quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Batata fica barata e peixes mais caros



A volta dos caminhoneiros com o fim da greve fez com que preços dos hortifrutigranjeiros caíssem em até 68% no Rio, assim que chegaram à central atacadista Ceasa. Esse percentual foi o caso da batata, que estava bem mais cara em função da manifestação. Segundo especialistas, com o trabalho retomado e baixo custo para atacadistas, o consumidor pode esperar bons preços nas compras em feiras e supermercados.
 Assim que o abastecimento voltou a operar, outros preços também caíram, de acordo com o presidente da Associação Comercial dos Produtos e Usuários da Ceasa Grande Rio, Valdir Lemos. “Laranja chegou a cair 32%. Ontem, tomate ficou 22,2% mais em conta”, afirma. Segundo Lemos, hoje, laranja, batata e tomate talvez tenham preços ainda mais baixos, mas aos poucos devem retomar os valores do período anterior à greve.

Para o presidente da Bolsa de Gêneros Alimentícios, José de Souza, a partir de amanhã, supermercados podem reduzir preços para alguns alimentos: “Cada rede adota uma política, mas não é nenhuma surpresa que eles façam ofertas. É possível que se aproveitem dessa volta de abastecimento para atrair consumidores”.

PEIXE EM SENTIDO CONTRÁRIO
 
Segundo o atacadista Francisco Funelli, de 57 anos, os pescados não chegaram à Ceasa na qualidade ideal e, por decisão da Associação dos Pregoeiros de Pescados, 90% dos peixes que estavam na Via Dutra não foram liberados para venda: “O consumidor vai encontrar preços altos até normalizar o abastecimento”.

 


Fonte: O Dia Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário