos como o citado, o consumidor deve entrar em contato com a vigilância sanitária do município para formalizar a denúncia, por meio telefônico ou eletrônico. Em nota, informou que, preventivamente, os órgãos municipais de vigilância sanitária devem realizar, por rotina, a coleta de vários produtos alimentícios disponíveis no mercado no intuito de verificar sua qualidade. As fábricas também são periodicamente inspecionadas pelas vigilâncias sanitárias estadual ou municipal, quando é verificado se são respeitadas as boas práticas de fabricação.


Fonte: O Globo - Online

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Empresas descumprem lei que proíbe venda casada de lanches com brinquedos no Rio de Janeiro


Levantamento realizado pelo Instituto Alana aponta que apenas uma – entre sete grandes cadeias de fast food na capital fluminense – vem respeitando a lei municipal

Mais de três meses depois de aprovada lei na cidade do Rio de Janeiro que proíbe a venda casada de lanches com brindes, apenas uma entre sete grandes redes de fast food parou de vender esses kits. Um levantamento feito pelo Instituto Alana mostrou que apenas o Burger King entre sete grandes cadeias de fast food que atuam na capital carioca está cumprindo a lei 5.528/2012, do vereador Marcelo Piuí (PHS), e mudou sua política de comunicação mercadológica dirigida a crianças. A lanchonete deixou de distribuir brinquedos no seu combo Clube BK. Habib’s, McDonald’s, Giraffa´s, China in Box, Gendai e Bob’s continuam, ilegalmente, promovendo seus lanches para crianças apoiadas na venda casada com brinquedos que apelam a esse público.

Na última semana, o Instituto Alana entregou uma representação ao Procon Carioca e do Estado do Rio de Janeiro e ao Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública do RJ,  pedindo que esta lei seja fiscalizada e que medidas cabíveis sejam aplicadas em caso de descumprimento da norma. O documento foi entregue também ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério           da Justiça (DPDC-Senacon-MJ), à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal e ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Pesquisas, como um recente estudo do American Marketing Association, mostram que o uso de brinquedos, muitas vezes colecionáveis, são grandes motivadores para as crianças adquirirem seus lanches, muitas vezes com alto teor de sal, gorduras e açúcar. Alimentos que, ingeridos em excesso e com habitualidade, podem causar diversos problemas de saúde e agravar os índices de obesidade infantil.

Fora da lei
Embora a lei 5.528/2012 regule a questão no âmbito municipal, o que faz com que possa e deva ser fiscalizado pelo Procon carioca, a venda casada de lanches e brindes vem sendo debatida no Brasil e internacionalmente, e já é proibida pelo Código de Defesa do Consumidor e, portanto, passível de fiscalização pelos outros órgãos aos quais foi entregue  a representação.

No entanto, devido ao contínuo uso da prática pelas redes de fast food, o município do Rio de Janeiro entendeu ser necessário reforçar a norma federal no âmbito local. Em São Paulo, uma lei que regulava o tema foi vetada pelo governador Geraldo Alckmin no início do ano, apesar de ter sido aprovada pelos deputados estaduais. Assim, a prática ilegal continua sendo promovida pelos restaurantes no estado, assim como em várias cidades brasileiras.


Fonte: Instituto Alana

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Cirrose hepática X Estado nutricional

A cirrose hepática pode ser definida anatomicamente como um processo difuso de fibrose e formação de nódulos, acompanhando-se freqüentemente de necrose hepatocelular. Apesar das causas variarem, todas resultam no mesmo processo, os quais podem ser assintomáticos ou se manifestarem de forma severa. De acordo com estudo recente, a desnutrição é um importante fator que interfere no prognóstico de crianças e adolescentes com cirrose. Deste modo, o estudo apresentou como objetivo avaliar o estado nutricional e a adequação da ingesta alimentar de crianças e adolescente com cirrose, sendo constatado que a associação de parâmetros antropométricos, clínicos e dietéticos deve ser utilizada para que se possa chegar a um diagnóstico nutricional coerente e intervenção nutricional efetiva. Outra pesquisa relaciona a importante função do fígado, quando na presença de cirrose e a presença de desnutrição. Enfatiza ainda que independentemente da etiologia da cirrose, a desnutrição está associada a um mal prognóstico, sendo que a intervenção precoce é de grande importância para a reposição de nutrientes, podendo melhorar a qualidade de vida, diminuir complicações e auxiliar no preparo de transplante. Os dados dos estudos destacam a importância da alimentação e estado nutricional na presença da cirrose, sendo necessário o diagnóstico precoce e intervenção nutricional nestes pacientes, para promoção da qualidade de vida e auxílio no tratamento.


Fontes: Cristina Toscani Leal Dornelles, Daniele Santetti, Maria Inês Wilasco, et al. Risco nutricional e desnutrição em crianças e adolescentes com cirrose: o papel da avaliação nutricional. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 56 (1): 51-56, jan.-mar. 2012. Robin Rivera Irigoin, Jimena Abilés. Soporte nutricional en el paciente con cirrosis hepática. Gastroenterología y Hepatología. Volume 35 (8): 594- 601, October 2012. 15/maio/2013 - Nutrição Clínica

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Anvisa suspende lote de anabolizante falsificado



A Anvisa determinou, nesta quarta-feira (15/5), a suspensão da distribuição, comércio e uso, em todo país, de dois lotes do anabolizante Hormotrop (somatropina), pó para suspensão injetável, por se tratar de objeto de falsificação. Segundo o Laboratório Químico Farmacêutico Bergamo, fabricante do medicamento original, os produtos com descrição de lote no cartucho CE00971 e descrição de lote no frasco CE00888 nunca foram comercializados pela empresa.
Fonte: Imprensa / Anvisa

terça-feira, 14 de maio de 2013

Publicadas diretrizes para categorização de restaurantes


O Ministério da Saúde aprovou as diretrizes nacionais do projeto-piloto de categorização dos serviços de alimentação. A iniciativa está sendo preparada com foco na Copa do Mundo de 2014 e tem como objetivo classificar os estabelecimentos de alimentação de acordo com o seu grau de segurança. O projeto também deve ampliar a comunicação e a transparência com os consumidores, já que a classificação dos bares, lanchonetes e restaurantes será divulgada.
Todos os estabelecimentos participantes serão classificados em cinco grupo, de acordo com o sistema de pontuação. De um a quatro, serão classificados os estabelecimentos com qualidade sanitária aceitável. No quinto grupo serão incluídos os de qualidade insatisfatória.


Com a publicação da portaria, os municípios que serão sede da Copa 2014 têm 15 dias para fazer a adesão ao projeto. O número mínimo de estabelecimentos que serão classificados varia de acordo com o tamanho da cidade. Em São Paulo e no Rio de Janeiro serão, no mínimo, 210 participantes. Já em cidades com o Cuiabá, Fortaleza e Manaus, serão 80 estabelecimentos.

O projeto também prevê o repasse de recursos financeiros para que as cidades façam a categorização. O financiamento será repassado até o próximo dia 15 de junho, após a apresentação da proposta para a Anvisa. As cidades que não serão sede da Copa também poderão aderir ao projeto, mas neste caso não haverá o incentivo financeiro.

A expectativa é que a categorização dure dois anos. Após a Copa, os resultados do projeto serão avaliados, e ele pode ser estendido a todo o país.




Fonte: Imprensa/Anvisa

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Alimentação e saúde em idosos

 



A alimentação na terceira idade deve ser realizada de forma adequada, uma vez que nesta fase da vida, é comum haver restrição alimentar devido à doenças crônicas e ao mesmo tempo, as necessidades nutricionais devem ser atendidas para manter e recuperar o estado nutricional. Neste contexto, estudo recente foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a qualidade da dieta de 73 idosos do município de Avaré (SP) através do Índice de Alimentação Saudável (IAS). De acordo com os resultados, foram encontrados 32,9% de idosos com uma dieta de má qualidade; 60,3% necessitando de melhorias e 6,8% com uma dieta de boa qualidade. Outra pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de verificar os fatores associados ao estado nutricional de uma população de idosos longevos vivendo em comunidade no sul do Brasil. De acordo com os resultados, a prevalência de baixo peso foi de 27,3% nos homens e 12,8% nas mulheres e foi positivamente associada à função cognitiva alterada e inversamente relacionada ao uso de mais medicamentos. O excesso de peso afetou 25,5% dos homens e 53,8% das mulheres e foi negativamente associado a não saber ler e positivamente associado ao sexo feminino. Os dados dos estudos evidenciam situações em relação ao estado nutricional dos idosos avaliados, sendo destacados fatores de risco para tal. Deste modo, deve haver maior cuidado em relação à orientação nutricional desta população e aos seus cuidadores, com o objetivo de melhorar a oferta de alimentos, estado nutricional e saúde dos idosos. 


Fontes: Elaine Caroline Boscatto; Maria de Fátima da Silva Duarte; Raildo da Silva Coqueiro; et al. Estado nutricional de idosos longevos e fatores associados. Rev. Assoc. Med. Bras. vol.59 n.1 São Paulo Jan./Feb. 2013. Maíra Barreto Malta; Silvia Justina Papini; José Eduardo Corrente, et al. Avaliação da alimentação de idosos de município paulista – aplicação do Índice de Alimentação Saudável. Ciênc. saúde coletiva vol.18 n.2 Rio de Janeiro Feb. 2013. Saúde Pública - 13/mai/2013

terça-feira, 7 de maio de 2013

Alimentos Funcionais na Promoção da Saúde


 


Os alimentos funcionais são alimentos ou ingredientes que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produzem efeitos benéficos à saúde, sendo considerados promotores de saúde e podem estar associados com a diminuição dos riscos de algumas doenças crônicas.
Muitos estudos têm sido desenvolvidos na área, como pode ser observado através de pesquisa recente, a qual verificou as possíveis atividades biológicas causadas pelo consumo diário de linhaça em diferentes condições de preparo, em ratos Wistar machos recém-desmamados. De acordo com os resultados, o consumo de linhaça, seja como grão cru, assado ou óleo, apresentou atividade biológica em ratos, destacando-se por reduzir os níveis de glicose, triglicerídios e colesterol. Além disso, o consumo do grão de linhaça aumentou significativamente o volume do bolo fecal e a excreção de lipídeos nas fezes.
Outra pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de identificar o conhecimento veiculado em periódicos brasileiros e estrangeiros sobre alimentos funcionais e clínica geriátrica. De acordo com alguns dados destacados no estudo,  o consumo diário de 15 mg de licopeno aumentou significativamente a proteção às lipoproteínas do estresse oxidativo. A soja está sendo relacionada à redução do risco de câncer de mama, osteoporose, deficiência cognitiva e efeitos da menopausa. O consumo diário de 10 g de linhaça promove alterações hormonais associadas com a redução do risco de câncer de mama. O consumo diário de 35 g de peixe pode reduzir o risco de morte por infarto no miocárdio. O selênio na dose diária de 75 μg para homens e 60 μg para mulheres, maximiza a atividade antioxidante da enzima glutationa peroxidase.
Os alimentos funcionais são alvo de diversas pesquisas, como as desenvolvidas em animais para depois serem extrapoladas ao consumo humano e as pesquisas que já chegaram a conclusões em relação ao consumo destes alimentos e a saúde dos indivíduos. Deste modo, é de extrema importância que estes estudos continuem e seus resultados sejam divulgados de forma adequada, colaborando para a orientação nutricional e prevenção de doenças através do consumo dos alimentos funcionais.


Fontes: Anne y Castro Marques; Tiffany Prokopp Hautrive; Guilherme Barcellos de Moura; et al. Efeito da linhaça (Linum usitatissimum L.) sob diferentes formas de preparo na resposta biológica em ratos. Rev. Nutr. vol.24 n.1 Campinas Jan./Feb. 2011.
Castro e Silva, Igor Marcelo; Sá, Emmanuela Quantal Callou de. Alimentos funcionais: um enfoque gerontológico. Rev. Soc. Bras. Clín. Méd; 10(1) jan/fev, 2012.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Adolescentes: alimentação e imagem corporal




Durante a adolescência, o consumo alimentar adequado é de extrema importância para a manutenção das reservas necessárias e desempenho de atividades físicas e do dia a dia. Estudo recente foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a qualidade global da dieta e a adequação do consumo de cada componente da dieta de adolescentes segundo fatores demográficos, socioeconômicos e índice de massa corporal (IMC), através da utilização do Índice de Qualidade da Dieta (IQD). De acordo com os resultados, observou-se menor prevalência de dietas inadequadas no segmento de melhor escolaridade do chefe da família. Os estratos de menor nível socioeconômico, avaliados por renda e escolaridade, mostram um consumo inferior de verduras e legumes, frutas, leite e derivados e menor variedade da dieta e uma ingestão superior de cereais, seus derivados e leguminosas. Em relação ao estado nutricional, os adolescentes com sobrepeso/obesidade consomem mais carnes e ovos e menos frutas comparados aos que apresentam baixo peso/eutrofia. As meninas tiveram maior ingestão de gordura total e menor ingestão de sódio. Porém não são apenas os fatores demográficos, socioeconômicos e o estado nutricional que influenciam o consumo alimentar desta faixa etária. De acordo com este estudo, a percepção corporal e o comportamento alimentar são influenciados por fatores biosocioculturais, aspectos psicológicos e econômicos. Em adolescentes atletas, vulneráveis às influências e pressões, a percepção alterada da autoimagem poderá levá-los à adoção de práticas alimentares inadequadas. Deste modo, o estudo apresentou como objetivo verificar a presença de insatisfação e de alterações na percepção corporal e avaliar o consumo energético e a qualidade da dieta. Foram avaliadas 20 jogadoras de voleibol, adolescentes, quanto à antropometria (IMC para a idade, percentual de gordura), insatisfação e percepção da imagem (pela escala de Insatisfação Corporal de Adolescentes e Escalade Silhuetas) e ingestão alimentar (por meio do Recordatório-24h e Índice de Qualidade da Dieta (IQD). De acordo com os resultados, a maioria (65%) foi classificada como eutrófica, porém há insatisfação com a imagem corporal. O consumo energético é insuficiente para a maioria das atletas, havendo baixo consumo de hortaliças, leite e derivados e frutas. Os dados dos estudos evidenciam fatores que contribuem para a qualidade da alimentação dos grupos de adolescentes estudados, havendo consumo insuficiente de grupos alimentares importantes. A intervenção e orientação nutricional se faz necessária para melhorar a qualidade da alimentação e prevenir o surgimento de doenças crônicas na vida adulta.


Fontes: Daniela de Assumpção; Marilisa Berti de Azevedo Barros; Regina Mara Fisberg; et al. Qualidade da dieta de adolescentes: estudo de base populacional em Campinas, SP. Rev. bras. epidemiol. vol.15 n.3 São Paulo Sep. 2012. BISSOCHI, C. O.; JUZWIAK, C. R. Nutritional and body self-image perception assessment of female adolescent volleyball athletes. Nutrire: rev. Soc. Bras. Alim. Nutr. = J. Brazilian Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v. 37, n. 1, p. 34-53, abr. 2012. Nutrição e Pediatria - 2/maio/2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Alimentação e sono




O estilo de vida saudável, assim como alimentação equilibrada, atividade física e horas suficientes de sono são práticas que colaboram para a saúde e qualidade de vida. A associação dessas práticas contribui para a longevidade e pode estar relacionada à prevenção de alguns tipos de doenças.
De acordo com estudo recente, há um aumento concomitante da obesidade com uma redução média das horas de sono entre os americanos. Deste modo o estudo foi desenvolvido com o objetivo de determinar os efeitos da restrição parcial do sono sobre a ativação neuronal em resposta à estímulos alimentares. De acordo com os resultados, o sono reduzido pode levar a maior propensão de aumento na ingestão alimentar na população estudada.
Outro estudo foi desenvolvido para avaliar os efeitos do consumo de alimentos funcionais ricos em ácido docosahexaenóico (DHA) por gestantes e avaliar o padrão de sono dos recém-nascidos nas primeiras 48 horas pós-parto. De acordo com os resultados do estudo, a oferta no pré-natal de DHA na dieta tem um impacto benéfico sobre a organização do sono infantil.
Os dados dos estudos enfatizam a importância do consumo alimentar adequado e sua associação com o sono, sendo ambas práticas que devem ter início precoce, garantindo assim a qualidade de vida.


Fontes: St-Onge MP; McReynolds A; Trivedi ZB; et al. Sleep restriction leads to increased activation of brain regions sensitive to food stimuli. Am J Clin Nutr; 95(4): 818-24, 2012 Apr.
Judge MP; Cong X; Harel O; et al. Maternal consumption of a DHA-containing functional food benefits infant sleep patterning: an early neurodevelopmental measure. Early Hum Dev; 88(7): 531-7, 2012 Jul.