terça-feira, 18 de setembro de 2012

Maioria das pessoas não sabe que têm diabetes, diz especialista



imagem transparente

Doença atinge 200 milhões de pessoas no mundo, mas muitos desconhecem serem portadores
Desde 1991 o Dia Mundial do Diabetes é comemorado em 14 de novembro. O objetivo é conscientizar a população sobre a doença que já atinge cerca de 200 milhões de pessoas no mundo, mas que muitos desconhecem serem portadores.
A doença ocorre quando o organismo não produz insulina (hormônio gerado no pâncreas que transporta a glicose para as células) suficiente ou resiste à sua ação, resultando em taxas de glicose no sangue excessivamente altas.
Assim, aparecem os sintomas e as complicações do diabetes, como sede excessiva, fome em excesso, náuseas, visão turva, sonolência e diminuição da disposição para praticar atividades físicas.
A longo prazo, as complicações começam a aumentar e daí a importância do controle de glicose desde o momento em que a doença é diagnosticada. Isto porque o acúmulo desta substância nas paredes dos vasos sanguíneos provoca o seu espessamento.
Com isso, o transporte de sangue necessário aos tecidos é comprometido, podendo gerar doenças como a aterosclerose e alterações fisiológicas no coração, no cérebro, nas pernas, nos olhos (comprometendo a visão), nos rins (insuficiência renal), nos nervos (formigamentos e redução das sensações) e na pele.
O diabetes mellitus (nome completo da doença) divide-se em dois grupos. No tipo 1, o mais raro (ocorre em apenas 10% dos diabéticos), as células que produzem a insulina no pâncreas são destruídas pelo organismo, comprometendo a produção de insulina.
No diabetes tipo 2, o portador da doença produz a quantidade necessária de insulina, no entanto, seu organismo desenvolve uma certa resistência ao hormônio, impedindo o controle das taxas de glicose.
Uma dieta equilibrada é imprescindível para que não ocorram problemas como hipoglicemia (falta de glicose no sangue) ou carência de outros nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo.
Acompanhamento médico e atividade física farão com que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida e amenize os problemas causados pela doença. Vale ressaltar a importância de evitar a ingestão de doces, se alimentar regularmente e não ficar mais de 3 horas em jejum.


Fonte: Diário da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário