quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Oferta de Alimentos na Infância x Formação de Hábitos Alimentares


A oferta de alimentos na infância, deve ser realizada com cuidado para que as necessidades nutricionais sejam atendidas e deve colaborar para a formação dos hábitos alimentares.

Pesquisa recente foi desenvolvida com o objetivo de verificar o consumo de alimentos supérfluos, considerados aqueles com quantidades excessivas de lipídeos e/ou açúcares, ou substâncias indesejáveis para o consumo nessa faixa etária, como corantes e conservantes químicos, por crianças de quatro a doze meses de idade usuárias do serviço público/Sistema Único de Saúde. De acordo com os resultados, observou-se elevada introdução de alimentos supérfluos, sendo que 80,2% das mães e/ou responsáveis relataram oferecer um ou mais destes alimentos às suas crianças.

Outro estudo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o consumo alimentar habitual de vitamina E em crianças. De acordo com os resultados, os produtos fonte de vitamina E mais consumidos foram iogurte, waffles, tortas, bolos, batatas fritas, óleos e margarina, sendo que a maioria das crianças apresentaram baixo consumo de vitamina E.

Os dados dos estudos demonstram a necessidade de melhorar a qualidade da alimentação das populações estudadas, sendo necessárias intervenções nutricionais e orientação aos cuidadores, com o objetivo de melhorar a qualidade dos alimentos oferecidos às crianças.

Fontes:

Heitor, Sara Franco Diniz; Rodrigues, Leiner Resende; Santiago, Luciano Borges. Introdução de alimentos supérfluos no primeiro ano de vida e as repercussões nutricionais. Ciênc. cuid. saúde; 10(3): 430-436, jul.-set. 2011.

Luna, Rafaella Cristhine Pordeus; Nascimento, Christiane Carmem Costa do; Bandeira, Geovanna Torres de Paiva; et al. Baixo consumo habitual de alimentos fonte de vitamina E em população infantil. Rev. Inst. Adolfo Lutz; 70(2): 213-219, abr.-jun. 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário