quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Consumo de ômega-3 x resposta imune


 
Ômega-3 é um grupo de ácidos graxos essenciais, obtido através da alimentação. Este nutriente pode ser encontrado em diversos alimentos, como peixes (atum, anchova, carpa, arenque, salmão e sardinha), frutos do mar, óleo de canola. Resultados de estudos têm preconizado o uso de peixes ricos em ômega-3 como agente farmaconutricional com atividades antiinflamatórias e imunoativas.

Deste modo, estudo recente foi desenvolvido para determinar se a suplementação com ômega-3 em mulheres grávidas de bebês em risco hereditário elevado de doença alérgica, reduz a imunoglobulina E, associada a alergia alimentar infantil. De acordo com os resultados, a suplementação de ômega-3 na gestação não reduziu a incidência global de alergias associadas á imunoglobulina E no primeiro ano de vida, mas as reações tópicas ao consumo de ovo foram menores. No estudo, sugere-se que haja acompanhamento á longo prazo, para determinar se a suplementação tem um efeito sobre doenças respiratórias alérgicas e sensibilidade á fatores alergênicos na infância.

Outra pesquisa foi desenvolvida para avaliar se o aumento da ingestão de óleo de peixe na gravidez modifica as respostas imunes e marcadores precoces de atopia em neonatais. De acordo com os resultados, o fornecimento de duas porções de salmão desde a vigésima semana até o final de gravidez modifica as respostas imunes, mas não pode afetar os marcadores de atopia infantil avaliado em seis meses de idade.

De acordo com os estudos, o fornecimento de ômega-3 pode estar relacionado com a melhora dos sintomas alergênicos, porém mais estudos devem ser realziados para comprovar sua eficácia e definir quantidades a serem consumidas.

Fontes:

Palmer DJ; Sullivan T; Gold MS; et al. Effect of n-3 long chain polyunsaturated fatty acid supplementation in pregnancy on infants' allergies in first year of life: randomised controlled trial. BMJ; 344: e184, 2012.

Noakes PS; Vlachava M; Kremmyda LS; et al. Increased intake of oily fish in pregnancy: effects on neonatal immune responses and on clinical outcomes in infants at 6 mo. Am J Clin Nutr; 95(2): 395-404, 2012 Feb.

Nenhum comentário:

Postar um comentário