sábado, 4 de agosto de 2012

Alergia alimentar

A incidência de alergias alimentares tem aumentado significativamente nas últimas décadas e são a causa mais comum de internações por anafilaxia em crianças, principalmente nas menores de 5 anos de idade.

Este fato é preocupante, uma vez que nesta faixa etária, a criança está em intenso crescimento e desenvolvimento, sendo que riscos á saúde como alergias alimentares podem prejudicar. De acordo com estudo recente, deve haver cuidado da família e cuidadores, de forma rigorosa, juntamente com a educação sobre o reconhecimento e a gestão de emergências das reações alérgicas, fato que pode levar á redução da qualidade de vida.

De acordo com o estudo, pacientes com alergia alimentar se beneficiam muito de um tratamento definitivo, que poderia alcançar longo prazo de tolerância alimentar. Dados evidenciam que a imunoterapia oral podem reduzir a dessensibilização e modular as respostas imunológicas a alergenos específicos.

Deste modo as reações alérgicas durante a imunoterapia oral são comuns, embora as reações graves sejam raras, sendo considerada uma terapia promissora como uma nova abordagem para o tratamento definitivo da alergia alimentar.

Pesquisa recente foi desenvolvida com o objetivo de desenvolver melhores parâmetros para avaliar reações alérgicas aos alimentos, através de esquema de pontuação. De acordo com os resultados, a reação grave ao ovo, leite e amendoim pode ser antecipadamente identificada usando uma pontuação simples, que leva em conta os dados clínicos que estão normalmente disponíveis.

Os dados dos estudos evidenciam a importância e formas de prevenir as reações alérgicas provenientes de ingestão alimentar. O cuidado e prevenção fornecem melhor qualidade de vida às pessoas que possuem alegias alimentares.


Fontes:

Ismail IH; Tang ML. Oral immunotherapy for the treatment of food allergy. Isr Med Assoc J; 14(1): 63-9, 2012 Jan.

Cianferoni A; Garrett JP; Naimi DR; Khullar K; et al. Predictive values for food challenge-induced severe reactions: development of a simple food challenge score. Isr Med Assoc J; 14(1): 24-8, 2012 Jan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário