terça-feira, 30 de abril de 2013

Alimentação Saudável


ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL, devemos iniciar na infância!!!:

Os alimentos saudáveis fazem parte dos hábitos alimentares regionais, onde devemos estimular o consumo desses alimentos naturais pois possuem alto valor nutritivo.
No desenho acima, mostra como deve ser a proporção de alimentos que devemos consumir!!! 


Ao longo do tempo, a forma com que os alimentos foram vistos e o tipo de alimentos que passaram a ser mais consumidos pela população mudaram muito. Por exemplo, por volta da década de 1950, grande parte das famílias brasileiras plantava, criava animais e fazia as próprias comidas que consumiam, como fabricando doces, queijos, linguiça e assim por diante.
No entanto, o excedente do alimento com o tempo passou a ser comercializado; com o desenvolvimento da indústria alimentícia, de eletrodomésticos como a geladeira, com o ritmo de trabalho e com o salário mensal surgiu a necessidade de estocar e conservar esses alimentos, pois as pessoas compravam alimentos para o mês inteiro. Tornou-se preciso também uma maior variedade de alimentos e facilidade na hora de prepará-los.
O resultado é que, infelizmente, muitos desses produtos são mais vendidos pela aparência e sabor e não pelo aspecto nutritivo. Não é só em casa que isso acontece, mas nos ambientes escolares também. Principalmente em escolas particulares, onde os alunos que não levam lanche de casa costumam comprar nas cantinas, que oferecem mais alimentos industrializados, ricos em açúcar e gordura.
Sendo assim, mesmo se alimentando regularmente, as crianças e os adolescentes – bem como a maioria da população - carecem de vitaminas e de nutrientes fundamentais para o organismo. Isso leva a uma maior incidência de casos de doenças cardiovasculares e do sangue, como pressão alta, diabetes, colesterol alto, hipertensão e assim por diante.
Assim, diversos setores da sociedade estão promovendo mudanças para divulgar uma alimentação saudável. Uma dessas foi feita pelo Ministério da Saúde, ao lançar o Manual das Cantinas Escolares Saudáveis: promovendo a alimentação saudável, com o objetivo de incentivar as escolas particulares a oferecerem lanches menos calóricos e com maior valor nutritivo aos alunos em suas cantinas.

No entanto, uma alimentação saudável deve significar prazer e saúde. O enforque deve ser sobre alimentos produzidos na região, in natura e que possuam alto valor nutritivo. Os principais são:
  • Cereais, raízes e tubérculos: São ricos em carboidrato complexo que fornece energia para realizar as atividades do dia a dia e atividades físicas. Por isso, devem ser consumidos em maior quantidade todo dia.
Exemplos: trigo, arroz, milho, centeio, cevada, aveia, pães, massas, batata, cará inhame, mandioca.
  • Frutas, verduras e legumes: São alimentos ricos em fibras, vitaminas e minerais. Mantendo a saúde e o bom funcionamento do organismo, devendo ser consumidos em grande quantidade durante o dia.
Exemplos: maçã, banana, mamão, laranja, cenoura, beterraba, abobrinha, abóbora, pepino, agrião, cebola, acelga, couve, brócolis, aipo etc.
  • Leguminosas: Ricos em proteínas vegetais, ferro e fibras. Mas, exigem atenção quando forem consumidos, devendo ser em menor quantidade que os anteriores.
Exemplos: feijão, lentilha, ervilha, soja, grão de bico etc.
  • Alimentos de origem animal: Esses também precisam ser ingeridos em menor quantidade. São alimentos ricos em cálcio e proteínas, essenciais para a manutenção da saúde, fortalecimento, crescimento e formação de pele, unhas, cabelo, dentes e ossos.
Exemplos: carnes (frango, peixe e carnes vermelhas), leite, queijos e iogurte.

Veja que os alimentos saudáveis são gostosos, pelo menos são considerados assim pela maioria das pessoas e que, além da escolha, é preciso pensar bem na quantidade em que são ingeridos durante o dia.

Os alimentos que são considerados como não sendo saudáveis são os que estão nos seguintes grupos:
  • Açúcares: doces, balas, chocolates, sorvetes, refrigerantes, bolachas recheadas, chicletes etc.;
  • Gorduras: frituras, óleos vegetais, margarina, manteiga, fast food,maionese, requeijão etc.;
  • Com excesso de sal: alimentos industrializados, como salgadinhos, molhos e temperos prontos, sopas industrializadas etc.
Esses alimentos devem ser consumidos em pouquíssima quantidade, pois trazem riscos à saúde quando consumidos em excesso.

Estamos mais do que na hora de nos preocuparmos com a qualidade nutricional da alimentação, principalmente das crianças, pois hábitos alimentares introduzidos erroneamente, terão consequências para o restante da vida, como aparecimento de diabetes, obesidade, hipertensão arterial, entre outras.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Quiz: Rotulagem Nutricional





Você consegue avaliar se um alimento tem sal, açúcar ou gordura demais somente olhando seu rótulo?


Teste seus conhecimentos sobre as informações nutricionais dos alimentos neste quiz, que estará aberto do dia 22 de abril até 5 de maio de 2013!

O Idec está participando de uma campanha promovida pela Consumers International pela rotulagem nutricional clara em todos os alimentos embalados, para que os consumidores possam fazer uma escolha bem informada e mais saudável sobre os alimentos que irão consumir.

Os resultados serão apresentados na 66a Assembleia Geral da Organização Mundial da Saúde (em Maio de 2013, na Suíça), com o objetivo de pressionar os governantes de inúmeros países a tomar atitudes que ajudem os consumidores a escolher uma alimentação mais saudável.

A rotulagem nutricional clara é uma das ações. Outras iniciativas também incluem: limitar a publicidade de alimentos e bebidas para o público infantil, estabelecer metas de redução de sal, açúcar e gorduras nos alimentos processados e a taxação de alimentos processados com excessiva quantidade desses nutrientes.

Junte-se aos consumidores do Brasil, Holanda, Hungria, Índia, Indonésia, México, Canadá, Eslovênia e Zimbábue que já participaram!



Acesse: http://consumerfoodquiz.polldaddy.com/s/idec


Fonte: IDEC

domingo, 28 de abril de 2013

Pesquisa de vigilância sanitária atinge marca de mil municípios


Mais de mil municípios já responderam à pesquisa da Anvisa sobre a vigilância sanitária no país. A marca foi atingida na última semana e faz parte do esforço da Agência para conhecer a realidade e a estrutura das vigilâncias de todo o país.
Os municípios que já enviaram seus formulários representam mais da metade da população brasileira, mas ainda há estados em que o grau de participação é baixo e precisa aumentar. É o caso dos estados do Acre, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Piauí e Rondônia. Em todas estas unidades, menos de 5% dos municípios do estado já enviaram seus questionário.


De acordo com o diretor de Coordenação e Articulação do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária da Anvisa, Jaime Oliveira, a informação é fundamental para a melhor organização e planejamento da vigilância no Brasil. “É com base nessas informações que poderemos formular estratégias concretas e exequíveis de fortalecimento do Sistema”, explica o diretor. Segundo Jaime, a Agência vai intensificar as ações com os gestores de saúde para ampliar o número de municípios participantes. “Assim teremos uma visão mais clara e representativa da situação da vigilância sanitária no país”.

100% de Participação

O destaque positivo da pesquisa até agora fica por conta do estado de Sergipe, onde todos os 75 municípios já responderam ao questionário da pesquisa. De acordo com o Coordenador da Vigilância Sanitária do estado, Antônio de Pádua Pombo, a estratégia para esta marca envolveu um diálogo próximo com os novos prefeitos eleitos e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Sergipe. “Tivemos dois momentos importantes; o primeiro com a acolhida dos novos prefeitos pelo governo do estado e o segundo com a recepção aos novos secretários de saúde”, resume Pádua.

Para o representante de Sergipe, o diagnóstico que está sendo elaborado tem importância fundamental para o bom funcionamento do SNVS. “Os dados coletados serão essenciais para várias ações, como a próximas pactuações, definição de perfil técnico das equipes, planejamento de capacitações, mensuração da capacidade técnico operacional das vigilâncias, entre outros”, defende Pádua.
Fonte: Imprensa/Anvisa

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Vitamina K

 


A vitamina K é um nutriente que deve ser consumido em quantidades ideais, por ter um papel importante no organismo: está relacionada ao mecanismo da coagulação sanguínea e a saúde óssea. A vitamina K encontra-se disponível em inúmeros alimentos de origem animal e vegetal. Entre suas principais fontes estão: leite, repolho, espinafre, nabo, brócolis, couve, ovo, alface, fígado e óleos de canola e de soja. Boas fontes incluem a gema de ovo, aveia, trigo integral, batatas, tomates, espargos, manteiga e queijo. Há preocupação em relação ao consumo deste nutriente, como pode ser observado em estudo recente, o qual avaliou a ingestão habitual de vitamina K em adultos e idosos. De acordo com os resultados, independentemente da faixa etária e do sexo, a ingestão de vitamina K foi insuficiente em quase metade da amostra, o que pode ocasionar um maior risco de inadequação dietética e acarretar problemas ósseos no futuro e/ou agravar os já presentes quando se trata da população idosa. De acordo com outra pesquisa, ingestão diária de aproximadamente 1µg por quilo de peso é considerada a mais segura, inclusive para a utilização de anticoagulantes orais, em que a concentração estável da vitamina proporciona a eficácia no tratamento. A droga anticoagulante oral geralmente utilizada é a varfarina, administrada como profilática e para tratamento de fenômenos tromboembólicos. O efeito anticoagulante pode ser reduzido por fatores como ganho de peso, diarréia, vômito, idade menor que 40 anos e consumo excessivo de vitamina K na dieta alimentar. Os dados dos estudos enfatizam a importância do consumo adequado de vitamina K, que está presente em diversos alimentos, sendo possível consumir a necessidade diária para garantir a saúde e auxiliar no tratamento de doenças já existentes.


Fontes: Wysllenny Nascimento de Souza; Mayara Leopoldina Rodrigues; Marilene De Vuono Camargo Penteado. Ingestão habitual de vitamina K em adultos e idosos. Rev. Nutr. vol.25 n.4 Campinas July/Aug. 2012. Karin Klack; Jozélio Freire de Carvalho. Vitamina K: metabolismo, fontes e interação com o anticoagulante varfarina. Rev. Bras. Reumatol. vol.46 n.6 São Paulo Nov./Dec. 2006. Saúde Pública - 24/abr/2013

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Dia do Chimarrão


Dia 24 de abril: Dia do Chimarrão
A história do Chimarrão e seus benefícios
O chimarrão é montado com erva-mate moída, adicionada de água morna. Tem gosto mais ou menos amargo, dependendo da qualidade da erva-mate, que, pronta para o uso, consiste em folhas e ramos finos (menos de 1,5 mm), secos e triturados, passados em peneira grossa, de cor que varia do verde ao amarelo-palha, havendo uma grande variedade de tipos, uns mais finos, outros mais encorpados, vendidos a diversos preços.
Um aparato fundamental para o chimarrão é a cuia, vasilha feita do fruto da cuieira ou do porongo, que pode ser simples ou mesmo ricamente lavrada e ornada em ouro, prata e outros metais, com a largura de uma boa caneca e a altura de um copo fundo, no formato de um seio de mulher (no caso do porongo) ou no de uma esfera (no caso da cuieira). 
O outro talher indispensável é a bomba ou bombilha, um canudo de cerca de seis a nove milímetros de diâmetro, normalmente feito em prata lavrada e muitas vezes ornado com pedras preciosas, de cerca de 25 centímetros de comprimento, em cuja extremidade inferior há uma pequena peneira do tamanho de uma moeda e, na extremidade superior, um bocal, muitas vezes executado em ouro.

Propriedades medicinais e nutritivas
Estudos detectaram a presença de muitas vitaminas, como as do complexo B, a vitamina C e a vitamina D e sais minerais, como cálcio, manganês e potássio. Combate os radicais livres. Auxilia na digestão e produz efeitos antirreumático, diurético, estimulante e laxante. Não é indicado para pessoas que sofrem de insônia e nervosismo, pois é estimulante natural. Contém saponina, que é um dos componentes da testosterona, razão pela qual melhora a libido.
Análises e estudos sobre a erva-mate têm revelado uma composição que identifica diversas propriedades benéficas ao ser humano, pois estão contidos nas folhas da erva-mate alcalóides (cafeína, teofilina, teobromina etc.), ácidos fólicos e cafeico (taninos), vitaminas (A, B1, B2, C, e E), sais minerais (alumínio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio, manganês e potássio), proteínas (aminoácidos essenciais), glicídeos (frutose, glucose, sacarose etc.), lipídios (óleos essenciais e substâncias ceráceas), além de celulose, dextrina, sacarina e gomas. Por tudo isso, a erva-mate é considerada um “alimento quase completo”, pois contém a maioria dos nutrientes necessários ao nosso organismo.
O consumo da erva-mate está relacionado também ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental, atuando beneficamente sobre os nervos e músculos, combatendo a fadiga, proporcionando a sensação de saciedade, sem provocar efeitos colaterais como insônia e irritabilidade (apenas pessoas sensíveis aos estimulantes contidos na erva-mate podem sofrer algum efeito colateral). A erva também atua sobre a circulação, acelerando o ritmo cardíaco e harmonizando o funcionamento bulbo medular. Age sobre o tubo digestivo, facilitando a digestão sendo diurética e laxativa. É considerada ainda um ótimo remédio para a pele e reguladora das funções cardíacas e respiratórias, além de exercer importante papel na regeneração celular.
Assim, os pesquisadores concluíram que o mate contém praticamente todas as vitaminas necessárias para sustentar a vida, e que a erva-mate é uma planta indiscutivelmente especial, já que é muito difícil encontrar em qualquer lugar do mundo outra planta que se iguale ao seu valor nutricional.
O chimarrão pode servir como "bebida comunitária", apesar de alguns aficionados o tomarem durante todo o dia, mesmo a sós. Embora seja cotidiano o seu consumo doméstico, principalmente quando a família se reúne, é quase obrigatório quando chegam visitas ou hóspedes. O chimarrão é símbolo da hospitalidade sulista: quem chega como visita em uma casa dessa região, é recebido logo com uma cuia de chimarrão. Então assume-se um ar mais cerimonial, embora sem os rigores de cerimônias como a do chá japonês.
A água não pode estar em estado fervente, pois isso queima a erva e modifica seu gosto. Deve apenas esquentar o suficiente para "chiar" na chaleira. Enquanto a água esquenta, o dono (ou dona) da casa prepara o chimarrão.. Não se esqueça de tomar o chimarrão totalmente, fazendo a cuia "roncar". Se considera uma situação desagradável quando o chimarrão é passado adiante sem fazer roncá-lo.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Super Alimentos


Conheça os Super Alimentos

“Super Alimentos” são aqueles que apresentam em sua composição muitas vitaminas, minerais, fibras e compostos de ação antioxidante e por isso são capazes de ajudar na manutenção do peso, na redução do colesterol, do risco de doenças cardiovasculares e de câncer, ou seja, além de nutrirem o organismo, melhoram a qualidade de vida.

Castanha do Brasil 

É uma oleaginosa tipicamente nacional e é uma das principais fontes de selênio, sendo que em uma unidade a necessidade diária do mineral já é suprida. 
Seus antioxidantes retardam o envelhecimento precoce da pele e previnem o aparecimento de doenças degenerativas. 
Suas gorduras insaturadas atuam na redução do colesterol, triglicerídeos e auxiliam na regularização da pressão arterial. 
É fonte de cálcio e magnésio, combinação perfeita para uma saúde óssea em dia. Possui em sua composição a vitamina E, que quando em deficiência compromete a função cognitiva, seu consumo adequado auxilia na melhora memória e concentração.

Quinua

Planta oriunda da cordilheira dos Andes foi considerada pela FAO FoodAgriculture Organization como ideal para consumo humano por seu alto valor nutricional. Contém boa quantidade de fibras e proteínas de ótima qualidade, sendo considerada superior à de cereais como o arroz, o trigo e o milho. 
A quinua possui quantidade considerável de minerais como zinco, ferro, cálcio, potássio, magnésio e manganês e vitaminas B2 e E. Fonte ainda dos ácidos graxos ômegas 3 e 6. 
Por ser fonte de fibras e gorduras insaturadas auxilia na regularização dos níveis de colesterol, protegendo a saúde do coração.

Maçã Peruana 

É fonte de cálcio e magnésio, minerais essenciais à saúde óssea e por isso pode auxiliar na prevenção e tratamento desta doença. 
Fonte ainda de gorduras, como o ácido palmítico e a vitamina E relacionados à formação de hormônios sexuais em nosso organismo, auxiliando no aumento da libido. O zinco é um mineral que aumenta os níveis do hormônio testosterona e a produção de sêmen, sua deficiência leva à falha na ovulação e diminuição do desejo sexual, em mulheres, nos homens, pode causar impotência. 

Açai

Por seus antioxidantes tem a capacidade de combater e neutralizar a ação dos radicais livres, prevenindo contra doenças cardiovasculares e circulatórias, câncer, diabetes e Alzheimer. 
Algumas pesquisas o papel do açaí no tratamento contra infecção por Helicobacter pylori, bactéria causadora da gastrite, prevenindo o desenvolvimento do câncer gástrico. 
Fonte de gorduras insaturadas ajuda a diminuir os níveis de LDL colesterol e controla a pressão arterial.

Cacau

Rico em antioxidantes, seu consumo reduz o risco de doenças do coração, diminui as taxas de colesterol e a pressão arterial. 
Alguns estudos comprovam que a ingestão de cacau pode melhorar a resistência à insulina em portadores de diabetes tipo 2. 
O consumo regular de cacau nos protege contra os danos causados pela poluição e exposição ao sol.

Goji berries

São frutas vermelhas, parecidas com uvas, originárias do noroeste da China e do Tibete. 
As bagas goji são uma fonte rica de carotenoides beta-caroteno e zeaxantina, que desempenham um papel fundamental em manter a retina saudável. 
Tem efeito protetor contra doenças cardiovasculares e inflamatórias. Estimula o sistema imunológico e tem propriedades protetoras contra diversos tipos de câncer. 
Ainda devido aos seus efeitos antioxidantes é considerada uma fruta aliada a longevidade.

Cranberry

Fruta pequena, de cor vermelho escuro, nativa do leste da América do Norte. 
Usada no tratamento de problemas do trato urinário, como: ardência ao urinar, necessidade frequente de ir ao banheiro, dor na parte inferior do abdome. 
Também tem a propriedade de inibir a colonização bacteriana na superfície dentária evitando o desenvolvimento de cáries e doenças periodontais.

Romã

Os ácidos gálico, elágico e protocatequínico presentes na romã, são antioxidantes que neutralizam os radicais livres que danificam as células, desencadeando o câncer. 
A fruta também atua na redução do colesterol e no combate ao envelhecimento precoce.

Chia, linhaça, Óleo de peixe

Ricos em omega 3, seu consumo está associado a proteção contra doenças cardiovasculares e também a melhora de funções cerebrais memória, concentração e desempenho. 

Soja

Fonte de proteínas de alto valor biológico, fibras, vitaminas do complexo B, vitamina E e minerais como ferro, cálcio, fósforo e potássio, além de isoflavonas. 
Pesquisas demonstram que o consumo de soja reduz o risco de doenças do coração diabetes, osteoporose, alguns tipos de câncer como o de mama, colo do útero e próstata e constipação intestinal. A soja também atua na prevenção da tensão pré-menstrual TPM e nos sintomas da menopausa.

Spirulina Havaiana

É uma microalga verde-azulada que é rica em proteínas, vitaminas e minerais. 
É fonte do ácido gama-linolênico GLA, que tem demonstrado resultados interessantes no tratamento de artrites, doenças cardiovasculares e obesidade. 
Ppromove a sensação de saciedade, reduzindo o apetite.

Chlorella

É um tipo de alga verde, que cresce em água doce. 
Sua coloração verde deve-se à grande quantidade de clorofila que possui, tendo a capacidade de eliminar toxinas e metais pesados do organismo. 
Seu consumo prolonga a juventude, combate à falta de energia e fadiga crônica, além de fortalecer a imunidade.

Geléia Real

Seu consumo é sugerido para manter a saúde e melhorar o funcionamento do organismo. 
Por causa dos antioxidantes é que esse tipo de alimento está relacionado ao retardo no envelhecimento, beleza e rejuvenescimento da pele. 
As vitaminas do complexo B, presentes na geleia real, atuam na formação de neurônios e auxiliam no combate aos sintomas de depressão. Fortalece também o sistema imunológico.

Fonte: Mundo Verde 2013

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A importância do conhecimento do consumo alimentar

 
Conhecer o consumo alimentar de diferentes populações é de extrema importância para identificar erros alimentares, assim como falta ou excesso de ingestão de algum tipo de nutriente.
Estudo recente foi desenvolvido com o objetivo de descrever os itens alimentares mais representativos para o consumo total de energia, carboidratos, proteínas e lipídios de crianças de 7 a 10 anos. De acordo com os resultados, os itens "Arroz branco, arroz à grega, arroz com legumes" e "Feijão marrom, preto, branco, lentilha" contribuíram de forma importante para o consumo de energia e carboidratos. O item "Leite integral fluido, leite integral em pó" foi representativo para o consumo de lipídios, além de proteínas e energia. Foi constatado ainda o consumo em energia e carboidratos das bebidas doces, como refrigerantes e sucos industrializados.
Outra pesquisa caracterizou o perfil alimentar de um grupo de adultos fumantes. De acordo com os resultados, os alimentos consumidos com mais frequência foram óleo vegetal, sal, arroz, café, feijão, açúcar, tomate, pão francês, leite integral líquido, banana-maçã, refresco de fruta com açúcar, bife bovino e cerveja, entre as bebidas alcoólicas, os quais assinalaram o perfil alimentar. Constatou-se excesso diário no consumo de lipídeos e sódio.
Os dados dos estudos são de extrema importância para delinear ações de intervenção nutricional nos grupos estudados, sendo necessárias abordagens diferentes, uma vez que a faixa etária e problemas nutriconais identificados foram direntes em ambos os grupos. Destaca-se a importância em conhecer o consumo alimentar das populações para assim desenvolver e aplicar um plano de intervenção de que seja eficaz, combatendo os problemas identificados.



Fontes: Patrícia de Fragas Hinnigi; Denise Pimental Bergamaschi. Itens alimentares no consumo alimentar de crianças de 7 a 10 anos. Rev. bras. epidemiol. vol.15 n.2 São Paulo Jun. 2012.
Martins, Karine Anusca; Pontes, Angelita Evaristo Barbosa; Fornés, Nélida Schmid. Caracterização de fumantes em tratamento para abandono do tabagismo e seu perfil de consumo alimentar. Brasília méd; 46(3)2009.

domingo, 21 de abril de 2013

Iodação do sal será alterada no Brasil


A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou, em reunião nesta terça-feira (16/4), a adoção de novos valores para a adição de iodo no sal para consumo humano no Brasil. A faixa aprovada de iodo no sal é de  15mg/kg a 45 mg/kg; atualmente a faixa é de 20 a 60 mg/kg.
A adição do iodo no sal foi adotada na década de 50 como estratégia de redução do Bócio, doença provocada pela deficiência do iodo no organismo. No entanto, a quantidade de adição do nutriente tem sido revista ao longo dos anos em virtude das mudanças no padrão de alimentação dos brasileiros, pois o excesso deste nutriente também traz danos à saúde.
A nova faixa foi resultado da avaliação realizada pela Comissão Interinstitucional para Prevenção e Controle dos Distúrbios por Deficiência de Iodo, onde participam representantes do Ministério da Saúde, da Anvisa, das Vigilâncias Sanitárias Estaduais, do setor produtivo e do International Council for the Control of Iodine Deficiency Disorders/ICCIDD Brasil. Esta avaliação utilizou os dados de monitoramento do teor de iodo no sal, os dados de iodúria existentes, o resultado da ingestão de sal apontada pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) e a recomendação da  Organização Mundial da Saúde (OMS).  Para populações onde a ingestão de sal esteja em torno de 10g/dia, a faixa de iodação do sal deve estar entre 20 a 40 mg/kg, segundo a  OMS.
Os dados do monitoramento do teor de iodo no sal realizado pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária revelam que o teor médio de iodo é de 35 mg/kg.

De acordo com a Gerente-Geral de Alimentos da Anvisa, Denise Resende, as empresas terão 90 dias para se adequar, a partir da publicação da norma no Diário Oficial da União (DOU). “Não deve haver dificuldades neste sentido, já que atualmente a maior parte das amostras coletadas no mercado já estão dentro da nova faixa definida”, explicou Denise.



Fonte: Imprensa/Anvisa

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Operação Dona Benta do Procon-RJ multa empresas do ramo alimentício

644277_455236437886179_1700872806_n_1366211862.73.jpg

O Procon-RJ, após receber denúncias de que fábricas de condimentos e grãos estariam utilizando pó de madeira na mistura dos alimentos,iniciou nesta terça-feira (16/04) operação nas principais fábricas de produtos alimentícios do estado do Rio. Denominada de "Dona Benta", a fiscalização - determinada pela Secretaria de Proteção e Defesa do Consumidor-autuou três empresas por armazenarem alimentos vencidos e recolheu diversos produtos para análise.
Na Tiferet Fábrica Produtos, na Mimi e na Nonnogi, esta última fornecedora da rede de restaurantes La Mole, os agentes encontraram diversos produtos fora do prazo de validade. Todas as empresas foram autuadas, e o valor da multa pode variar de 200 a 3 milhões de Ufirs.
Durante a operação, os fiscais também visitaram as fábricas Chinezinhoe do sorvete Itália, mas não encontraram nenhuma irregularidade.


Fonte: Procon-RJ

quarta-feira, 17 de abril de 2013

A importância do consumo de peixes




O peixe é um alimento de alto valor nutricional, sendo que suas propriedades são alvo de diversas pesquisas na área da saúde.
Seu consumo varia de acordo com a população, podendo ser elevado, como demostrado em pesquisa recente, na qual foi constatado o consumo médio de peixe pela população ribeirinha do Lago Grande de Monte Alegre, no Estado do Pará, Brasil. Neste estudo verificou-se que o consumo de peixe chegava a ser 6 vezes por semana.
Quando o acesso ou consumo de peixe pela população não atinge as recomendações, é interessante criar formas para incentivar seu consumo como pode ser observado em trabalho atual, o qual foi desenvolvido com o objetivo de produzir massa fresca de macarrão com a incorporação de peixe defumado e avaliar as características microbiológicas, físico-químicas e sensoriais. De acordo com os resultados, a massa de macarrão apresentou valores de 15,21% de proteínas de alto valor proteico. Em relação à microbiologia, estava adequada para o consumo humano. A aceitabilidade foi de 97% de aprovação, sendo, portanto viável.
O incentivo ao consumo de peixe deve ser realizado, pois além de suas propriedades nutricionais, há estudos que relacionam seu consumo à melhora da saúde, como pode ser observado em outro estudo, o qual destacou a importância do consumo de peixe ou suplementação de Ômega-3 em níveis recomendados, a fim de minimizar a frequencia de convulsões em pessoas com epilepsia não controlada e principalmente, para reduzir a ocorrência de morte súbita em epilepsia.
De acordo com os dados dos estudos, o consumo de peixe é de grande importância e deve ser incentivado em locais onde o acesso é mais fácil ou mesmo o desenvolvimento de produtos alimentícios que tenham quantidade adequada de peixe em seu preparo, fornecendo assim os benefícios nutricionais deste alimento.


Fontes:
Maluf, Márcia Luzia Ferrarezi; Weirich, Carlos Eduardo; Dallagnol, Jackeline Marcante; et al. Elaboração de massa fresca de macarrão enriquecida com pescado defumado. Rev. Inst. Adolfo Lutz; 69(1): 84-90, jan.-mar. 2010.
SCORZA, Fulvio Alexandre et al. The promise of omega-3 against sudden unexpected death in epilepsy: until further notice, it remains innocent, until proven guilty. Arq. Neuro-Psiquiatr. 2013, vol.71, n.1, pp. 51-54. 

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Próxima reunião da diretoria discute recolhimento de alimentos

A próxima reunião pública da Anvisa terá em sua pauta uma proposta de consulta pública para regulamentar os procedimentos de recolhimentos de alimentos do mercado e a sua comunicação para a Anvisa e os consumidores. Também está na agenda dos diretores a proposta de resolução para regulamentar o acesso e fornecimento de medicamentos em investigação clínica.

A pauta da reunião pública conta com quatro temas deliberativos que incluem ainda uma proposta sobre o teor de iodo no sal e a definição dos procedimentos para inspeção em fabricantes de produtos médicos de diagnóstico nos países do Mercosul. Está prevista também a apreciação de cinco recursos administrativos de empresas da área de medicamentos.

A 5ª Reunião Aberta da Diretoria Colegiada da Anvisa de 2013 acontece na próxima terça-feira (16/4), a partir das 14h50. A reunião é aberta ao público e os assentos são garantidos por ordem de chegada. A reunião também será transmitida pelo Portal da Anvisa.


Fonte: Anvisa

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Ovos: cuidados no consumo



O ovo é um alimento de alto valor nutricional, sendo consumido de formas variadas nas diversas faixas etárias. Muitas vezes é opção de prato principal e faz parte dos ingredientes das mais variadas preparações culinárias.
As propriedades dos ovos têm sido estudadas, como pode ser observado em estudo recente, no qual foi realizado um experimento para comparar as proporções entre ácidos graxos (AG) em gemas de ovos comerciais convencionais e enriquecidos com ômega-3 (ω-3). Foi realizado tratamento em dois grupos de aves produtoras sendo que no grupo 1, foram alimentadas com ração à base de milho e farelo de soja (produção de ovos convencionais) e, no grupo 2, com ração contendo 1,5% de substrato de algas marinhas e 1,8% de óleo de peixe (produção de ovos enriquecidos com ω-3). De acordo com os resultados, as proporções entre AG estudadas dos ovos enriquecidos com ω-3 foram inferiores a dos ovos convencionais, ficando, portanto, dentro do limiar ideal estimado para o consumo de gordura por humanos.
Outro fato que deve ser levado em conta para o consumo do ovo é a sua qualidade microbiológica, fato que pode ser observado em estudo recente, o qual foi desenvolvido com o objetivo de procurar Salmonella e outras bactérias em 228 ovos comerciais, escolhidos aleatoriamente. De acordo com os resultados, todas as culturas e o PCR foram negativas para Salmonella. Porém, foram detectadas bactárias como Aeromonas sp, E. coli e S. Aureus, as quais são potencialmente patogênicos para o homem, especialmente para crianças, imune-comprometidos e idosos.
Os dados dos estudos evidenciam que a escolha do tipo de ovo pode interferir em sua qualidade nutricional e microbiológica, sendo importante levar em consideração o que o produto oferece e local conhecido e seguro para a compra.

Fontes:
Thaiz Marinho Magalhães Cedro; Lígia Fátima Lima Calixto; Arlene Gaspar; et al. Proporções entre ácidos graxos poliinsaturados em ovos comerciais convencionais e enriquecidos com ômega-3. Cienc. Rural vol.41 no.4 Santa Maria Apr. 2011 Epub Mar 18, 2011.
Loaiza E., Juliana; Sánchez J., Miryan; Henao, Santiago; et al. Detecção de bactérias contaminantes em ovos para consumo em Medellín e sua área metropolitana. Ces med. vet. zootec; 6(2): 20-28, jul.-dic. 2011.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Comunicado Unilever aos profissionais da saúde

Caros profissionais,
 No dia 8 de Abril de 2013, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) comunicou que: 
1)      A falha na produção de AdeS foi pontual e restrita ao lote AGB25, sabor maçã 1,5L
2)      Com exceção do lote acima mencionado, AdeS, em TODOS os seus sabores e formatos se encontra liberado para produção, comercialização e consumo
A partir de hoje a comercialização de AdeS em todas as lojas do país estará regularizada. Vale também ressaltar que AdeS 200ml esteve o tempo todo liberado para comercialização e em perfeitas condições de consumo.
Unilever Brasil gostaria de se desculpar com os profissionais da saúde pelo episódio e declarar mais uma vez o compromisso com a qualidade de AdeS, uma das marcas mais queridas do Brasil.
Caso tenha interesse em esclarecer dúvidas sobre o assunto envie um e-mail para: unilever@unileverhealthinstitute.com.br ou sac@ades.com.br ou ainda ligue para o SAC da empresa 0800 707 0044.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

DIA MUNDIAL DE COMBATE AO CÂNCER




No dia 8 de abril acontece o Dia Mundial de Combate ao Câncer, uma data que tem como objetivo chamar a atenção de líderes políticos e de toda a sociedade em geral para o crescimento dos índices da doença, que, segundo o IBGE, vem crescendo continuamente nas duas últimas décadas.
O câncer, também chamado de neoplasia, é um conjunto de mais de 100 doenças que se caracterizam pelo crescimento desordenado das células. Tais células se dividem muito rapidamente, invadindo tecidos e órgãos e formando tumores que podem se espalhar (metástase) para outras regiões do corpo. O câncer tem causas variadas, podendo surgir de fatores externos, como o ambiente em que a pessoa vive ou hábitos e costumes presentes em nosso dia a dia; ou também por fatores internos, que na maioria das vezes estão geneticamente predeterminados.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, cerca de 80% a 90% de todos os casos da doença estão associados a fatores externos, sendo alguns deles bem conhecidos como o tabagismo, exposição excessiva ao sol, vírus que podem causar leucemia, hábitos alimentares, alcoolismo, hábitos sexuais, medicamentos e fatores ocupacionais.

Especialistas crêem que alguns fatores de risco são os causadores de alguns tipos de tumores malignos, sendo o principal fator o tabagismo, seguido de consumo de bebidas alcoólicas e de gorduras de origem animal, dieta pobre em fibras, vida sedentária e obesidade.  Diante disso, a melhor forma de se prevenir do câncer é parar de fumar; ter uma alimentação saudável com maior consumo de frutas, verduras, legumes e cereais, diminuir o consumo de alimentos gordurosos; evitar ou diminuir o consumo de bebidas alcoólicas; praticar atividades físicas regularmente; evitar a exposição prolongada ao sol; e fazer exames regulares, pois isso ajuda na detecção precoce de um eventual câncer.


Fonte: Agência Brasil