quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Criança gordinha pode ser sinal de problema de saúde

 


1) Quais são as causas da obesidade?
A obesidade infantil atinge 15% das crianças, ocasionando diversos riscos para a saúde. A vida sedentária, falta de exercícios físicos e uma alimentação desequilibrada composta de guloseimas e fast foods são os grandes culpados pelo o ganho de alguns quilinhos. O tempo gasto frente à televisão e o computador; bem como a dificuldade de brincar na rua e explorar o corpo também são fatores externos que predispõem à obesidade infantil. Os pais procuram atendimento, muitas vezes, não para que seus filhos percam peso e sim porque a criança já esta com problemas ortopédicos, de colesterol, entre outros. Os pais precisam ensinar seus filhos a terem uma educação alimentar, pois muitas crianças não comem verduras porque seus pais não compram, porque eles mesmos não comem e, também, se a criança come comida gordurosa, bolacha, salgadinho é porque seus pais compram.

Além de, interferir na autoestima da criança, a obesidade infantil aumenta as chances de problemas ortopédicos, infecções respiratórias, provoca diabetes e cirrose hepática, gerada pelo excesso de gordura depositada no fígado.
A criança obesa tem 30% de chances, de permanecer no mesmo peso quando chegar à fase adulta. Isso ocorre porque as células adiposas estão ficando cada vez mais recheadas de gordura.

2) As crianças devem ingerir menos fast food e mais frutas?
Uma criança que apresenta ser “fofinha” para os pais, pode se tornar um grande problema no futuro. É comprovado que a má alimentação e o sedentarismo favorecem a obesidade infantil. Os pais devem ficar atentos e vigiar o que os pequeninos comem, enquanto jogam vídeo game ou assistem à televisão. 

A criança deve fazer uma avaliação com um profissional para verificar como é a sua rotina, que horas ela se alimenta e o que come em cada refeição. A presença de um profissional de nutrição é fundamental para montar um cardápio equilibrado, com os nutrientes necessários para a criança em fase de crescimento e iniciar a reeducação alimentar.

3) Como os pais devem agir com seus filhos obesos?
“Incentive o seu filho a consumir alimentos apropriados para ajudar na fase do crescimento. Encoraje a beber leite desnatado, a ingerir menos sal e aumentar o consumo de grãos e diminuir o açúcar, doces e chocolates. O ideal é oferecer sempre alimentos pobres em gorduras, sem muitos condimentos e molhos, dando preferência para frutas, legumes, verduras e carnes magras, grelhadas, assadas ou cozidas. Essa é uma forma natural de evitar os excessos e os riscos para a saúde. Para a sobremesa um doce por semana. Para os outros dias, é melhor oferecer frutas. Já nos lanches da manhã e da tarde, boas opções são os sucos e iogurte acompanhados de uma fruta. Praticar atividade física também é uma alternativa para combater a obesidade. Inscreva o seu filho em algum esporte e estimule a praticar.

Cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes obesos enfrentam problemas na escola, isolamento, dificuldades em expressar seus sentimentos e a baixa autoestima.

4) Como saber se o filho será obeso?
- Mamães que ficam acima do peso durante a gravidez podem gerar bebês com mais tendência à obesidade;

- Fique atenta, as medidas do seu filho. Observe o peso do seu filho ao completar um ano. O correto é o bebê não pesar mais do que o triplo do que tinha ao nascer.

- Bebês que dormem pouco ficam mais cansados e fazem menos atividades durante o dia, facilitando o acúmulo de gordura. Estimule o seu filho a ficar acordado.

- Crianças com mais de três anos que ficam mais de oito horas por semana na frente da TV pode ter problemas com a obesidade. Inscreva o seu filho na escola de natação para evitar o sedentarismo.

- Aparecimento de gordurinhas localizadas antes dos quatro anos.

 

 
Autor
 
Dr. Gabriel Cairo Nunes
 
Nutricionista Esportivo da Clínica HealthMe Gerenciamento de Perda de Peso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário