quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Riscos de intoxicação alimentar podem aumentar no verão


 
1) Quais são as causas das intoxicações alimentares
Com a chegada das férias e da estação mais quente do ano, aumenta o consumo dos alimentos facilmente encontrados em ambientes como a praia: milho verde, churros, espetinhos, sanduíches prontos, porção de camarão, entre muitos outros petiscos. Apesar de serem gostosos, é fundamental ficar atentos a alguns cuidados para que uma possível intoxicação alimentar não estrague suas férias.

A maior parte dos casos de intoxicação alimentar - que provoca náuseas, vômitos, dor de cabeça, cólica e diarreia - se deve à contaminação por bactérias, atribuída muitas vezes a falta de higiene do manipulador, do local e falhas no transporte, armazenamento e preparo dos alimentos. As bactérias adoram umidade, sujeira, água e temperatura ambiente de 20 a 45ºC e, em geral, detestam temperaturas inferiores a 10ºC (geladeira/freezer) ou superiores a 65ºC (cozimento dos alimentos). Por isso, a dica principal para quem não quer este tipo de problemas é saber armazenar e preparar corretamente os alimentos.Tenha cuidado com carnes, peixes, frutos do mar e aves, pois os alimentos de origem animal são os mais sujeitos a contaminações. Quanto maior o manuseio durante o processamento, na fase de armazenagem ou ainda no preparo, maiores as chances de proliferação de bactérias.

2) No Brasil ocorrem muitos surtos de intoxicação?
Segundo informações do Ministério da saúde, há um registro médio de 665 surtos por ano no Brasil, com 13 mil doentes.

3) Que dicas são importantes para evitar as intoxicações alimentares?
A prevenção é sempre mais importante. No verão, beba muita água, sucos naturais e água de coco para estar sempre hidratado. Mantenha os alimentos e bebidas bem refrigerados e fique sempre de olho nos prazos de validade. Mantenha os alimentos crus longe dos cozidos, evite refeições e lanches prontos por mais de duas horas, não consuma alimentos com alteração de cheiro cor e sabor, não ingira alimentos em embalagens danificadas. São pequenos cuidados que certamente vão fazer toda a diferença nas suas férias”, complementa Ana Carolina Marçal, que coordena o programa Viva Melhor.
 

 
Autor
 
Dra. Ana Carolina Marçal
 
Nutricionista do programa de Saúde Alimentar Viva Melhor

Nenhum comentário:

Postar um comentário