terça-feira, 30 de outubro de 2012

Estado nutricional



O estado nutricional está relacionado de forma direta ao consumo alimentar. Deste modo, deve-se cuidar da ingestão de alimentos para que o estado nutricional se mantenha adequado, contribuindo desse modo para a qualidade de vida e longevidade.

Pesquisa recente foi desenvolvida com o objetivo de verificar a associação do estado nutricional com fatores sociodemográficos, estilo de vida e condições de saúde em idosos de dois municípios de regiões distintas do Brasil. De acordo com os resultados, houve prevalência de baixo peso em uma das regiões e excesso de peso na outra. Os fatores associados ao estado nutricional são específicos a cada município.

Outro estudo utilizou-se o índice de massa corporal (IMC) e a circunferência de cintura (CC) para avaliar se alguns fatores perinatais e da vida adulta se associam com adiposidade na vida adulta jovem. Trabalhou-se com a hipótese de que os fatores de risco diferem entre homens e mulheres. De acordo com os resultados, as diferenças encontradas podem apontar para estilos de vida diferentes de homens e mulheres, sugerindo que as políticas de prevenção também precisam traçar estratégias diferenciadas segundo gênero.

Os dados dos estudos evidenciam que o estado nutricional é um importante parâmetro na avaliação do consumo alimentar, destacando grupos de risco nutricional que merecem maior atenção.

Fontes:

Daniele Fares; Aline Rodrigues Barbosa; Adriano Ferreti Borgatto; et al. Fatores associados ao estado nutricional de idosos de duas regiões do Brasil. Rev. Assoc. Med. Bras. vol.58 no.4 São Paulo July/Aug. 2012.

Vanda Maria Ferreira Simões; Marco Antonio Barbieri; Antonio Augusto Moura da Silva; et al. Fatores perinatais e da vida adulta jovem associados à adiposidade. Cad. Saúde Pública vol.28 no.7 Rio de Janeiro July 2012.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Câncer de mama X alimentação


 
O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, sendo o segundo tipo mais frequente no mundo. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom. Diversos cuidados podem ser tomados para sua prevenção e tratamento, assim como alimentação adequada e estilo de vida saudável.

Em pesquisa atual, foi realizada uma revisão de publicações recentes sobre a relação entre grupos de alimentos, consumo energético, nutrientes, fibras e flavonóides com o câncer de mama. Os resultados, embora controversos, tendem a relacionar maior risco de câncer de mama associado ao consumo de carnes vermelhas e/ ou fritas. Ainda de acordo com os resultados, acredita-se que uma alimentação adequada e saudável, rica em frutas e vegetais e com baixo teor de carnes vermelhas e fritas, possa contribuir para a prevenção do câncer de mama.

Outro estudo foi realizado para avaliar a relação entre alimentação e consumo de grupos de alimentos e câncer de mama. De acordo com os resultados, carne vermelha e carnes fritas podem ser fatores de risco, e o consumo de frutas, feijão, leite e derivados pode atuar como protetor do câncer de mama.

Os dados dos estudos evidenciam consumo de alimentos que estão relacionados a prevenção e outros vistos como fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de mama. Deste modo mais estudos são necessários para melhor determinação dos alimentos que podem prevenir esta doença, bem como os que devem ser evitados, sendo necessária a divulgação para a população de interesse, para que o aceso a estas informações contribuam para a prevenção do câncer de mama.

Fontes:

Nunes, Lélia Cápua; Leite, Isabel Cristina Gonçalves; Carmo, Wanessa Françoise da Silva Aquino. Consumo alimentar e câncer de mama: revisão de estudos publicados entre 2000 e 2008. Rev. APS; 12(3)jul.-set. 2009.

Flávia Emília Leite de Lima; Maria do Rosário Dias de Oliveira Latorre; Maria José de Carvalho Costa; et al. Dieta e câncer no Nordeste do Brasil: avaliação da relação entre alimentação e consumo de grupos de alimentos e câncer de mama. Cad. Saúde Pública vol.24 no.4 Rio de Janeiro Apr. 2008.

domingo, 28 de outubro de 2012

PET reciclado para uso em contato com alimentos



A Resolução RDC n. 20/2008, decorrente de harmonização no Mercosul, passou a permitir o uso de embalagens fabricadas a partir de proporções variáveis de PET virgem (grau alimentício) e de PET pós-consumo reciclado descontaminado (grau alimentício) para contato com alimentos.

A descontaminação deve ser feita por meio de uma tecnologia de reciclagem física e/ou química com alta eficiência e deve ser demonstrada submetendo-a a um procedimento de validação normalizado.

Assim, as resinas, pré-formas e embalagens de PET pós consumo devem ser registradas (link de informações sobre registro) previamente à sua comercialização. Os fabricantes devem apresentar todos os documentos indicados na Resolução RDC n. 20/2008 a fim de obter o registro do produto já que a avaliação é feita caso a caso. As autorizações especiais geralmente são fornecidas. Todos os documentos devem constar do processo de registro, assim como aqueles previstos nas Resoluções n.22/2000 e n. 23/00 que tratam do registro de produtos na área de alimentos.


Fonte: Anvisa

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Anvisa suspende produtos clandestinos para emagrecimento


imagem transparente
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, no Diário Oficial da União (DOU), desta quinta-feira (25/10), a apreensão, inutilização, e proibição da divulgação, em todo o país, do produto Emagrecedor Sem Dieta Dulopes e de todos os demais produtos sujeitos à vigilância sanitária, fabricados pela empresa Dulopes Comércio de Produtos Naturais Ltda. A empresa não possui Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Também foi determinada a apreensão e inutilização, em todo o país, dos produtos Engordar, 30 ervas Emagrecedor, Uxi Amarelo e Unha de Gato e de todos os demais produtos sujeitos à vigilância sanitária fabricados pela empresa Cha Diet Ltda. A empresa não possui Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Produtos clandestinos não possuem registro na Anvisa e sua origem é desconhecida. Isso significa que os produtos não possuem nenhuma comprovação de eficácia e segurança.
O Diário Oficial desta quinta-feira (25/10) traz outras 14 apreensões e suspensões de produtos sem registro. Confira na tabela abaixo:

Medida Produto Empresa Motivo
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 564em todo o país. Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. Sebastião Rocha de Souza Ltda. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 567 em todo o país. Chá misto 37 ervas, e de qualquer outro produto sujeito à vigilância sanitária. Farmacopeia Brasileira. 
Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.

Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 568 em todo o país.
Produto Natural e Vida Real e Tonico Fortificante, e de qualquer outro produto sujeito à vigilância sanitária.
 L.C Rodrigues. 
Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.

Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 569 em todo o país.

 Todos os produtos sujeitos à vigilância santária. M.A dos Santos. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 570 em todo o país.

 Thor Mata Moscas e de qualquer outro produto sujeito à vigilância sanitária. Empresa desconhecida. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 571 em todo o país.

 Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. Bella Vita Comércio de Produtos Naturais Ltda. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 572 em todo o país.

 Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. Ervas Vida Ltda. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 573 em todo o país.

 Usesim Agua Sanitária, e de qualquer produto sujeito à vigilância sanitária. Usesim Produtos Saneantes Ltda. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 574 em todo o país.

 Grano Thor, e de qualquer produto sujeito à vigilância sanitária. Paulo de Oliveira Grano Rolandia Me. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 575 em todo o país.

Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. V.B Silva e Souza ME. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Apreensão, inutilização e proibição da divulgação RE Nº4. 576 em todo o país.
Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. Zenilton Pinheiro dos Santos. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Suspensão da distribuição, e comércio RE Nº4. 578 em todo o país. Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. Velomag Distribuidora e Representações Ltda. Por não possuir
Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Suspensão da distribuição, e comércio RE Nº4. 580 em todo o país. Amonia-Clean, Cleanpet, Deter-clean, Obra-clean, Pedra-clean, Interclean,
Shamp-clean e Limpa vidros-Chuva Ácida, e de qualquer produto sujeito à vigilância sanitária da Marca Cleandet.
G.K Favero e Cia Ltda. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.
Suspensão da distribuição, e comércio RE Nº4. 581 em todo o país. Todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária. Boa Ideia Distribuidora Ltda. Por não possuir Autorização de Funcionamento na Anvisa.


Fonte: ANVISA

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Criança gordinha pode ser sinal de problema de saúde

 


1) Quais são as causas da obesidade?
A obesidade infantil atinge 15% das crianças, ocasionando diversos riscos para a saúde. A vida sedentária, falta de exercícios físicos e uma alimentação desequilibrada composta de guloseimas e fast foods são os grandes culpados pelo o ganho de alguns quilinhos. O tempo gasto frente à televisão e o computador; bem como a dificuldade de brincar na rua e explorar o corpo também são fatores externos que predispõem à obesidade infantil. Os pais procuram atendimento, muitas vezes, não para que seus filhos percam peso e sim porque a criança já esta com problemas ortopédicos, de colesterol, entre outros. Os pais precisam ensinar seus filhos a terem uma educação alimentar, pois muitas crianças não comem verduras porque seus pais não compram, porque eles mesmos não comem e, também, se a criança come comida gordurosa, bolacha, salgadinho é porque seus pais compram.

Além de, interferir na autoestima da criança, a obesidade infantil aumenta as chances de problemas ortopédicos, infecções respiratórias, provoca diabetes e cirrose hepática, gerada pelo excesso de gordura depositada no fígado.
A criança obesa tem 30% de chances, de permanecer no mesmo peso quando chegar à fase adulta. Isso ocorre porque as células adiposas estão ficando cada vez mais recheadas de gordura.

2) As crianças devem ingerir menos fast food e mais frutas?
Uma criança que apresenta ser “fofinha” para os pais, pode se tornar um grande problema no futuro. É comprovado que a má alimentação e o sedentarismo favorecem a obesidade infantil. Os pais devem ficar atentos e vigiar o que os pequeninos comem, enquanto jogam vídeo game ou assistem à televisão. 

A criança deve fazer uma avaliação com um profissional para verificar como é a sua rotina, que horas ela se alimenta e o que come em cada refeição. A presença de um profissional de nutrição é fundamental para montar um cardápio equilibrado, com os nutrientes necessários para a criança em fase de crescimento e iniciar a reeducação alimentar.

3) Como os pais devem agir com seus filhos obesos?
“Incentive o seu filho a consumir alimentos apropriados para ajudar na fase do crescimento. Encoraje a beber leite desnatado, a ingerir menos sal e aumentar o consumo de grãos e diminuir o açúcar, doces e chocolates. O ideal é oferecer sempre alimentos pobres em gorduras, sem muitos condimentos e molhos, dando preferência para frutas, legumes, verduras e carnes magras, grelhadas, assadas ou cozidas. Essa é uma forma natural de evitar os excessos e os riscos para a saúde. Para a sobremesa um doce por semana. Para os outros dias, é melhor oferecer frutas. Já nos lanches da manhã e da tarde, boas opções são os sucos e iogurte acompanhados de uma fruta. Praticar atividade física também é uma alternativa para combater a obesidade. Inscreva o seu filho em algum esporte e estimule a praticar.

Cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes obesos enfrentam problemas na escola, isolamento, dificuldades em expressar seus sentimentos e a baixa autoestima.

4) Como saber se o filho será obeso?
- Mamães que ficam acima do peso durante a gravidez podem gerar bebês com mais tendência à obesidade;

- Fique atenta, as medidas do seu filho. Observe o peso do seu filho ao completar um ano. O correto é o bebê não pesar mais do que o triplo do que tinha ao nascer.

- Bebês que dormem pouco ficam mais cansados e fazem menos atividades durante o dia, facilitando o acúmulo de gordura. Estimule o seu filho a ficar acordado.

- Crianças com mais de três anos que ficam mais de oito horas por semana na frente da TV pode ter problemas com a obesidade. Inscreva o seu filho na escola de natação para evitar o sedentarismo.

- Aparecimento de gordurinhas localizadas antes dos quatro anos.

 

 
Autor
 
Dr. Gabriel Cairo Nunes
 
Nutricionista Esportivo da Clínica HealthMe Gerenciamento de Perda de Peso.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Anvisa determina suspensão de lotes de diurético e produtos com ervas

imagem transparente

Hidroclorotiazida, indicado para pressão alta, teve fabricação alterada.
Mel com ervas e Pró-ervas não apresentavam autorização da agência.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu o uso e a venda de 30 lotes do medicamento diurético Hidroclorotiazida, usado contra hipertensão arterial. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (24).
A Anvisa fez uma inspeção no Instituto de Tecnologia em Fármacos, fabricante do remédio, entre 23 e 26 de julho, e constatou uma alteração no processo de fabricação de comprimidos de 25 mg. Os produtos haviam passado por uma etapa de moagem do princípio ativo sem autorização prévia da agência.
Segundo a Anvisa, não há dados que comprovem a segurança e eficácia do diurético fabricado de forma diferente da avaliada e registrada. Além disso, por causa da moagem, o tamanho das partículas do comprimido pode afetar o desempenho do produto e interferir na estabilidade, na dissolução e em outros requisitos dele.
Os 30 lotes suspensos são: 12030260, 12030261, 12030262, 12030263, 12040407, 12040408, 12040413, 12040414, 12040415, 12040446, 12040447, 12040448, 12040461, 12040462, 12040463, 12040464, 12040465, 12040466, 12060585, 12060586, 12060587, 12060588, 12060589, 12060590, 12060591, 12060592, 12060593, 12060594, 12060595 e 12060596.
Doze deles foram interditados pelo Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Os demais devem ser recolhidos do mercado, informou a Anvisa.
Produtos com ervas
A agência também determinou a apreensão e inutilização, em todo o país, do produto Mel com ervas, com indicação terapêutica para asma. O motivo é que a empresa Facon – Fabricação e comércio de cosméticos e produtos naturais Ltda, com sede em Iguatu (CE), não tinha autorização de funcionamento sanitário.

Outro produto suspenso pela Anvisa é o Pró-ervas, fabricado em Ipatinga (MG), pelo fato de a empresa responsável também não ter autorização para estar em atividade.


Fonte: ANVISA

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Entidades pedem a suspensão do milho transgênico NK 603 da Monsanto no Brasil




imagem transparente

Estudo comprovou maior incidência de câncer e morte em ratos alimentados com transgênicos; produto amplamente utilizado no Brasil foi liberado em 2008, com base em estudos de curto prazo
 
O Idec assinou junto a outras entidades um ofício de urgência pedindo a suspensão da liberação comercial do milho trangênico NK603 no Brasil após a publicação do primeiro estudo de longo prazo sobre os efeitos do produto no organismo.
 
Realizado na Universidade de Caen, na França, o estudo foi realizado ao longo de dois anos com 200 ratos de laboratório. Os ratos foram separados em três grupos, cada um alimentado de maneira diferente: apenas com milho NK603, com milho NK603 tratado com Roundup (o herbicida mais utilizado do mundo) e com milho não alterado geneticamente tratado com Roundup. Tanto o milho quanto o herbicida são propriedade do grupo americano Monsanto.
 
O milho em questão foi autorizado no Brasil em 2008 e está amplamente disseminado nas lavouras e alimentos industrializados. O Roundup é também largamente utilizado em lavouras brasileiras, sobretudo as transgênicas.
 
Os resultados revelaram mortalidade mais alta e frequente quando se consome esses dois produtos. As fêmeas desenvolveram numerosos e significantes tumores mamários, além de problemas hipofisários e renais. Os machos morreram, em sua maioria, de graves deficiências crônicas hepato-renais. O estudo foi publicado no dia 19/9 em uma das mais importantes revistas científicas internacionais de toxicologia alimentar, a Food and Chemical Toxicology.
 
De acordo com o coordenador do estudo, o professor Gilles-Eric Séralini, os efeitos do milho NK603 só haviam sido analisados até agora em períodos de até três meses. No Brasil, a CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança) autoriza o plantio, a comercialização e o consumo de produtos transgênicos com base em estudos de curto prazo, apresentados pelas próprias empresas que requisitam o registro.
 
O estudo coloca um fim à dúvida sobre os riscos que os alimentos transgênicos representam para a saúde da população e revela a frouxidão das agências sanitárias e de biossegurança em várias partes do mundo responsáveis pela avaliação e autorização desses produtos. 
 
Idec alerta sobre o assunto desde 2007
No início de outubro foi adiado o julgamento que deveria decidir sobre uma apelação da ação proposta em 2007 pelo Idec que questionava a legalidade do parecer técnico emanado pela CTNBio aprovando a liberação de outro milho geneticamente modificado, o Milholl (Milho Liberty Link), da empresa multinacional Bayer.
 
A decisão técnica da CTNBio que autorizou a liberação do Milholl foi objeto de recurso administrativo interposto pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), sustentando tecnicamente a contrariedade à liberação do produto geneticamente modificado em razão da precariedade da avaliação de riscos realizada.
 
A ação foi julgada parcialmente procedente para anular a autorização para liberação comercial no Norte e Nordeste do Brasil e determinar que a União edite a norma no que se refere aos pedidos de sigilo de informações pelos proponentes de liberação de OGMs (Organismos Geneticamente Modificados). A norma deve passar a prever o acesso completo do teor dos documentos solicitados, com exceção apenas das informações que tiverem sigilo deferido.
 
Ainda não há nova data prevista para o julgamento.


Fonte: IDEC

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Pesquisadores obtêm controle do diabetes tipo 1 por meio de células-tronco




imagem transparente

Grupo que se submeteu aos primeiros testes conseguiu se livrar ou diminuir as aplicações de insulina
 
Herdeiros de uma técnica idealizada pelo reumatologista Julio César Voltarelli, morto em março deste ano, estão obtendo respostas favoráveis ao controle do diabetes tipo 1, doença considerada infanto-juvenil por atacar, principalmente, a população mais jovem. Um grupo de voluntários que se submeteu aos primeiros testes conseguiu se livrar das aplicações de insulina ou, ao menos, diminuir as doses do hormônio.
O tratamento é baseado na aplicação de células-tronco. Os estudos sob a coordenação de Voltarelli, iniciados há seis anos, ganharam seguidores fora do Brasil — na Polônia e na China — e prosseguem com desdobramentos desenvolvidos por médicos do Hemocentro e do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, no interior paulista, juntamente com especialistas dos Estados Unidos, da França e Inglaterra.
A atual coordenadora dos trabalhos, a reumatologista Maria Carolina de Oliveira Rodrigues, explicou que tanto o diabetes tipo 1 quanto o 2 são caracterizados por provocar aumento no nível de glicose no sangue. O tipo 1 é menos frequente, mas também tem prevalência significativa. Quem sofre do mal têm gradual falência do pâncreas, devido à destruição das células que produzem insulina, hormônio essencial para o controle do nível de açúcar.
O tratamento tradicional é a aplicação regular de insulina, “o que afeta a qualidade de vida dessas pessoas e ainda aumenta os riscos de, no futuro, se desenvolver problemas nos rins, nos nervos e de vista”, salientou a médica. Segundo ela, quando o paciente recebe o diagnóstico da doença, normalmente, ainda tem preservados entre 20% a 30% do pâncreas. É nessa porção de vida da glândula que os pesquisadores iniciaram a busca do controle do mal, em 2004, sob a coordenação de Voltarelli, com o uso das células-tronco.
Na primeira etapa da pesquisa, encerrada em 2010, foram feitos testes em 25 voluntários. Os tratamentos consistiram na coleta e congelamento de células-tronco hematopoiéticas – percussoras dos glóbulos sanguíneos - da medula óssea. Em seguida, esses voluntários passaram por sessões de quimioterapia agressiva para destruir o restante da medula e zerar o sistema imunológico. Posteriormente, eles receberam as células-tronco congeladas para reconstituir a medula e as células sanguíneas.
“O resultado foi muito bom”, avalia a médica Maria Carolina, relatando que o nível conquistado surpreendeu a equipe. Das 25 pessoas que se submeteram ao tratamento, 21 deram respostas favoráveis. Três delas ficaram livres das aplicações de insulina e 18 voltaram a necessitar do hormônio, depois de um período de seis meses a cinco anos, mas em doses menores do que antes dos transplantes.
— Não pode se dizer que estejam curados, mas com a doença controlada.
Na segunda fase, em andamento, os pesquisadores tentam obter melhor eficácia por meio de uma quimioterapia mais forte. O que se busca é que o paciente saia, totalmente, da dependência de insulina. Até agora, somente dois voluntários se apresentaram para se submeter aos testes.
Esses estudos estão sendo feitos no Centro de Terapia Celular (CTC), um dos centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP/USP), em interação com pesquisadores dos Estados Unidos, da França e Inglaterra.
De acordo com a coordenadora desses trabalhos, o Brasil foi pioneiro nos experimentos e, após a divulgação em artigos científicos, a mesma técnica do transplante de células-tronco foi adotada em testes na Polônia e na China.
Em pesquisa paralela, que começou em 2008, com a participação de oito pacientes diabéticos, foram feitas aplicações de células mesenquimais — que estão presentes em todo o corpo e compõem o tecido conjuntivo — retiradas de um parente do diabético. Nesse caso, a intenção foi atacar a inflamação do pâncreas pela regeneração do tecido. Porém, como a quantidade de células encontradas é insuficiente para as aplicações, parte delas é multiplicada em laboratório.
Nesses tratamentos, no entanto, metade dos pacientes — todos crianças — não obteve resultado esperado, e nos demais — todos adultos — apenas dois conseguiram reduzir a necessidade de insulina. Os pesquisadores pretendem renovar os testes com o aumento da coleta das células mesenquimais. Os interessados podem enviar e-mail para o endereço tmoautoimune@gmail.com. É necessário ter a partir de 18 anos e haver sido diagnosticado com a doença há pelo menos cinco anos.


Fonte: R7 Notícias

domingo, 21 de outubro de 2012

Leite materno


O colostro, líquido segregado pelas glândulas mamárias logo após o parto é um composto rico em proteínas e que contém importantes fatores imunológicos a serem fornecidos ao recém-nascido.

Pesquisa recente foi desenvolvida com o objetivo de explorar as mudanças na capacidade antioxidante total e concentrações de vitaminas antioxidantes no colostro humano e leite materno. De acordo com os resultados, observou-se que o leite humano é uma fonte de vitaminas antioxidantes e suas concentrações diminuem ao longo da lactação.

Outro estudo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a influência da suplementação com palmitato de retinol no pós-parto imediato sobre os níveis de imunoglobulina A secretora (SIgA) no colostro. De acordo com os resultados, o colostro de mulheres suplementadas com palmitato de retinol possui mais SIgA, sugerindo modulação da produção de anticorpos pela vitamina A.

Os dados dos estudos evidenciam alguns aspectos em relação ao leite humano, sendo que pode haver alterações em relação á sua composição, porém está sempre adequado ás necessidades do recém-nascido até os seis meses de idade de forma exclusiva.

Fontes:

Szlagatys-Sidorkiewicz A; Zagierski M; Jankowska A; et al. Longitudinal study of vitamins A, E and lipid oxidative damage in human milk throughout lactation. Early Hum Dev; 88(6): 421-4, 2012 Jun.
Mayara S. R. Lima; Penha P. C. Ribeiro; Jovilma M. S. Medeiros; et al. Influência da suplementação pós-parto de vitamina A sobre os níveis de imunoglobulina A no colostro humano. J. Pediatr. (Rio J.) vol.88 no.2 Porto Alegre Mar./Apr. 2012

sábado, 20 de outubro de 2012

Produtos infantis são apreendidos por ensinar receitas de bebida




imagem transparente

O departamento de Defesa do Consumidor do Estado (Procon –BA) apreendeu, na última quarta-feira (17/10), produtos da linha “Hello Kitty Party”, destinados ao público infantil e vendidos nas bancas de revistas de Salvador. A ação aconteceu depois de uma denúncia feita por um consumidor de que havia receitas de bebidas alcoólicas nos fascículos do produto.

O Hello Kitty Party contém ainda copos, pratos e xícaras de porcelana da personagem Hello Kitty para que as crianças preparem as receitas que tinham como ingredientes vodca, uísque e conhaque, bebidas proibidas para o consumo de crianças e adolescentes. Segundo o Procon, as práticas são consideradas abusivas e enganosas pelo Código de Defesa do Consumidor.

A empresa Sanrio do Brasil, responsável pela distribuição do produto, e a Editora Salvat do Brasil, que confecciona os fascículos, serão autuados pelo Procon e responderão a processo administrativo. Além disso, todos os itens já estão sendo retirados das prateleiras de bancas de diferentes bairros da cidade e os encartes serão destruídos pelo órgão.

De acordo com o departamento baiano, uma notificação será enviada aos órgãos federais, como a Secretaria Nacional do Consumidor e Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), para que os produtos sejam apreendidos em todo o país.


Fonte: Portal Vermelho

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Quatro estados terão campanha para redução de sal




imagem transparente

Os clientes de supermercados dos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Pará e Espírito Santo serão alertados sobre os riscos do consumo excessivo de sal para a saúde. É que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) firmou, nesta terça-feira,  acordo de cooperação com associações de supermercados dos referidos estados para o lançamento de uma campanha de conscientização em relação à redução do uso deste nutriente.
A campanha prevê o uso de folderes, banners e cartazes, nos supermercados dos quatro estados, com alertas sobre os riscos do uso excessivo de sal nos alimentos. Também serão disponibilizados aos supermercados spots para serem veiculados nas rádios internas dos estabelecimentos.
Para o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, o acordo reafirma um conjunto de esforços do governo para incentivar uma alimentação saudável. “É papel de um estado que pretende ter um sistema de saúde universal agir, alertar e amparar o cidadão em todos os estágios”, afirmou Barbano, durante a abertura da cerimônia de assinatura do termo de cooperação.
Já o diretor de Controle e Monitoramento Sanitário da Agência, Agenor Álvares, destacou, na ocasião, que a campanha tem que ser encarada como uma parceria entre o setor privado e o governo na busca da melhoria da saúde da população. “Essa iniciativa demonstra que o governo e o setor produtivo podem atuar de forma conjunta em benefício da população. Isso não quer dizer que o governo será capturado por determinados segmentos da sociedade”, explicou Álvares.
Estimativas
Estimativas demonstram que a população brasileira consome cerca de 12 gramas de sal por dia, mais do que o dobro recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de até 5 gramas diárias. Cerca de 40% da composição do sal é sódio.
O sódio é considerado um nutriente de preocupação de saúde pública que está diretamente relacionado ao desenvolvimento das Doenças Crônicas não Transmissíveis: hipertensão, doenças cardiovasculares e doenças renais. “A grande preocupação das autoridades de saúde no mundo inteiro é com as doenças que são invisíveis”, disse Álvares
A campanha reforça as estratégias para a redução do consumo de sódio pela população brasileira e se alia ao compromisso assinado entre o Ministério da Saúde e as indústrias de alimentação para a redução gradual da quantidade de sódio nos alimentos processados.
Dados
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2001, 60% do total das 56,5 milhões de mortes notificadas no mundo foi resultado de doenças crônicas não transmissíveis.  Além disso, o aumento da pressão arterial no mundo é o principal fator de risco de morte e o segundo de incapacidades por doenças cardíacas, acidente cérebro vascular e insuficiência renal.

Já dados do IBGE indicam que, em 2009, uma em cada três crianças brasileiras na faixa de 5 a 9 anos estava com sobrepeso, sendo que a obesidade atingiu 16,6% dos meninos e 11,8% das meninas.  Durante o período de 1974 a 2009, a prevalência de sobrepeso em crianças e adolescentes, entre 10 e 19 anos, passou de 3,7% para 21,7% no sexo masculino e de 7,6% para 19,4% no sexo feminino. Nesse mesmo período, o sobrepeso na população adulta masculina passou de 18,5% para 50,1%, enquanto que na feminina foi de 28,7% para 48%.

Em termos de custos ao Sistema Único de Saúde, no período de 2001 a 2010 houve aumento de 63% dos gastos em internações associadas à hipertensão (desconsiderando o ônus com perda da qualidade de vida, não mensuráveis). Internações por acidentes vasculares cerebrais, infarto do miocárdio e outras doenças isquêmicas oneraram o sistema de saúde brasileiro em quase U$20 milhões no ano de 2010.


Fonte: ANVISA

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Saiba como preparar uma refeição sem perder os nutrientes dos alimentos




imagem transparente

Modo de preparo merece atenção, uma vez que parte da qualidade nutricional da comida vai embora antes de chegar ao prato
 
Você sabia que ao preparar a sua refeição, grande parte dos nutrientes dos alimentos é perdido antes de chegar ao prato? No caso das verduras, por exemplo, nutricionistas afirmam que o cozimento no vapor é o que acarreta a menor perda das propriedades nutricionais, enquanto na água as perdas são muito maiores. Para esses casos, recomenda-se a reutilização da água em que as verduras cozinharam para o preparo de outros alimentos, pois as vitaminas hidrossolúveis, que são aquelas dissolvidas na água durante o cozimento, serão utilizadas para enriquecer a refeição.
 
Também é fato conhecido que as cascas de frutas e legumes muitas vezes contêm mais nutrientes do que a parte comestível. Por isso, muitas vezes é mais aconselhável cozinhar os legumes ainda com as cascas (bem lavadas, é claro!) para que mantenham os nutrientes e vitaminas por mais tempo.
 
No caso específico de saladas e sucos, ambos devem ser consumidos logo após o preparo, visto que a exposição à luz e ao ar leva à perda de vitaminas e outros nutrientes importantes. Outra dica é utilizar o mínimo possível gorduras saturadas, tais como manteiga ou margarina, que tornam o prato mais calórico e com maior porcentagem de colesterol. Vale destacar a opção pelos temperos naturais, tais como orégano, pimenta, cebola ou alho, em vez dos temperos industrializados que geralmente contêm grande quantidade de sódio.
 
Outras dicas importantes são a utilização do azeite no lugar do óleo comum - pois possui um tipo de gordura não saturada que é benéfica ao organismo -, além do acréscimo de verduras durante a preparação de outros alimentos: arroz com legumes ou carnes com legumes são ótimas pedidas. Evitar o consumo de alimentos gordurosos ou frituras também é importante, pois elas afetam diretamente o colesterol ruim do organismo.


Fonte: IDEC

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Dia Mundial da Alimentação


Cooperativas Agrícolas Alimentam o Mundo”.
Este é o tema do Dia Mundial da Alimentação 2012. A celebração é promovida em todo o planeta pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), no dia 16 de outubro. Foi neste dia, no ano de 1945, que foi criada a FAO.
Estimativas recentes da FAO revelam que cerca de 1 bilhão de pessoas passam fome em todo o mundo. Embora o Brasil esteja cada dia mais perto de debelar o problema da fome, muitos brasileiros ainda convivem com esse flagelo social.


Outros objetivos são: promover a participação das populações rurais, em especial as mulheres camponesas e grupos mais
vulneráveis, nas decisões e atividades que afetam as suas condições de vida; fortalecer a consciência política sobre o problema
da fome no mundo.
A FAO também quer que os países promovam a transferência de tecnologias e fomentem o sentido de solidariedade interna e
externa na luta contra a fome, a desnutrição e a pobreza, bem como celebrar os êxitos obtidos em desenvolvimento agrícola e
alimentar.
 Logomarca 
O feijão unifica as diferentes culturas alimentares que convivem no Brasil. Como expressão popular,representa a riqueza de variedades e de usos na preparação de alimentos, além de ser um produto preferencial da agricultura familiar e de excelente valor nutricional. Feijões de diferentes cores e espécies são transformados em pratos que integram a culinária regional e os diferentes agrupamentos étnicos do nosso país.


Fonte: www.planalto.gov.br

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Preços de batata, tomate e cebola sobem 50% em 2012, segundo pesquisa


imagem transparente

Consumidor deve procurar alternativas mais baratas enquanto custos não caem
 
O prato de salada do brasileiro anda pesando na balança e essa não é apenas uma impressão do consumidor: de janeiro a setembro deste ano, o preço de tubérculos, raízes e legumes avançou 48,49%, muito acima do índice geral, de 3,77%, apurado pela inflação oficial, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Alimentos como tomate, cenoura, batata, cebola e mandioca estão chegando mais caros à mesa e elevando a cesta básica do brasileiro. A inflação deles está mais alta que a de carnes e peixes, que acumulam variação de 5,46% no ano, e também que a do frango, cujo índice teve aumento de 5,64% no período.

Segundo a assessora econômica da Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) Julia Ximenes, os meses de setembro e outubro não são muito propícios para os tubérculos.

— Não é um período de disponibilidade muito farta desses itens. Porém, há outros problemas afetando esses produtos in natura, como a ausência de chuvas, a necessidade de irrigação (o que aumenta o custo de produção) e o aumento do custo do frete. A pressão causada por esses fatores afeta o preço final dos alimentos.

Para driblar essa alta, os consumidores devem pesquisar os preços, recomenda Julia. Outra alternativa é tentar consumir, na medida do possível, produtos que tenham mais disponibilidade nesta época do ano e que não sofram tanto com os problemas climáticos.

— No caso dos legumes, pode-se incluir a berinjela e o aspargo, por exemplo.

A Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), que facilita a comercialização, distribuição e armazenamento de produtos hortifrutigranjeiros, confirma o encarecimento da batata na mesa do paulistano, como a diminuição da produção.

Os preços subiram 32,1% em setembro e o quilo passou de R$ 1,15 para R$ 1,52, informa o economista do Ceagesp Flavio Godas.

— De fato, problemas sazonais reduziram a produção e o volume ofertado de batata aqui na Ceagesp. A tendência é que a situação se normalize ainda neste mês.

O consumidor poderá sentir os alimentos aliviando o bolso ainda neste ano, afirma Julia. Em novembro, a safra já é mais favorável para os tubérculos e a inflação de batata, beterraba e cenoura começa a desacelerar.

A chegada das chuvas também vai beneficiar itens como nabo, pepino, pimentão e tomate, este último o vilão dos últimos meses.


Fonte: Veja On Line

domingo, 14 de outubro de 2012

Consumo de tomate está ligado a menor risco de acidente vascular cerebral, diz especialista




imagem transparente

Pessoas com maiores quantidades de licopeno no sangue apresentaram 55% menos probabilidade de sofrer AVC
 
Cientistas da University of Eastern Finland descobriram que um composto do tomate é capaz de reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC).
Pessoas com maiores quantidades do antioxidante licopeno no sangue apresentaram 55% menos probabilidade de sofrer AVC do que as pessoas com as menores quantidades da substância no sangue.
O estudo envolveu 1.031 homens na Finlândia com idades entre 46 e 65 anos. O nível de licopeno no sangue foi testado no início do estudo e foi seguido durante uma média de 12 anos. Durante esse tempo, 67 homens tiveram acidente vascular cerebral.
Entre os homens com os níveis mais baixos de licopeno, 25 de 258 homens tiveram um acidente vascular cerebral. Entre aqueles com os mais altos níveis de licopeno, apenas 11 de 259 sofreram AVC.
"Este estudo traz mais evidências de que uma dieta rica em frutas e vegetais está associada com um menor risco de AVC. Os resultados apoiam a recomendação de que as pessoas devem ingerir mais de cinco porções de frutas e vegetais por dia, o que provavelmente levaria a uma grande redução no número de AVCs em todo o mundo, de acordo com pesquisas anteriores", afirma o autor do estudo Jouni Karppi.



Fonte: Diário da Saúde

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Maioria dos brasileiros desconhece sua taxa de colesterol, diz estudo


Colesterol elevado é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares
 
O estudo intitulado Coração sob Controle, realizado em agosto deste ano pelo Ibope com 2002 pessoas de todas as regiões do País, revela que mais da metade (62%) das pessoas acima de 40 anos desconhece sua taxa de colesterol. Ainda segundo a pesquisa, 72% dos entrevistados nesta faixa etária não consomem seis porções diárias de frutas e verduras diariamente e 74% não fazem atividade física regularmente — hábitos fundamentais para o controle dos níveis desta gordura no sangue.
Conforme explica o nutrólogo Dr. José Ernesto dos Santos, professor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), os resultados da pesquisa refletem a dificuldade de adotar novo estilo de vida.
— Mudar hábitos é extremamente difícil, mas é preciso ter consciência de que adotar uma dieta balanceada e praticar exercícios são fundamentais para o controle do colesterol. Somente se esta estratégia terapêutica não funcionar, é que será necessária a associação de medicamentos.
Apesar de a maioria dos entrevistados (87%) garantirem estar dispostos a adotar uma dieta mais saudável, na prática apenas 24% come seis porções de frutas e verduras diariamente. No quesito exercício físico, o mesmo acontece, ou seja, 79% querem se movimentar mais, no entanto somente 32% se exercitam 30 minutos diários cinco vezes por semana.
Segundo o especialista, o colesterol elevado é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares, especialmente em pessoas acima de 40 anos. Ele lembra que a causa mais comum do aumento do colesterol é uma dieta inadequada associada a fatores genéticos, obesidade, sedentarismo e tabagismo.
— É importante eliminar da dieta alimentos ricos em gorduras saturadas e trans, como bacon, creme de leite e manteiga, para incluir opções com fibras solúveis e fitosterol, como maçã, tomate, castanhas-de-caju entre outros.
Fitosterol
Provavelmente você já ouviu falar sobre esta substância química, mas nem imagina que ela é encontrada apenas nos óleos vegetais e nas oleaginosas e que para obter 1 g de fitosterol seria necessário consumir 280 castanhas-de-caju ou 75 maçãs.
Algumas pesquisas científicas mostram que apenas 1 g de fitosterol por dia reflete em benefícios para a saúde do coração. Isso porque, conforme explica o Dr. Ernesto, ele desempenha função semelhante ao do colesterol no organismo.
—O fitosterol bloqueia a absorção do colesterol ruim pelo organismo, mas como ele não pode ser obtido somente pela dieta alimentar, é preciso recorrer aos suplementos vitamínicos com fitosterol.
A farmacêutica Pfizer lançou o suplemento vitamínico Centrum Control, que tem fitosterol na fórmula e pode ser usado por tempo indeterminado. O produto é comercializado sem prescrição médica, já que não é medicamento, e deve ser administrado diariamente na dose de dois comprimidos. O valor mensal da suplementação é de R$ 92,00.


Fonte: R7 Notícias

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

11 de Outubro é Dia Nacional de Prevenção da Obesidade


Tornou-se oficial. Segundo consta na Lei nº 11.721, assinada em junho de 2008, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 11 de outubro é Dia Nacional de Prevenção da Obesidade. A data havia sido criada, há dez anos, pela Federação Latino-Americana de Obesidade, porém reconhecida, em 1999, pelo Governo Federal e instituída no Brasil, na época, com o nome de Dia Nacional de Combate à Obesidade.

Combater e prevenir são ações urgentes diante de um problema que vem adquirindo proporções epidêmicas. Segundo projeção da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015, cerca de 2,3 bilhões de adultos vão estar com sobrepeso e mais de 700 milhões serão obesos.

No Brasil, os números atuais mostram que a obesidade já é um problema de saúde pública. “O excesso de peso acomete 40% da população brasileira, aumentando o risco de doenças como pressão alta, diabetes, colesterol alterado entre outras”, afirma o presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), Dr. Márcio Mancini, responsável pelo Departamento de Obesidade da SBEM.

A prevenção contra a obesidade passa pela conscientização da importância da atividade física e da alimentação adequada. O estilo de vida sedentário, as refeições com poucos vegetais e frutas, além do excesso de alimentos com fritura e açúcar se refletem no aumento de pessoas obesas, em todas as faixas etárias. Hoje, o índice de crianças brasileiras com sobrepeso já chega a 15%.
 
 
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Alho


 
O alho é um dos mais versáteis sabores da culinária. Muito utilizado na cozinha brasileira e indispensável na cozinha provençal, o alho é muito utilizado pelo seu sabor e aroma sendo ainda não considerado apenas um tempero, mas um alimento que faz muito bem a saúde.

De acordo com pesquisa recente, estudos epidemiológicos relacionam o aumento do consumo de alho com uma diminuição da incidência de câncer em diferentes populações, sendo que ainda evidenciado que vários compostos derivados do alho possuem efeitos inibitórios neste aspecto, destacando-se a alicina que obteve resultados positivos na atividade antitumoral de ratos com linfoma.  

Outro estudo foi desenvolvido com o objetivo de investigar o papel do alho fresco e seu cmposto bioativo de enxofre em potencializar atividades anti-hipertensivas e cardioprotetoras relacionando à utilização de captopril em ratos. De acordo com os resultados, houve sinergismo da ação dos compostos do alho com captopril, sendo um alerta sobre o uso concomitante destes produtos.

De acordo com os dados dos estudos, o alho e seus compostos podem fornecer benefícios, porém mais estudos são necessários, para extrapolar estes resultados aos indivíduos de forma geral, contribuindo com benefícios à saúde e orientação quanto ao seu consumo ideal.

Fontes:

Padilla Camberos, Eduardo; Padilla Camberos, Claudia. Antitumoral activity of allicin from garlic/ Actividad antitumoral de alicina de ajo. Bol. latinoam. Caribe plantas med. aromát; 10(5): 423-428, sept. 2011.

Asdaq SM; Inamdar MN. Potential of garlic and its active constituent, S-allyl cysteine, as antihypertensive and cardioprotective in presence of captopril. Phytomedicine; 17(13): 1016-26, 2010 Nov.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Cáscara sagrada, produto suspenso pela Anvisa






Nesta segunda-feira (8/10), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, no Diário Oficial da União, interdições cautelares, suspensões e recolhimentos voluntários de produtos com irregularidades.
A interdição cautelar é uma medida válida por 90 dias após a publicação no Diário Oficial. Durante esse tempo, os lotes dos produtos interditados não podem ser comercializados e nem consumidos.
Já a suspensão dura o tempo necessário para a regularização dos produtos junto a Agência e tem validade imediata após divulgação da medida no Diário Oficial. As pessoas que já tiverem adquirido algum dos lotes ou produtos suspensos devem interromper o uso.


Fonte: Anvisa

Medida
Produto
Empresa
Motivo
Interdição cautelar, RE Nº 4.292 em todo o país.

Lote B11B7799 do produto Cáscara Sagrada 380mg, Rhamnus Purshiana D.C, da marca Bionatus. 

Bionatus Laboratório Botânico Ltda., localizada em São José do Rio Preto- SP. 
O produto apresentou resultado insatisfatório nos ensaios de Rotulagem, Teor de Cascarosídeo e identificação de Aloína.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Idosos X Consumo de álcool


 
De acordo com dados recentes, o álcool é uma das poucas drogas psicotrópicas que tem seu consumo admitido e incentivado pela sociedade. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a mortalidade e limitação da condição funcional associada ao consumo de bebidas alcoólicas superam aquelas associadas ao tabagismo.

Estudo recente foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o a taxa de consumo de álcool entre os idosos. De acordo com os resultados, considerável parte dos idosos avaliados apresentou alto consumo de álcool, sendo sugerida a melhora dos pontos de corte para esta classificação em relação ao consumo de álcool dessa faixa etária.

Outra pesquisa foi desenvolvida na Finlâncdia, com o objetivo de estimar prevalências específicas dos níveis de consumo de álcool e a associação deste consumo com causas relacionadas a mortalidade entre idosos. De acordo com os resultados, o consumo excessivo de álcool apresentou-se comum entre a os idosos, mas não entre as idosas, sendo ainda apresentado um aumento do risco de mortalidade nos idosos, por todas as causas relacionadas a mais de dois drinques por dia.

Os dados dos estudos chamam a atenção para um sério problema que é o consumo de álcool entre os idosos. Deve-se dar grande atenção a esta faixa etária, uma vez que o consumo alimentar costuma já estar comprometido, o que pode agravar ainda mais os malefícios causados pelo consumo de álcool.

Fontes:

Aalto M; Alho H; Halme JT; Seppä K. The Alcohol Use Disorders Identification Test (AUDIT) and its derivatives in screening for heavy drinking among the elderly. Int J Geriatr Psychiatry; 26(9): 881-5, 2011 Sep.

Halme JT; Seppä K; Alho H; et al. Alcohol consumption and all-cause mortality among elderly in Finland. Drug Alcohol Depend; 106(2-3): 212-8, 2010 Jan
.

domingo, 7 de outubro de 2012

Abertas inscrições para lançamento do Sistema de Notificação de Alimentos



Começaram, nesta sexta-feira (5/10), as inscrições para o lançamento do Sistema de Peticionamento Eletrônico de Notificação de Alimentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O lançamento será no próximo dia 16 de outubro, Dia Mundial da Alimentação, na sede da Agência, em Brasília (DF).
No total, serão disponibilizadas 200 vagas. Os interessados devem encaminhar, até o dia 9 de outubro, um e-mail para o endereço: registro.alimentos@anvisa.gov.br com os seguintes dados: nome completo, nome da empresa, e-mail e telefone para contato.
As inscrições são gratuitas. Para o lançamento do Sistema, está prevista a presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e de todos os diretores da Anvisa.
Sistema
O Sistema de Peticionamento Eletrônico de Notificação de Alimentos irá constituir um banco de dados único de produtos da área de alimentos que são isentos de registro sanitário. O banco terá informações sobre produtos e empresas que produzem ou importem alimentos.
O banco de dados ficará disponível para consulta no sítio eletrônico da Anvisa para todos os atores envolvidos: Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, consumidores e setor produtivo. Assim, haverá mais agilidade no acesso às informações sobre alimentos e respostas mais rápidas em casos de desvios de qualidade.
Orientação
No período da tarde, será realizado o VI Seminário de Orientação ao Setor Regulado na área de Alimentos. Na ocasião, será feita a apresentação do novo regulamento sobre registro sanitário e notificação de produtos isentos de registro sanitário e a apresentação do sistema.
A partir das 15h, as empresas que tiverem interesse poderão realizar uma notificação de produto.  Uma equipe da Anvisa estará presente para esclarecer dúvidas.
As empresas interessadas em realizar a notificação devem trazer um computador portátil e as seguintes informações:

Dados do produto:

a) categoria na qual o produto se enquadra de acordo com a legislação em vigor;
b) denominação do produto;
c) marcas;
d) formulação do produto em g/100g ou g/100ml;
e) informação nutricional para os produtos para os quais esta informação é obrigatória;
f) informação nutricional complementar, caso haja;
g) arquivo eletrônico com lay out do rótulo em pdf ou jpg, com no máximo 5MB.

Informações sobre o(s) fabricante(s) / importador(es) do produto:

a) CNPJ;
b) endereço completo;
c) arquivo eletrônico do alvará ou licença sanitária atualizado, em pdf ou jpg, com no máximo 5MB.


Imprensa / Anvisa

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Alimentos ficaram 1,4% mais caros em setembro, diz FAO




imagem transparente

É a primeira alta depois de dois meses de estabilidade
 
Os preços dos alimentos no mundo tiveram um aumento médio de 1,4% em setembro, registrando a primeira alta depois de dois meses de estabilidade, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (cuja sigla em inglês é FAO).

Na relação dos alimentos que sofreram mais altas estão os cereais, os azeites e os óleos, além das carnes, dos produtos lácteos e do açúcar.

Pelos cálculos da FAO, a tendência é que haja queda na colheita de cereais no mundo em comparação a 2011. A produção mundial de cereais para  2012 é estimada em 2, 2 milhões de toneladas, 2,6% a menos em relação ao ano passado.

As perspectivas de colheita no mundo estão no relatório Situação Alimentar. O documento analisa a situação em 35 países, dos quais 28 são África. O centro das preocupações se refere à insegurança alimentar e ajuda de ajuda externa por alimentos.

Na África Ocidental, a situação de insegurança alimentar é uma preocupação. A previsão é que cerca de 19 milhões de pessoas precisem de assistência permanente.

Já na África Oriental, a situação geral de segurança alimentar registrou melhoras. Porém, na região denominada Chifre da África, aproximadamente 13,4 milhões de pessoas necessitam de ajuda  humanitária.

A Síria também é alvo de preocupações, pois a crise no país, que se estende há 19 meses, contamina a região como um todo. “A deterioração da segurança alimentar em meio à agitação civil continua a ser uma grande preocupação na Síria e no Iêmen”, diz a FAO.

Só na Síria, cerca de 1,5 milhão de pessoas dependem de ajuda humanitária.


Fonte: Ig Notícias